domingo, 29 de maio de 2011

Entrevista: João Henrique Schiller - ET (Editor e diretor do Xou da Xuxa)


ENTREVISTA EXCLUSIVA CEDIDA AO BLOGGER XUPER




João Henrique Schiller, mais conhecido como ET, foi o primeiro editor do "Xou da Xuxa" e com o tempo acabou se tornando diretor de externas. Assistiu de perto os primeiros passos de Xuxa dentro da TV Globo e na entrevista que concedeou ao Blogger Xuper ele conta várias curiosidades sobre a edição do programa. Confira a entrevista na íntegra:



Como começou a trabalhar com a Xuxa? Já trabalhava com TV antes?

- Eu e a equipe de produção fomos escolhidos devido a termos trabalhado com o núcleo de programas infantis do saudoso Augusto Cezar Vannucci.

O Xou da Xuxa ia ao ar como se fosse um programa ao vivo, com o mínimo de edição e os cortes eram imperceptíveis. Por conta disso, editar o "Xou da Xuxa" era uma tarefa fácil ou difícil?

- Eu diria que era trabalhosa. A parte da Xuxa representava uns 25% do total. Nas 4 horas de programa, uma era de estúdio com a Xuxa e o restante de desenhos. Na parte da Xuxa tinha que prestar bem a atenção aos possíveis erros de português. Ela sempre teve talento para apresentar ao vivo, mas seu português a traía. Recebia as fitas gravadas no Teatro Fênix, escolhia as "cabeças" que valiam, editava para cobrir pequenos erros de câmeras e adicionava, quando necessário mais duas câmeras que gravavam independentes e depois adicionava os desenhos. conseguia executar tudo isso em 20 horas de trabalho. Fato este que nos primeiros meses, quando eu editava sozinho numa saleta improvisada em São Paulo com apenas duas maquinas de VT sem quaisquer recursos, me rendeu duas paradas respiratórias. Após isso, A Globo colocou mais um editor, o Jorge Rui, meu amigo de mais de 30 anos para revezar comigo e trouxe a edição para o Rio de Janeiro apenas fisicamente, a precariedade de equipamento e sala continuaram durante todo o "Xou". Acredito que só deram mais recursos depois de uma década e dos novos formatos de programa. Mas realmente no formato do Xou não era preciso mais do que nos davam. Fui editor por cinco anos e diretor por mais sete, até 1998 mais ou menos...

Xuxa sempre foi muito natural e espontânea e as vezes no programa aconteciam momentos inusitados e engraçados. Os editores se divertiam editando?

- Nós sempre nos divertimos com ela... muito louca, muito alegre, muito boba no bom sentido, é claro!


Lembra de algum acontecimento curioso que voces tiveram que cortar?

- Vários, sempre pelos mesmos motivos... ela as vezes era "moleca demais". Em especial, que eu e o Jorginho comentamos até hoje, foi uma ação comercial do Sucrilhos. Ela deixou a caixa cair no meio da ação e não titubeou, fez uma embaixadinha com os pés. Eu era o editor principal e quem decidia. Achei engraçado e liberei para ir ao ar, mas o depto comercial não gostou e mandou tirar... Não tirei e convenci à Marlene que era espontâneo e não denegria a imagem, além do que somente editores de novelas ganhavam cachê para editarem Merchandising... Resultado: Marlene deixou a decisão nas minhas mãos. Passamos a receber como os editores de novelas e tiramos a embaixadinha.... rsrsss

Como se tornou diretor do programa?

- Na verdade eu já dirigia desde que o Paulo Netto saiu do programa logo no inicio. Não era uma direção oficial, mas de conhecimento da casa. Dava todo apoio à Marlene que nunca tinha dirigido nada, até então era produtora. O Walter Lacet, bam bam bam da época queria que eu dirigisse o programa, por absoluta falta de opções na área infantil. Mas como a Xuxa era muito apegada à Marlene que veio com ela da Manchete eu sugeri que ela fosse a diretora oficial e que a acompanharia no processo de adequação... Mas ela se superou e se tornou a gigante que todos conhecem e eu fiquei dirigindo externas e alguns clipes dos Especiais de Fim de Ano, até o famoso livro das Paquitas, quando fui dirigir o Video Show, mas isso é uma outra história.

Por que seu nome não aparecia nos créditos como diretor?

- É claro que aparecia. No início está na abertura como editor, quando fui oficializado passei para os créditos finais como diretor de externas. E no especial Natal da Gracinha Curiosa, não me lembro o nome correto está como diretor junto com mais três.


Como era sua relação com Xuxa?

- Maravilhosa.... rendeu até ciúmes que me prejudicaram.

Quais amizades daquela época voce leva até hoje?

- Todas, inclusive a Marlene que fiquei dez anos sem falar.


Após a polemica do livro "Sonhos de Paquita", voce foi afastado da TV Globo?

- Não, saí da Globo por três anos muito tempo depois do livro e depois voltei sem problemas maiores. Eu mesmo comuniquei à direção da casa que ia lançar o livro.

Ainda tem um contato com Xuxa? Como ve sua carreira hoje em dia?

- Infelizmente meu contato com a Xuxa hoje se resume a alguns trabalhos que ela manda para a minha produtora através do seu irmão, Blad, que um amigo especial. Mas ainda vamos nos abraçar novamente. Quanto a carreira dela, acho que ela tem muito mais a apresentar. Ela sempre foi taxada como a Hebe do futuro... Eu gosto muito das entrevistas que ela faz com prazer.

Com o que trabalha atualmente?

- Sou o finalizador responsável de conteúdo de todos os DVDs lançados pela TV Globo desde o primeiro há dez anos.

Se fosse convidado para trabalhar com ela novamente, ou até mesmo participar de alguma maneira do especial de 25 anos de carreira da apresentadora, você toparia?

- Eu amo a Xuxa. Toparia qualquer coisa com ela. E curiosamente no final do seu penultimo programa... sou péssimo para nomes, acho que foi o Planeta, dei uma entrevista de dez minutos sobre aviação, minha outra paixão... Achei que ela não sabia e que não iria ao ar... mas foi. Me emocionei e senti saudades dela. A entrevista está no youtube em trikeschiller.



"O Dengue se chamava murissoca no início e numa das minhas diversas farras com a Xuxa durante aa gravações disse que ele parecia o mosquito da Dengue! Ela gostou e o novo nome pegou...
 O Praga se chamava ET e não pode usar porque já existia um ET na TV Globo identificado assim no crachá e até mesmo no e-mail. Eu, como você sabe... (risos) E como o Dengue era uma praga nova na época e os dois eram coadjuvantes, ficou Praga mesmo!"
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

Anônimo disse...

Que linda entrevista! Seria ótimo poder ver João Henrique Schiller de volta aos programas da Xuxa.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...