terça-feira, 22 de junho de 2010

Lua de Cristal: História comentada/Resenha Crítica

"Lua de Cristal" é um dos contos de fadas mais modernos já contados no cinema. Moderno por ser comtemporâneo, urbano e ter uma boa dose de malícia. E como todo bom conto de fadas, foge um pouco da realidade e mostra situações um pouco absurdas.


Maria da Graça (Xuxa), que tem o sonho de ser cantora, abandona a mãe em uma cidade do interior e vai tentar a sorte na cidade grande. Na viagem de ônibus até o Rio de Janeiro (onde a história se passa), Maria sonha com sua infância, quando uma vez tentou cantar em uma festinha da escola e fugiu com vergonha.


Sonho Premonitório
Maria ainda tem um sonho premonitório, já que nele aparece o seu professor de música Uirapuru, toda a turma da aula de canto (Paquitos e Paquitas) e Bob (Sérgio Mallandro), antes mesmo dela os conhecerem. Todos estão dançando em uma floresta, Bob está montado em um cavalo branco e, Maria, ainda é criança. O sonho é repetido várias vezes no decorrer da história.


Referências a outras histórias/Família incerta
Inicialmente o filme faz referência à história de "Cinderela", já que Xuxa acaba sendo escravizada pela sua prima Lidinha (Júlia Lemmertz) e sua tia Zuleica (Marilu Bueno), assim que chega na casa de seus familiares. Aliás, essa é uma questão um tanto quanto duvidosa pois Zuleica diz não se lembrar de Maria, nem de sua mãe Cotinha e nem da carta enviada pedindo sua hospedagem. Zuleica é a bruxa de "Branca de Neve" encarnada nos tempos atuais: oferece uma maçã à Maria assim que ela chega e se olha no espelho perguntando se há alguém mais bonita que ela. Mesmo não sendo reconhecida como parte da família, Maria é recebida por Lidinha que logo a transforma em uma empregada. A prima malvada lembra as filhas da bruxa de "Cinderela", já que o tempo todo suja a casa propositalmente para Maria não sair de casa. Além disso, Lidinha tem um senso de humor irônico e sarcástico, sendo muito bem interpretada por Júlia.


Príncipe Encantado e Travessuras
Antes de chegar na casa de sua suposta família, Maria é atropelada pelo seu príncipe encantado atrapalhado. Eles tem uma rápida conversa e Maria esquece um dos tênis - fazendo novamente alusão à "Cinderella". Quando chega ao prédio de Zuleica, Maria conhece Duda (Duda Little). A garota rouba a cena e tem muito destaque. No decorrer do filme faz várias travessuras nenhum pouco politicamenete corretas. É a garota que também intercede e costura vários pontos da trama, sendo fundamental para o desfecho da história.


Ecologia
A gata borralheira não esconde seu amor pelas plantas e dá vida a uma planta que encontra praticamente morta. Ela magicamente cresce ao ser regada com as lágrias de Maria, que chora em uma das cenas. A planta, que passa a ouvir as confidências da mocinha, cresce acompanhado o crescimento de Maria na trama. Pouco antes do final do filme, quando as coisas começam a se resolver para a jovem, a planta que se transformou em trepadeira começa a florecer e dar vários frutos de uma hora pra outra, inclusive mamão. A música tema dessas cenas, "Verde que te quero Verde", reforça o tema ecologia da trama.


Aula de canto
Xuxa, que sempre diz não ser cantora, no filme é bem afinada na opinião do seu professor de música (Rubens Correia) e os colegas de turma - mesmo que nas aulas de canto Maria não mostre um bom desempenho nas aulas.


Contos Só para Altinhos
Maria conhece seu suposto primo, Mauricinho (Avellar Love), que tenta o filme inteiro assedia-la sexualmente. Ele tenta a todo custo fazer um "teste" pra Maria entrar na televisão, fazendo uma vaga - ou explícita - alusão ao famoso "teste do sofá". A parte da lanchonete lembra os filmes dos tempos dourados, voltados para o público adolescente, que também eram ambientados em lanchoentes. As Paquitas, inclusive, aparecem vestidas com um figurino inspirado nos anos 50. Brigas e confusões é o que não faltam, direcionando assim para um público mais adulto. A cena em que Xuxa toma banho de leite, que nada acrescenta ao filme, também parece uma tentativa de explorar a sensualidade e prender a atenção dos mais altinhos (cena essa que, no making of, é revelado ter sido idealizada por Marlene Mattos).


Num piscar de olhos...
Na cena final, outro momento típico de contos de fadas e muito bem retratado no ambiente urbano e cotemporâneo, é quando Bob, com sua lambreta caindo aos pedaços, passa por um túnel e, ao sair, magicamente está vestido de branco e montado em um cavalo. O príncipe socorre Maria, que havia sido raptada por Mauricinho e jogada na praia. Ao ve-la se afogando, Bob a socorre e, com um beijo - agora fazendo referência à "Bela Adormecida" -, ele desperta a jovem princesa. Num piscar de olhos, Maria já tem uma banda, bailarinas (ou, se preferir, Paquitas) e faz uma apresentação no meio de uma floresta, para um público considerável. Em uma cena muito engraçada, Lidinha estabelece uma ligação entre a personagem Maria e a já consagrada Xuxa, pedindo à mãe pra ser Paquita. Tia Zuleica finalmente reconhece Maria como sua sobrinha e revela que naquele momento a jovem já era assessorada por Marlene Mattos.


Considerações Finais
"Lua de Cristal" tem potêncial para atingir a todos os públicos, pelo menos naquela época. Apesar de seguir a linha conto de fadas, o filme tem mais tramas voltadas para o público adolescente (ou para a geração de crianças moderninhas) e com certeza, se fosse lançado hoje, seria alvo de muitas polêmicas. O filme mostra uma Xuxa mais simples e em situações até então inimáginaveis, como ela cozinhando e limpando o chão, desmistificando um pouco a imagem que ela tinha de estrela intocável. A moral da história casa perfeitamente com a música tema, apesar de no final as coisas terem se resolvido magicamente!
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

Matheus Santos disse...

Muitos gostaram desse filme até mesmo quem não gostava da apresentadora.
Sem duvida o filme de maior Sucesso e o Melhor.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...