quarta-feira, 29 de abril de 2015

Matéria: Só para as "baixinhas"

Sucesso de vendas e alvo de críticas, a primeira boneca da Xuxa, lançada pela marca de brinquedos Mimo, ganhou matéria de destaque na Revista Veja, publicada na época do seu lançamento, em 20 de maio de 1987. Confira na íntegra:


Os pais grudam os olhos na foto que reproduz a figura real na parte externa da embalagem. As crianças avançam no conteúdo. Essa cena vem se repetindo com freqüência crescente nas lojas de brinquedos do país na medida em que vão chegando às prateleiras a mais nova brincadeira da rainha da garotada, a Xuxa, que de 8 horas ao meio-dia e meia eletriza seus 'baixinhos" no Xou da Xuxa, da Rede Globo. A boneca Xuxa, que mede 44 centímetros — a altura de uma criança recém-nascida — custa 4 500 cruzados, um preço proibitivo fora de datas especiais como o Natal, por exemplo, já mostrou na sua primeira semana nas lojas que será mais um sucesso de vendas.

Aliás, como tudo que recentemente tem sido oferecido nas lojas infantis como adereços inspirados na Xuxa. Além da boneca, já fazem furor a coleção de papéis de carta, o sapatinho, a bota plástica e o disco — e outros dez itens chegam às prateleiras até o final do ano.

A boneca, a mais festejada manifestação do fenômeno Xuxa, que enriqueceu a modelo Maria da Graça Meneghel numa ascensão relâmpago, é a primeira do gênero no Brasil. Pés, mãos e cabeça fundidos em vinil e o corpo moldado em espuma, ela é a única boneca brasileira a ter um ser humano real como referência. O conjunto sintético lembra vagamente a loirinha agitada, de olhos azuis e corpo sensual que já foi conhecida por ser a namorada do Pelé e hoje tornou-se uma empresária bem-sucedida que trabalha 10 horas por dia. A minissaia e miniblusa, a xuquinha e o par de botas dão a graça que as crianças identificam com o ar da Xuxa. "Só de vez em quando ela parece com a Xuxa, quando está sentada", divaga a paulistinha Patrícia Longo Comblin, de 6 anos, que na semana passada ganhou um exemplar.


Por trabalhar com um modelo perfeito, na imaginação das crianças e de pais, os fabricantes da boneca Xuxa enfrentaram um tremendo desafio. "Não podíamos decepcionar os fãs da Xuxa", diz Francisco Ponzio Filho, 35 anos, diretor da MIMO, a fábrica de brinquedos sediada em Itu, no interior paulista, que assina a boneca. A empresa é a mesma que há um ano e meio lançou o boneco Fofão, que já vendeu até hoje 1,6 milhão de unidades.

Contratada no tempo em que a modelo ainda fazia seu show na TV Manchete, a empreitada de Pontzio chega a seu final com a previsão de venda de 200.000 bonecas até o Natal. "Optamos por um brinquedo que lembrasse u Xuxa não fosse uma cópia", diz Ponzio. Encarregado de materializar a boneca, o escultor chileno Sérgio Rosales, de 46 anos, começou por sepultar o projeto inicial feito pelo desenhista Maurício de Souza, criador da Turma da Mônica. Souza previa uma boneca de I metro de altura toda de plástico. Para moldar o rosto e o corpo da Xuxa, Rosales baseou-se em 120 fotos da modelo completadas com diversas visitas aos estúdios onde é gravado o Xou da Xuxa.



"Foi uma emoção indescritível retratar uma personalidade que é quase idolatrada pela garotada lá em casa", conta Rosales, que nas etapas finais pediu muito o conselho dos três filhos. Tentei captar a essência do fenômeno Xuxa, acho que consegui". A própria Xuxa tentou influir na forma final da boneca. Ela queria que o brinquedo tivesse os olhos amendoados que ela considera seu maior chame. "Tive que negar o pedido, pois é impossível fazer uma boneca perfeita de Olhos amendoados", conta Rosales. "O vinil se romperia nas bordas e os globos artificiais não poderiam ser adaptados de forma perfeita nas órbitas." Por opção, Rosales resolveu fazer um nariz, diferente. Seguindo um padrão quase universal em bonecas plásticas, ele arrebitou da nariz da Xuxa. Foi fiel, porém, ao queixo bem feito e um pouco protuberante, ao maxilar quadrado e à boca levemente sorridente. 




SUCESSO — A criançada adorou. '"São as últimas unidades", dizia o gerente da loja carioca de brinquedos Circus, no Shopping Center Rio-Sul, Oneas Rodrigues Moreira, que tem vendido uma Xuxa de plástico por dia. "Tenho duas filhas e teria que comprar duas bonecas", diz o agrônomo carioca Ítalo Bahia. "Dessa maneira só se apelar para um consórcio."

O segredo de prosperidade da Xuxa no ramo comercial não está em vender caro e pouco, e sim na diversificação dos badulaques. Quem sai da loja sem a boneca de quase 5 000 cruzados pode, por exemplo, ganhar como prêmio de consolação uma bota plástica de apenas 390 cruzados ou um par de sapatos que custa 80 cruzados. Quase 2 milhões de "baixinhas" compraram os sapatinhos, e 600 000, o par de botas. Chegaremos a 1 milhão de pares de botas vendidos", espera Marcius Dal Bo, gerente de marketing da Grendene, que fabrica os calçados da Xuxa.

Onde há penduricalhos da Xuxa à venda, um enxame de "baixinhos" ronda a vitrine, "A loja não fica vazia um segundo", diz Silvia de Oliveira e Silva, 21 anos, gerente da loja O Bicho Comeu, que pertence à própria Xuxa e já possui cinco filiais no Rio de Janeiro.



"Ticiana, dc 6 anos, e Maria, de 4, saíram carregadas da loja. Em conjunto, as duas "baixinhas" levaram dois pares de botas, dois arquinhos de cabelo, duas xuquinhas, pares de brincos, pulseiras, cintos e camisetas, No final, a mãe, Isabela Franco Cardoso, preencheu um cheque de 6 000 cruzados. "E a Maria ainda fez beicinho querendo levar o conjunto de camurça da Xuxa", diz a mãe. O cometa Xuxa, que transforma alegria televisionada em ouro, deve chegar ao final do ano com a cauda ainda mais fulgurante. Pronta para Ser lançada no mercado, há uma imensa linha de produtos cujo sucesso está escrito nas estrelas.



"As crianças têm um gosto muito parecido com o meu", tenta explicar a apresentadora. "Mas isso não é tudo. Sei que estou passando par uma fase boa e não sei quanto tempo essa fase vai durar." Prestes a chegar às lojas estão a nova coleção de papéis de carta, um cãozinho de pelúcia e um jogo de salão. Mais adiante, serão lançados o álbum de figurinhas da Xuxa e toda uma linha de produtos de toucador — xampus, cremes, maquilagem.




Além disso, a Xuxa Inc. vai fazer sua primeira incursão no exterior. No próximo dia 21, a modelo vai servir de guia na Disneylândia para um primeiro grupo de crianças. O primeiro anúncio da viagem, que custa de 1 000 a 1 500 dólares, apareceu terça-feira passada na televisão. "No dia seguinte, um terço das vagas estava vendido" . diz Artur Falk, dono da agência que teve a ideia de vincular o nome Xuxa Seu empreendimento. A gaúchinha de 24 anos, ídolo do mundo infantil, está erguendo uma forte indústria do divertimento.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...