segunda-feira, 29 de maio de 2017

Vídeo Exclusivo: Xuxa canta "Marquei um X" no Xuchá de BH (27/05/2017)

No sábado passado, a turnê XuChá passou por BH. Os mineiros puderam matar a saudade da Rainha, que retribuiu tanto carinho com um show emocionante, daqueles que a gente guarda no coração, bem ao lado do X que ela marcou. Confira um vídeo exclusivo de "Marquei um X"

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Túnel do Tempo: Xuxa em Ouro Preto/MG

Por: Leandro Franco

No próximo sábado, dia 27/05, Xuxa volta a Belo Horizonte/MG para apresentar o segundo show da turnê “XuChá, o Chá da Xuxa”. O retorno da Rainha é algo muito esperado pelos mineiros, já que a última vez que a loira se apresentou na cidade foi em 26 de maio de 2007, com o show “Xuxa Festa”.

Matéria publicada no suplemento "Tempinho"
do jornal mineiro "O Tempo", no dia do show


O carinho de Xuxa com os mineiros é algo que ela faz questão de deixar explícito sempre que pode. Na inauguração da Casa X de Uberlândia, em 17/09/2014, a loira destacou:

Xuxa atende às dezenas de fãs que a aguardavam
do lado de fora da Casa X, em Uberlândia


E a “sorte” dos mineiros ela recebe há muito tempo, mesmo antes de se tornar a Rainha dos Baixinhos, querem ver? Aproveitando o retorno de Xuxa aos palcos de BH e o fato de hoje ser quinta-feira, vamos fazer um post no melhor estilo #tbt (throwback Thursday)?


Ó, Minas Gerais...
Em 1983, recém contratada da Rede Manchete, Xuxa ainda tinha a profissão de modelo como principal e continuava fazendo os editoriais de moda para revistas da época. Um desses ensaios se tornou famoso porque foi durante sua realização que a loira deu sua primeira grande entrevista para a revista Playboy e isso aconteceu em Minas, mais precisamente na cidade de Ouro Preto.

O hotel onde Xuxa se hospedou em Ouro Preto. Hora do descanso? Que nada!
A loira aproveitava o tempo no hotel para conceder entrevistas


Xuxa passou três dias na cidade histórica fotografando para a revista Desfile (Editora Bloch) e, ao mesmo tempo, dando entrevista para a revista Playboy (Editora Abril). O repórter Ivo Cardozo, em seu texto para a revista masculina, conta um pouco desses dias em terras mineiras:

“Foi numa clara noite de inverno que cheguei à portaria do Grande Hotel de Ouro Preto para entrevistar Xuxa. Quando me dirigia à escada que dá acesso aos apartamentos, a recepção me informou que a direção não permitia visitas de homens a apartamentos de mulheres e vice-versa. Fantástico! Eu estava ali para conversar com um dos maiores mitos sexuais brasileiros e só poderia chegar perto dela na presença de terceiros. (...) Mas nem isso, nem qualquer outra coisa, tirou o bom humor de Xuxa durante as oito horas em que fizemos três gravações.

Risonha, divertida e calorosa, Xuxa foi também, o tempo todo, uma flor de paciente. Jamais reclamou por responder a um longo questionário, depois de um dia cansativo de trabalho. Andando com Xuxa pelas ruas de Ouro Preto, pude constatar que uma das características dela é a paciência, aliada à boa vontade. Por isso é apreciada entre os fotógrafos conforme testemunhei. ”


Voltemos ao ensaio para a Revista Desfile... No ano de 1983, a revista tinha começado a dar mais espaço aos ensaios externos, o que acabou se tornando uma marca da publicação. Na edição de agosto daquele ano, a cidade da vez era a primeira capital mineira. As ruas de Ouro Preto serviriam de cenário para a moda inverno daquele ano. O fotógrafo escolhido foi Ernani d’Almeida, que clicou um time de quatro manequins – três mulheres e um homem – e nesse time, nossa Xuxa.

Xuxa e a equipe posam em frente à Igreja de São Francisco de Assis, 
a mais famosa de Ouro Preto

Com a produção de Diana Santiago e Cláudio Lobato, a Desfile fez quatro ensaios para explorar ao máximo as ruas peculiares da cidade. Xuxa, claro, tem destaque em todos. São mais de 20 fotos no total.

Inverno em Ouro Preto: quatro ensaios, Xuxa e pão de queijo!


Ensaio #1 - Toda a magia do preto
O primeiro ensaio foca na versatilidade das roupas pretas e ressalta que a cor permite que se vá do jovem ao clássico. Xuxa aparece em quatro fotos nesse ensaio.

"Num lindo salto, leve e seguro,
a gata passa do chão ao muro..."

"You're the one that I want
o, o, oo, honey..."

:) Esperando o pão de queijo ficar pronto...



... daí você descobre que acabou bem na sua vez :(


Ensaio #2 - A ousadia feminina num jeito de vestir masculino
No início da década de 80, mesmo quando não se discutia tanto a questão de gênero para coisas e roupas, as mulheres já faziam um bom uso do guarda roupa masculino. E pensar que Xuxa foi tão criticada por usar terninhos em pleno 2015 no programa Xuxa Meneghel. Quando as pessoas começaram a ficar tão chatas?



Terno e gravata... quem disse que é roupa de homem?


Nos anos 80 era tanta ombreira que Xuxa teve até que arredar...


Uma das fotos mais belas do ensaio


Viram? Sem ombreira todo mundo aparece na foto...


Só falta alguém dizer que ela estava imitando a Ellen nos anos 80...


Meu olhar pra você que diz que pochete é cafona...



Ensaio #3 - Sensualidade é fundamental
Depois do grande destaque no ensaio #2, a participação de Xuxa é menor neste: apenas 3 fotos. O tema da vez é explorar a sensualidade das fendas e decotes em pleno inverno. Algo que hoje seria o equivalente a "sexy sem ser vulgar e sem passar muito frio"

Pensa que é fácil andar de salto nessas pedras?


Tô bonita ou não tô?


Se tem inverno, tem frio;
se tem frio, tem que ter a Elsa de Frozen...



Ensaio #4 - O Branco se veste de noiva...
Xuxa nunca foi muito chegada a casamentos, mas nas fotos a loira incorporava a noiva como ninguém. O último ensaio feito em Ouro Preto contrasta com o primeiro. Podiam ter feito esse em Ouro Branco que, pra quem não sabe, é outra cidade mineira e fica próxima de Ouro Preto.

Vestido "Bolo de Noiva" em sua melhor caracterização...


E o guardinha fazendo a Wanderléa?
"Senhoooor Juiiiiz, pare agora!"


Grinalda, mosquiteiro ou toalha de mesa?


Quem te conhece, não esquece jamais... ó, Minas Gerais!
Ouro Preto, Uberlândia, Belo Horizonte... não importa a cidade, Minas Gerais já é parte da história da loira e no próximo sábado, mais um capítulo dessa história será escrito.  Alguém tem dúvida que vai ser bom demais da conta?

Post de Xuxa em seu perfil no Facebook na noite do dia 24/05/2017

terça-feira, 23 de maio de 2017

Dancing Brasil #8 - 22/05/2017

Depois de dois programas temáticos de tirar fôlego, o 8º episódio do Dancing Brasil não teve nenhum tema, mas seguiu nos deixando sem ar. Diferente das outras edições, o programa começou com uma esquete onde os participantes "descobriam" que teriam que dançar com um novo partner; tudo de forma bem exagerada e com algumas atuações meio canastronas, mas a ideia parecia ser essa mesmo.

Suspense, emoção e perigo! Vem aí:
"Dançando com o inimigo"

Teve até referência à clássica cena do banheiro de Psicose (filme de Alfred Hitchcock, de 1960).


Dancing e Psicose: separados por um foxtrote...  ou seria um quick step?

Tudo bem produzido e editado, mas numa coisa a esquete "errou o passo"... Como já era de conhecimento de todos, a noite seria  marcada pela troca dos técnicos (avisada por Xuxa desde o programa anterior), então foi inevitável sentir um desconforto ao ver um vídeo em que os participantes se portavam como se não soubessem o que ia acontecer. Essa má impressão só foi passar quando o vídeo fez o link perfeito com o número de abertura da noite.  Ao som de "Freedom" (Pitbull, 2016), a troca dos pares foi oficialmente apresentada ao público, numa das performances mais criativas até hoje.

"Tô fazendo um Jive com outra pessoaaaa
mas meu coraçãooo vai ser pra sempre seu..."

Outro fator atípico foi o corpo de jurados. Jaime Arôxa se ausentou devido a um compromisso e deu lugar à atriz Adriana Garambone.

Adriana Garambone faz sua estreia como jurada convidada

Na semana passada, alguns sites noticiaram que Garambone estaria cotada para a 2ª temporada do Dancing Brasil. Caso isso se confirme, será a primeira participante a também aparecer como jurada. Anteriormente, a atriz já havia estado ao lado da Rainha em duas participações no programa "Xuxa Meneghel".


Dessa vez, nossa Rainha não participou de nenhuma apresentação.  Mas como de praxe, ela deixou todos boquiabertos com seu figurino de gala, dessa vez vestindo algo mais simples, como fez no programa #5, deixando as roupas chamativas de Michelly X para um próximo episódio. Quem assinou o look foi Samuel Cirnasck, autor de vários outros figurinos famosos da nossa Rainha.

Xuxa e seus figurinos de gala: nota 10 tripla!

Uma coisa que merece destaque é a interação entre Sergio Marone e Xuxa. Cada vez mais divertida, a dupla foi um dos pontos altos desse episódio. Xuxa se diverte, debocha e não tem medo de sair do script, enquanto Sergio ainda não parece muito a vontade de deixar de olhar para o TP, mas a química entre os dois vem aumentando bastante. Será que mesmo cotado para participar da próxima novela da RecordTV, Apocalipse, o ator também estará na 2ª temporada?

Xuxa e Marone: excelente entrosamento

Para as performances, a troca das duplas não foi o único diferencial. Os dançarinos tiveram liberdade de escolha para criar a dança, sem precisar escolher um dos ritmos que fazem parte das opções tradicionais da atração (valsa, tango, jive, quickstep, paso doble...). Pela primeira vez o jazz, o hip-hop e o contemporâneo invadiram o palco da atração. Como já é de costume, a caracterização e a cenografia deram um toque especial; o destaque vai para a performance de Leo Miggiorin, que recriou um musical do filme "Aladdin".

Léo nem precisou do Gênio da Lâmpada pra fazer a mágica acontecer

Não identificou alguma música apresentada no programa ou ficou na dúvida de quem era par de quem? A gente ajuda:

Abertura: Freedom [Pitbull] (2016)

1. Mika e Dani* (par "oficial" de Léo) - Shape of You [Ed Sheeran] (2017)
Dança: Hip Hop 

2. Jade e Paulo Vítor* (par "oficial" de Maytê) - Love on the Brain [Rihanna] (2016)
Dança: Jazz

3.Bianca e Marcelo* (par "oficial" de Sheila) - Formation [Beyoncé] (2016)
Dança: Hip Hop

4. Maytê e Téo* (par "oficial" de Jade) - You Don't Know Me [Jax Jones feat. Raye] (2016)
Dança: Street Jazz

5. Sheila e Tutu* (par "oficial" de Bianca) - Gotta Get Thru This [Daniel Bedingfield] (2002)
Dança: Contemporâneo

6. Léo e Bárbara* (par "oficial" de Mika) - Friend Like Me [Robin Williams] (1992)
Dança: Jazz Musical

Bailarinos: Strong Enough [Cher] (1998)

Encerramento: The Book of Love [Peter Gabriel] (2004)


Quase no final do programa, outra novidade: um quiz para testar o quanto cada um conhecia seus seus colegas de programa. Com o número de participantes diminuindo, fica cada vez mais difícil preencher o tempo da atração, o que justifica esse aumento de VTs exibidos. Inclusive, essa edição terminou mais cedo, tendo o menor tempo de arte até agora: 1h20m.



O clima entre os participantes estava bem mais leve. Não é pra menos, o programa não teve eliminação e os casais já estavam cientes disso, não é Maytê? Antes mesmo de Xuxa revelar a "surpresa", a atriz, que foi criticada na sua apresentação, acabou soltando que mesmo sendo eliminada na "semana que vem", já sentiria uma vitoriosa. Ela até corrigiu rapidinho, mas já tinha errado o passo.

Ela nem chorou, gente! 


Sem dúvida uma noite especial, sem o peso da eliminação, o que serve para tornar os próximos episódios ainda mais tensos, já que depois desse episódio ficou a certeza que o time de estrelas está redondinho e qualquer um que sair vai deixar muita saudade.  E para a semana que vem... vamos ter que esperar, dessa vez Xuxa não deu nenhuma dica.


Dicas sobre o próximo episódio?
 Hoje não tem!



sábado, 20 de maio de 2017

Vídeo Exclusivo: Tania Alves no Xou da Xuxa

No Dancing Brasil da última segunda, a atriz e cantora Tania Alves foi eliminada e encerrou sua participação no reality ao lado da Rainha. As apresentações de Tânia sempre foram vibrantes e ousadas e não estamos falando só do Dancing... Vamos voltar na época do Xou da Xuxa, em junho de 1989, e conferir a "noiva de vermelho" que encantou nossa Rainha. Dá o play logo:


quinta-feira, 18 de maio de 2017

Trilha sonora de "Lua de Cristal" no Spotify. Decepção ou não?

Na noite de domingo (14/05), o Spotify surpreendeu os fãs ao disponibilizar a trilha sonora do filme Lua de Cristal (1990), álbum que jamais foi lançado oficialmente. Mas a surpresa rapidamente se torna decepção ao conferir a tracklist, qualidade e forma como as faixas foram publicadas pelo serviço de streaming.

Tela do Spotify que mostra o trilha sonora de Lua de Cristal:
 empolgação que vira frustração

Na verdade, foram disponibilizadas apenas as músicas que vieram como "extras" no DVD do filme, lançado em 2001 pela Som Livre e que está fora de catálogo há quase 10 anos. Até as versões karaokê que eram conteúdo da sessão "DVDokê" estão presente na tracklist.

Menu do DVD oficial lançado pela Som Livre:
exatamente as mesmas músicas anunciadas pelo Spotify


Como se sabe, a trilha era composta por diversas outras faixas que ficaram de fora dos extras - e consequentemente do álbum no Spotify -, como "Dança da Vida" (Michael Sullivan & Paulo Massadas) e "Chá com Porradas" (Paquitos). Essa seria uma ótima oportunidade de finalmente ouvir essas músicas em boa qualidade... Ou não?

A relação completa das músicas que compõem a trilha; a maioria permanece não lançada

A qualidade das faixas está comprometida, bem inferior ao áudio disponibilizado no DVD. Além disso, a edição feita nas músicas não foi das melhores:

* Lua de Cristal: nos 2 primeiros segundos da faixa é possível ouvir o trecho final da vinheta da Som Livre presente no DVD;



* Verde Que Te Quero Verde: ao final da canção ouvimos rapidamente o começo da faixa "Conto de Fadas". Sem contar que ainda erraram o nome da faixa, escrevendo Verde Que Eu Te Quero Verde (!)



E tem mais serviço mal feito...
O maior erro mesmo ficou por conta do das faixas "Mangas de Fora" (Paquitas), "O Bob Não é Bobo" (Sérgio Mallandro) e "Achados e Perdidos" (Sylvinho): estão trocadas!
Isso mesmo, se você coloca pra ouvir "Mangas de Fora", começa a tocar a música de Sylvinho; porém se você decide ouvir a música cantada por Sérgio, vai achar a das Paquitas (com bônus de 10 segundos da faixa "correta" no final); enquanto "Bob não é Bobo" está perdida na faixa "Achados e Perdidos". Ficou parecendo que o próprio Bob é quem ficou encarregado para organizar e publicar as faixas. Ouçam vocês mesmos... E os erros também acontecem com mesmas as faixas em versão karaokê. Ai, ai, Spotify..




Achou confuso? É simples:

As Paquitas são o Sylvinho, que na verdade é o Sérgio Mallandro,
que por sua vez é As Paquitas.


Pensa que acabou? Talvez o amadorismo maior fique por conta da capa... Como o álbum nunca foi lançado, algumas artes fan-made foram publicadas na internet no decorrer dos anos, tentando recriar o que seria a capa do álbum se ele fosse lançado. E a capa utilizada já foi publicada na internet há vários anos e pode ser encontrada no site "Xuxa Xuxesso", que erroneamente credita o álbum como sendo um lançamento oficial.

A capa do Spotify é, na verdade, uma arte feita por fã e que existe há anos na internet

Não sabemos dizer se a culpa é da Som Livre ao ceder o material ou do Spotify ao fazer a edição e publicar em seu serviço. Seja de um ou de outro é um trabalho muito mal feito, que faz a gente pensar se realmente existe o mínimo de respeito com os artistas e com quem consome o produto. Não há como se contentar com algo tão aquém do desejado, uma vez que a trilha sonora jamais lançada é almejada pelos fãs desde 1990. 

A gente depois de conferir o "lançamento" da trilha de Lua de Cristal no Spotify


Atualização 18/05/2017: Todas as músicas foram removidas e a página do álbum não pode mais ser localizada no Spotify!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...