sexta-feira, 29 de abril de 2016

Revista da Xuxa: Edições 37, 38 e 39

Por: Leandro Franco

Chegamos a quase 40 edições da Revista da Xuxa! Literalmente muita história pra contar.  Cada vez que montamos um post como esse, ficamos pensando em como seria a rotina de criação e montagem do gibi... Um processo longo e trabalhoso com o objetivo de entreter e, ao mesmo tempo, reforçar a presença de Xuxa no imaginário infantil.

Na TV é comum vermos matérias que contam os bastidores dos programas, o famoso “por trás das câmeras” e em um gibi? Como funciona todo esse processo? Pensando nisso, a própria Revista da Xuxa decidiu mostrar como era feita a revistinha. Ficaram curiosos? Daqui a pouco falaremos disso; antes façam o download das edições de hoje e vamos lá.




Edição 37

Clique aqui para download da versão digitalizada da revistinha nº 37


Pela primeira vez a capa do gibi trouxe uma referência internacional. Aquilo que à primeira vista pode parecer apenas o Praga brincando de peão de boiadeiro em seu casco vai um pouco mais além... Reparem na roupa de Xuxa, ela tem um figurino tipicamente mexicano, com direito ao indispensável “sombrero”, além do cacto compondo a cena. Podemos concluir que a referência da capa é a Charreada, esporte nacional do México, certo?


Na história de abertura, Xuxa tem que enfrentar o Baixo Astral. Opa! Calma, não é o vilão do filme de 1988; é aquele sentimento que às vezes teimamos em deixar tomar conta de nossos pensamentos e estragamos nosso dia (e dos outros) na maioria das vezes. A solução de Xuxa é infalível:



Ah, alguém aí se lembrou dos tempos de Clube da Criança (rede Manchete) ou do primeiro ano do Xou da Xuxa quando viu Xuxa com a junção “xuquinhas + faixa”?


Em baixo astral também estava o Dengue em mais uma de suas crises de auto-estima. Mais uma vez o mosquitão se lamentava por ser feio. História requentada lá da edição 26 (fevereiro 1991); até o início da história é bastante parecido, só que dessa vez sobrou só pro Moderninho, coitado...


Pituxa ganhou sua primeira história solo e foi uma das grandes: DOZE páginas! A maior do gibi naquele mês de janeiro de 1992. Uma estreia e tanto, não?


Fechando o gibi, Xuxa volta com suas aventuras espaciais. Dessa vez um mecânico meio problemático vai consertar a Nave Rosa. Olho nesse mecânico... não parece ser esse o ofício dele.



No Correio da Xuxa, ficamos aterrorizados por saber que um extintor de incêndio caiu no pé de uma menina e quebrou o dedo dela. Olha só! Cadê a segurança desse mundo?  Sim, a menina escreveu pra contar isso, imaginem o que ela não faz agora que tem facebook, twiter, instagram  para a pessoa contar tudo o que sempre quis, mas não tinha revistinha suficiente pra publicar.



Outra baixinha ficou indignada porque fez CINCO modelitos pra promoção do desenho e nenhum foi classificado! Ela pergunta: “será que meus desenhos estavam tão ruins assim?”, Xuxa tentou acalmar a menina explicando que eles não estavam ruins, só que tinha uns 3655 melhores. Simples, né?





Edição 38

Clique aqui para download da versão digitalizada da revistinha nº 38

Mais uma daquelas edições com Xuxa em poucas aparições. Difícil acostumar com algo que se chama Revista da Xuxa, onde a própria não aparece direito. Felizmente, são raras essas edições.
O figurino rosa e preto de Xuxa aparece na capa pela segunda e última vez. A primeira vez foi na edição 16.


Começamos com a disputa de duas criaturas meio sombrias pela atenção de Xuxa. Dráculo e Múmio estavam à procura de... 

Em outras palavras: “Moça bela, recatada e do lar”

E alguém pode explicar esse Múmio com corpo de surfista? Depois de ver a conservação do rapaz de mil anos, até que dá pra se repensar quando alguém quer chamar o outro de múmia...



Praga arrumou emprego no setor de informações da Rodoviária do Rio de Janeiro. Será que ele também tem informações sobre um determinado figurante que mês passado era um mecânico que vivia no espaço? Muito suspeito...








Outra Paquita ganhou sua história-solo, mas há controvérsias. Embora esteja escrito “Xiquita”, a atenção dos coloristas – que a colocaram de uniforme vermelho – e a falta de criatividade dos desenhistas a transformaram na Pituxa da edição passada. Custava prestar atenção na cor do uniforme e mudar o cabelo nem que fosse um pouquinho? Comparem os quadrinhos.





“Bichinhos de Estimação” entra pra lista de histórias mais sérias da Revista da Xuxa. A morte dos animais de estimação foi abordada de maneira delicada. Praguinha se desespera ao ver que ele mesmo causou a morte de seu peixinho. Tema difícil para uma revista infantil, ,as que foi muito bem colocado, principalmente pela forma como retrataram o “céu dos animais”.


Nas Dicas Pros Baixinhos pudemos descobrir como é feito um gibi. Provavelmente esta foi a edição mais interessante das Dicas. De forma rápida, a editora Gisleine Carvalho nos contou todo o processo de criação e ainda tivemos a chance de ver o Model Sheet da Xuxa, uma espécie de modelo para que os desenhistas mantenham o padrão do personagem ao desenhá-lo em diferentes posições. 



Praga e Moderninho terminaram a explicação da criação de um jeito especial: em forma de quadrinhos, onde acompanhamos desde o rascunho até a chegada ao consumidor final. Deixou o gostinho de ‘quero mais”.


No Correio da Xuxa, uma garota usou a letra de Viver (Xou da Xuxa 3, 1988) pra encerrar sua cartinha. Aliás, a menina começou filosofando que queria um mundo onde só existissem Xuxas, Paquitas, Vovuxas e Pragas. Olha, se só existissem Xuxas, Paquitas e Vovuxas, você também não existiria, já pensou nisso? “Já é tempo de refletir...” Opa, isso pega?



E não é que quiseram arrumar até casamento pra Xuxa? Uma baixinha, provavelmente ainda empolgada com o filme Lua de Cristal (1990), queria uma história em Xuxa e sérgio Mallandro se casassem e tivessem UM FILHO!





Edição 39


Clique aqui para download da versão digitalizada da revistinha nº 39

Já há algumas edições a presença de histórias onde Moderninho fantasia sobre uma ação rotineira do dia-a-dia transformando-a numa aventura qualquer vem aumentando. A edição 39 coloca Xuxa nesse “barco” e ela começa a demonstrar sinais da convivência.


Xuxa canta em "Leitura" (Xuxa 5, 1990): “é bom voaaar nas asas da imaginação”, mas parece que as asas da imaginação dos roteiristas estavam quebradas... já não lemos na edição 15 uma história onde o Praga cisma em querer voar pelas nuvens como o Dengue? Outra vez isso?


Nas nuvens estava o elenco feminino do gibi. Numa história de paixonites platônicas, pudemos rever personagens que estavam sumidas há um bom tempo: Sandrão, Martinha e Fessora reaparecem mas só têm olhos para seus “musos”. E Xuxa? Como ela vai reagir a essa onde de amor?



Depois de ver o Praga tentar encarnar uma tartaruga ninja – sem sucesso – Xuxa tenta arrumar um emprego pra ele (pelo visto o serviço lá na Rodoviária não deu certo) – sem sucesso também.


Daí a gente se lembra da menina que escreveu pedindo um mundo com mais Pragas... Misericórdia!
Só que o Praga também sabe agradar... Ok, só um no mundo esta de bom tamanho.


No Correio da Xuxa, uma resposta da loira vem como uma luva para o ano de 2016, ano em que vamos comemorar os 30 anos do Xou da Xuxa. Nas palavras da Xuxa: “é importante a gente sempre manter viva na memória a nossa história”... Falando nisso, já viram nosso teaser das comemorações do blog?



Cansados das princesas de sempre? Cinderela, Branca de Neve, Aurora, Bela? Uma garota que escreveu pro Correio da Xuxa também. A princesa do momento é a Xolange, gente. Já queremos a história da Xolange e o princípe Xurandir como filme das férias! Sérgio Mallandro vai ser o príncipe de novo? Xolangeeeeeeeee ( #LuadeCristal2.0)




Falando em filme, no nosso próximo post mostraremos uma capa cinematográfica da revistinha, uma Xuxa das cavernas e mais uma aparição suspeita do cabeleireiro/mecânico/transeunte misterioso e agora onipresente nos gibis da loira? Semana que vem, nas edições 40,41 e 42!!!


quinta-feira, 28 de abril de 2016

Xou da Xuxa 30 anos (teaser 3)

Várias pessoas que de alguma forma fizeram parte do programa já confirmaram presença nas nossas comemorações, que começam a partir da próxima semana. Dá uma olhadinha no que vem por aí!


terça-feira, 26 de abril de 2016

Programa Xuxa Meneghel #36 - 27/04/2016

O 36º Xuxa Meneghel teve início com mais um "Faço Parte do Seu Show", dessa vez com o cantor Wesley Safadão. 


Após um bate-papo com o cantor (no qual esqueceram de mencionar o hit "A Xuxa Me Ensinou", gravado pelo cantor em 2015), a Rainha surpreende Wesley no palco e, ao tirar o disfarce de fotógrafa, ela é ovacionada pelo público. Estavam com saudades de ver a loira descendo até o chão? Nós também!


Uma outra externa foi exibida logo em seguida, onde tivemos a estreia de Nany People como repórter. Ela foi até Fortaleza entrevistar alguns comediantes e entre eles estava Adamastor Pitaco, que tinha um quadro no Planeta Xuxa em 1998 e 1999. Lembram?



No sofá do programa, Xuxa recebeu um time de comediantes: a dupla Bené Barbosa e João Neto, o ator Sérgio Loroza, Rodrigo Capella, Nany People e o blogueiro Gominho, que aproveitou o momento para dizer que se arrependia dos tuítes mal educados que postou direcionados à loira. Para todos nós admiradores da apresentadora foi difícil aceitar a presença do rapaz que, em 2011, fez questão de mergulhar cada um dos 140 caracteres dos tuites em veneno.


Xuxa aceitou as desculpas e deu o exemplo do que é mais difícil: relevar, deixar pra trás e seguir em frente. Gominho disse ter escrito as coisas lá pelos 17 anos, época em que se considerou um "adolescente idiota". Só uma correção, caro Gominho: os tuítes foram escritos em 2011, quando você tinha 22 anos. Adolescente você já não era, mas o resto tá certinho...



Almas em evolução à parte, no palco o grupo cover do Village People pôs todo mundo pra dançar...


Uma esquete foi realizada no palco com os humoristas Bené Barbosa e João Neto, mas o que realmente arrancou boas gargalhadas foi o bate-papo no sofá. Entre os assuntos, foi discutido o fato de Gominho, Nany e Rodrigo sempre serem confundidos nas ruas com outros famosos e com outros trabalhos que eles jamais fizeram. Conversas espontâneas que rolam naturalmente, fugindo um pouco do assunto proposto, sempre funcionam muito. É, o segredo está no sofá...


O desfile de modelos plus size e o bate-papo sobre pessoas "gordinhas" foi cortado, apesar das fotos divulgadas no site oficial.



Tivemos também um Toc Toc especial, depois de várias semanas sem a exibição do quadro. Xuxa surpreendeu "Lili", portadora de um câncer raro, que vende batatas recheadas para pagar o seu tratamento.





















A Rainha não hesitou em homenagear a amiga e ex-colega de emissora, Ana Maria Braga, ao experimentar a especialidade de nini. Simplicidade, humildade e carisma é com ela mesmo!


Tivemos uma atração leve, emocionante e com atrações direcionadas para vários públicos, mas que ainda vem perdendo espaço para a concorrência que insiste em apelações e sensacionalismo. Nossa Rainha tem dado seu melhor e acreditamos que não vamos demorar para atingir os resultados esperados. Estamos com você, Xu!


quinta-feira, 21 de abril de 2016

Revista da Xuxa: Edições 34, 35 e 36

Por: Leandro Franco

“Quem é que nunca pediu numa cartinha assim tão bela?
Coração cheio de sonhos, um pôster pregado na janela...”

Se a Equipe de Produção da Revista da Xuxa se sentiu tomada pelo espírito de Natal naquele dezembro de 1991, essa adaptação dos versos de Estrela Guia (1987) aí de cima provavelmente seria a mais adequada para compor a trilha sonora da reunião de discussão do que ia ou não ia entrar na edição natalina.
Explicando: depois de infinitas cartas que mês após mês chegavam à redação pedindo um pôster da Xuxa, finalmente resolveram atender os pedidos.  Na edição 36, os leitores receberam como presente de Natal um pôster da Xuxa. Presentinho bom, não é? 
Lembrando que nosso post não se resume a isso, vamos falar também das edições 34 e 35, portanto faça seu download e venha comentar com a gente.





Edição 34

Clique aqui para download da versão digitalizada da revistinha nº 34

Ela voltou! Mocreia – definitivamente sem o sobrenome Fantástica – deu as caras novamente, lembram-se dela tentando arruinar o Natal de Xuxa lá na edição 24? Dez meses depois a criatura reaparece pra botar um encosto na vida da loira. Felizmente Xuxa já está craque nas armações da Mocreia e dá um jeitinho de passar o amuleto do azar adiante. Ah, vale a pena ver Xuxa vestida de sorveteiro, única vez que isso vai acontecer no gibi.


Quem também reapareceu foi o Praguinha. O filho do Praga vai se tornar presença constante nos gibis e já poderemos notar isso a partir desta edição, onde além de protagonizar uma história ao lado do pai, vai ter mais uma só pra ele. É curioso ver que Praguinha e Dona Praga nunca interagem com a Xuxa, é como se vivessem num outro lugar, uma espécie de vila de tartarugas. Em “Liga pra mim”, a história-solo, temos uma melhor visão disso, pois vamos conhecer umas praguetes. A primeira é Gisleine. Daí nos perguntamos: “Gisleine? Mas por que  Gisleine? Um nome nada comum... Tá com cara de homenagem.” 


Dito e feito! Bastou uma olhadinha na sessão Dicas pros Baixinhos para descobrir que os textos são escritos pela Gisleine Carvalho, que também é a assistente editorial da revista.



Falando nas Dicas pros Baixinhos, toda a sessão do mês foi dedicada aos Gnomos. Impossível não associar ao filme protagonizado por Xuxa em 2001, Xuxa e os Duendes. Será que aconteceu uma consultinha de leve ao gibi na hora de elaborarem os perfis dos personagens do longa?




Moderninho estava com todo o cartaz. Além da capa, metade do gibi é composta por histórias protagonizadas por ele. Numa delas temos novamente a ideia de usar o Dengue para disputar algo que envolva raquetes. Já tivemos isso com o Temporão (Edição 09 ) e com a Xuxa (Edição 22), agora foi a vez do Moderninho. Já está mais que suficiente, não acham?







Em outro momento, o boneco de espuma se dá conta que não tem um cãozinho pra chamar de seu e resolve o problema a sua maneira...


Fechando o gibi, Moderninho fecha a cara pra Xuxa e fica bem “mordido” com o que ela fala pra ele na pista do aeroporto. Já leu a história para saber o que é?

No Correio da Xuxa, uma leitora não fez rodeios e mandou logo de cara: “Xuxa, você trabalha por amor ou por dinheiro?”. Xuxa também não fez rodeios e respondeu numa boa.



Outra baixinha foi bem clara: “não gostava muito de você”, mas isso não intimidou a Loira que deu uma resposta certeira. Parece que esse mês as pessoas estavam mais sérias no Correio.



Edição 35

Clique aqui para download da versão digitalizada da revistinha nº 35

Já comentamos em posts anteriores que a história de ontem pode ser a capa de hoje e vice-versa. Dessa vez, apenas um mês foi suficiente para que acontecesse de novo. Na edição 34 comentamos do ”jeitinho” que o Moderninho deu para arrumar um cachorro, certo? Comparem o último quadrinho da história com a capa da edição 35, publicada em novembro de 1991. Dispensa maiores comentários...



Na historinha de abertura pudemos conhecer um novo personagem, parente de Xuxa: o Tio Pampa


Esse reencontro definitivamente entra pra lista de melhores histórias da Revista da Xuxa. Tio Pampa batendo as esporas e dançando a chula com a Maria é algo memorável. Bah,  guris, mas esse tio devia aparecer mais, tchê!


Algo que aparece muito nos gibis da loira é gato que não sabe descer de árvore e sempre dão um jeito de transformar isso em história. Já tivemos muita gente ajudando os bichanos:  Xuxo,  Xuxa (DUAS vezes), Moderninho e agora o Praga... O próximo deve ser o Dengue.









Em outra história Xuxa se viu às voltas com um rapaz que queria a todo custo passar uma cantada na loira. Digam, ele não é a cara de um dos integrantes do extinto Dominó?


A modinha da Lambada já tinha passado (o auge foi 1990), mas ainda quiseram pegar carona no “ritmo proibido” e coube à Xuxa ensinar o Di Junior os passinhos. Kaoma tocando no Xuper Som da loira e vamos lambadear! A propósito, essa marca de som deve ser boa, hein? 


E o modelito lambadeira da Xuxa? Aprovado?


Falando em modelitos, pudemos ver as fotos da vencedora do concurso “Desenhe um Modelito para a Xuxa” junto com a loira no Xou da Xuxa. Dessa vez a divulgação foi menor, não houve capa ou historinha com o modelo vencedor. A revista Moda Moldes publicou somente uma versão para crianças da roupa, sem matéria como da oura vez. 


O vencedor não se parece com uma versão preta do figurino do Super Xuxa Contra o Baixo Astral?


Fechando o gibi, mais uma situação que nos faz reafirmar nossa ideia de que o gibi era meio profético. Vejam essa cena de Xuxa namorando no estádio de futebol...


No dia dos namorados de 2014, Xuxa foi com Junno assistir à estreia da seleção brasileira na Copa do Mundo. Lembraram disso também? ;)


No Correio da Xuxa geralmente temos cartinhas pedindo passatempos no gibi; Xuxa sempre responde que para isso já existe o Almanaque da Xuxa, publicação semestral que traz esse tipo de atividade. Entretanto, os baixinhos mais atentos achariam um passatempo oculto na Dica pros Baixinhos desse mês: resolveram trocar o desenho da Xuxa do layout e esqueceram algo importante... 


Olha aí o passatempo oculto: ”desenhe um nariz pra Xuxa”!

Acharam pouco só um “passatempo”? Tem mais! “Ache o erro na página abaixo” pode ser o outro.


Pronto? Podemos dar a resposta?
O que esses peixes estão fazendo aí num texto chamado “Bichinhos de Pêlo e Pena”?

Um novo anúncio da Xuxa estampava a revistinha: o álbum de figurinhas baseado nos desenhos do gibi. A propaganda, na mesma linha do comercial de TV, trazia Xuxa vestida de jornaleiro.




Xuxa + Elias Gleiser + bigode.





Edição 36


Clique aqui para download da versão digitalizada da revistinha nº 36

É agora! Começamos o post falando do pôster e agora finalmente chegamos à edição de dezembro de 1991 que presentou os leitores com o tão esperado mimo. A bela foto feita pelo fotógrafo José Antônio foi a escolhida pela equipe da revistinha.


Dessa vez não temos foto do programa, como aconteceu na edição 10. O ensaio de onde foi retirado esse clique é o mesmo de onde saiu a foto que estampava um dos postais dados no Xou da Xuxa em 1992. Valeu ou não valeu a espera?

Pôster da edição 36 ao lado do postal que era entregue nas gravações do Xou da Xuxa

Embora a revistinha fosse de Natal, não há nenhuma menção à data exceto pela capa, pela sessão Dicas Pros Baixinhos e pela tirinha da última página. As historinhas publicadas poderiam tranquilamente estar em qualquer ura edição do gibi. A história de abertura mostra Xuxa servindo de “cobaia” para os amigos que resolveram se matricular nos mais diversos cursos.

No final Xuxa também resolveu fazer suas aulinhas... será que ela reencontrou aquele vendedor lá da edição 25?



Numa historinha rápida e quase sem diálogos tivemos a volta da Xinha que andava meio sumida do gibi.


As brincadeiras foram o trilho do gibi: de Mumu querendo empinar sua pipa à Dona Praga querendo dar uma “lavada” no maridão no jogo de videogame, passando pelo Paulista (reaparecendo depois meses fora do gibi) e seu barquinho que não flutuava.


Fechando o gibi uma das histórias mais sérias, se não a mais, de toda a existência da Revista da Xuxa. Nada de aventuras intergalácticas, paqueras ou trapalhadas da turma... Coube a Xuxa explicar ao Moderninho quem era o “Cara Lá de Cima” que ela cita na música Lua de Cristal (Foi a primeira vez que uma música do disco Xuxa 5 (1990) foi citada na revista, até então só músicas do Xou da Xuxa 3 (1988) haviam aparecido).


Vendo a forma como a história foi conduzida, pode-se dizer que ela poderia ser o rascunho de uma outra música da loira: Crer Pra Ver (1995). Os versos “olha pro céu, olha pro chão, não vê que Deus está em todo lugar? Na terra, na água, no fogo e no ar...” não estão bem ilustrados por essa história?



No Correio da Xuxa, uma baixinha quis saber se Xuxa ia usar todos os modelitos da promoção “Desenhe um modelito para a Xuxa”. Ô menina, se pra trocar de biquíni ela demorou 2 anos e meio, imagine usar os 3.655 desenhos classificados... Ia ter gibi da Xuxa sendo publicado até lá pelo ano 2100.



Aliás, esse foi o principal assunto do correio, duas outras garotas também comentaram o concurso e uma delas até mandou um modelito pra Xuxa guardar (junto com os outros 3654 não usados).



A propaganda do Baralhinho da Xuxa que vinha na quinta edição da Revista de Montar da Xuxa foi publicada nessa edição. O Baralhinho fechava o ciclo das revistas de montar.


Foram 5 edições no total que trouxeram duas bonecas com roupinhas para recortar (edições 1 e 3), a nave da Xuxa (edição 2), o Jogo de Dominó (Edição 4) e o Baralho (Edição 5).



Fechamos o ano III da Revista da Xuxa, para o novo ano começaremos a ver os primeiros desenhos  da Xuxa sem xuquinhas numa alusão ao estilo que ela usava no Xou no ano de 1992, poderemos saber como é feito um gibi (em especial o gibi da Xuxa), uma participação maior das Paquitas e claro, novas aventuras. E aqui no Xuper Blog esse “ano que vem” já é semana que vem... Fiquem ligados!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...