segunda-feira, 20 de julho de 2015

Música: Jogo da Rima

Por: Leandro Franco

Xuxa, Xuxa, bo-buxa,
Banana-fana fo-fuxa
Fee-fi-mo-muxa
Xuxa!

Opa! Como assim? O Xuper Blog está escrevendo em que dialeto? Tá xingando a Xuxa? É isso mesmo, produção? Nada disso, esses versos são apenas o Jogo da Rima, ou melhor, The Name Game, usando a regra original com o nome de quem o trouxe para o nosso Brasil e América Latina também. 


Em 1994, ano de novidades na carreira de Xuxa – programa novo! –, ela lançou o álbum Sexto Sentido, o primeiro disco pós era Xou da Xuxa (o Xuxa de 1993 entra nessa classificação porque suas músicas eram faixas não aproveitadas de trabalhos anteriores ou especiais da TV).
O Sexto Sentido continuava o diálogo de Xuxa com as faixas mais crescidinhas, iniciado no Xou da Xuxa Sete, mas agora havia algo mais consistente: não se tratava de um disco com músicas do programa.


De cara, Jogo da Rima ganhou a simpatia do público. Fácil mesmo! Como errar? Rimar sempre foi divertido, o ritmo era animado e envolvente e a letra simples! 
Para o mercado hispânico, a canção se tornou Juego de La Rima e foi lançada no álbum El Pequeño Mundo, também em 1994.

A Origem
O ano era 1964 (isso mesmo, 51 anos atrás), a cantora americana Shirley Ellis compôs em parceria com Lincoln Chase uma música que brincava com os nomes das pessoas. Tiro certeiro! Nascia The Name Game. Até o fim de sua carreira e vida, Shirley colheu os louros de sua inocente brincadeira que chegou a ser #3 na Billboard Hot 100.



Para nós, o jogo de rimar acontece com todas as palavras, certo? Foi assim que tia Xuxa nos ensinou. Para Shirley isso só valia para nomes próprios e a regra era sempre a mesma: repete-se o nome duas vezes, seguido das expressões bo-b (nome da pessoa sem a primeira letra) / Banana-fana Fo-f (nome da pessoa sem a primeira letra) / Fee-fi-mo-m (nome da pessoa sem a primeira letra) e fecha com o nome da pessoa completo de novo! Explicando assim fica estranho, mas na música a gente sabe que deu muito certo.

As versões
São inúmeras as versões da música. A maioria feita por cantores sem tanto apelo no Brasil, entretanto, não se limitavam aos cantores; programas de TV americanos chegaram a promover brincadeiras em seus auditórios onde os participantes tinham que se virar para fazer a regra correta, o que rendia boas risadas. Como? Já imaginaram alguém cantando The Name Game com o nome Chuck. Ops!

Até séries e desenhos animados entraram no jogo. Quem não se lembra de Tinny Toon? Perninha e Lilica, Felícia e Cia ltda? Eles também fizeram sua versão no episódio Toon TV (3ª temporada, episódio 90).



Recentemente a série American Horror Story, em seu episódio 10 (que recebeu o nome de The Name Game), da segunda temporada (chamada Asylum), apresentou praticamente um clipe musical com a protagonista Jessica Lange.



Então já sabem: AHS não canta música DA Xuxa, como muita gente insiste em dizer.

As versões de Xuxa
Xuxa fez sua versão para The Name Game em dois idiomas: português e espanhol. Adaptar a canção para essas línguas foi obra de Zé Henrique, Marcelo Faria (ambos do Yahoo) e Angel Mattos. Em espanhol, provavelmente, houve o acréscimo de Graciella Carballo, que normalmente participava dessas adaptações português/espanhol.


O caminho seguido pelos autores foi abranger a brincadeira de rimar para TUDO! Animais, objetos, lugares, ritmos, artistas e fazer crescer a letra e a duração da música – a maior já lançada por Xuxa, 5:51min. Além disso, a ordem era ter uma pegada “geração saúde” e aliar a brincadeira de rimar à filosofia de “mexa-se”, afinal, Xuxa sempre incentivou isso desde seus tempos de Aquecendo (Ginástica), no Xegundo Xou da Xuxa (1987).


Rapidamente a música se tornou um ‘hino fitness” pros baixinhos. A expressão “gordurinha, gordurão vai saindo de montão” virou moda e até hoje é nome de blogs e programas de emagrecimento, basta jogar no Google pra comprovar. Curiosamente Xuxa já usava esse “mantra” nos tempos do Xou, fazendo algumas menções na década de 80.

Português x Espanhol
Significativas diferenças acontecem entre os idiomas; não só na letra, como também nos arranjos. A versão em espanhol recebeu um arranjo totalmente novo com maior ênfase na percussão e elementos não ouvidos na versão brasileira.


Na letra, a “gordurinha” que ia saindo de montão aprendeu que não havia perdão para ela nesta ocasião. As cidades do Brasil deram lugar aos países do mundo e, na parte dos artistas, Daniela Mercury e Cláudia Raia deram lugar a Gloria Trevi e Luis Miguel.




O single mexicano
Juego de La Rima foi um dos singles lançados oficialmente. Sua embalagem, em envelope de plástico PVC, reproduzia a foto  do encarte e trazia duas versões da música: a do álbum e a versão editada.


Para que a letra não sofresse cortes e pudesse caber na versão editada, parte do instrumental, principalmente entre as estrofes, foi cortada, bem como várias das introduções de Xuxa resultando em algo meio desconexo e apressado, resumindo: mal feito (minuto 5:52 do vídeo abaixo).



Versão da Chiquinha do Chaves
Agora sim! Essa pode ser classificada como uma versão de música da Xuxa. A “Chilindrina” usou não só a base dos arranjos como grande parte da letra em espanhol. A faixa saiu no seu disco Aquí Está... La Chilindrina, de 1996, e sua versão é bem menor, pois suprimiu alguns versos.



Na parte dos artistas, Chiquinha substituiu Gloria Trevi por Veronica Castro e manteve Xuxa, ou melhor, a Suxa. Que pronúncia é essa? Suxa! 
Às vezes me pergunto se era mesmo da Xuxa que ela estava falando...

Versão remix do Xuxa 10 anos.
Quando lançou o álbum comemorativo Xuxa 10 anos (1996), Jogo da Rima foi uma das selecionadas para ser remixada.


O remix do DJ Memê, que empolgou muita gente, foi construído com base numa das versões mais famosas de The Name Game: a de Laura Branigan, em 1987. Reparem que muitos dos elementos do remix, principalmente na introdução, seguem o mesmo caminho da versão da cantora americana. Muita inspiração e uma pitada de originalidade.


Os clipes e performances
Jogo da Rima teve dois clipes: o primeiro no quadro Xuxa Clip - do Xuxa Park - e o segundo no Especial de Natal, Crer pra Ver, ambos em 1994. O primeiro clipe teve locações na praia e gravações em estúdio mostrando Xuxa no comando de uma malhação ao ar livre. Simples, mas eficaz.


O segundo vídeo foi gravado num condomínio do Rio de Janeiro e já é um pouco mais trabalhado. Temos até um “efeito especial” das pessoas emagrecendo no “gordurinha, gordurão”. Xuxa aparece fazendo vários exercícios aeróbicos enquanto canta. Há a participação do You Can Dance e dos figurantes do quadro “Malhaxão” do Xuxa Park. Tem até uma cosplay de Daniela Mercury!


Xuxa performou a música no Xuxa Park, Xuxa Hits, Domingão do Faustão e no show Sexto Sentido, na época do lançamento. Anos depois, já no TV Xuxa diário (2005), ela cantou a versão remixada. Mesmo após 11 anos Xuxa usou a coreografia original da música, numa época em que várias coreografias foram significativamente modificadas.


O sucesso e o reconhecimento
Como já falamos, Jogo da Rima ganhou a simpatia do público imediatamente. E essa resposta fez com que a música garantisse seu lugar não só no coração dos fãs, mas também nos registros da carreira de Xuxa. Mesmo em 1995, já com o disco Luz no meu Caminho no mercado, Jogo da Rima foi eleita a música mais tocada do ano, o que garantiu à Rainha mais um prêmio para sua prateleira: o troféu Xuxa Hits 95.



Já em 1997, a música foi escolhida para figurar na primeira coletânea oficial de sucessos da loira, Xuxa Hits, lançada pela, hoje extinta, Globo Disk.

Jogo da Rima é a 2ª faixa do volume II

Rima 2 (A Malhação Continua)
Em 1998, no disco Só Faltava Você, optaram por criar uma “continuação” de Jogo da Rima. Parece que na música, assim como no cinema, as sequências também têm sério problema para alcançar êxito.


Rima 2 não funcionou. A música é bonitinha, mas não chega a 1/3 da empolgação transmitida pela “Rima 1”. Xuxa novamente faz seu mantra do gordurinha, gordurão na “continuação”.
Vamos que vamos, todo mundo vamos lá... continuar o que é único nunca vai funcionar! É, faltou essa rima...

Se fosse hoje...
Acho que ninguém tem dúvidas que se Jogo da Rima fosse lançada hoje a “baianinha” Daniela Mercury cederia o lugar para outra conterrânea, Ivete Sangalo. Já fizemos os versos pra você, Xuxa:
Corre, corre, corre, Ivete
Tem ladrão com canivete
Querendo te assaltar

E você? Já testou seu nome na regra original do Jogo da Rima? 



Comentários
1 Comentários

Um comentário:

Alexandre disse...

Sensacional esse post!!!
Ainda estou rindo com "corre Ivete, tem ladrão com canivete querendo te assaltar"
Kkkkkkkkk

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...