quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Matéria: Xuxa e seus "foxinhos"

A "família de pelos" da Rainha está crescendo. Além do seu fiel e inseparável companheiro Dudu, Xuxa vem mostrando alguns dos seus outros cães através de fotos em sua página no Facebook. Ontem ela foi mais além e publicou um vídeo reunindo todos eles em sua casa.


Desde o começo da carreira, a modelo que deu certo como apresentadora e sempre quis ser veterinária nunca escondeu seu amor pelos animais - e sobretudo, pelos cães. Do Xuxo ao Dudu, passando pelos inesquecíveis Pimpo e Xinha, nossa Rainha chegou a ter 58 cães em sua mansão, além de outros bichos de várias espécies. Alguns deles inspiraram personagens da sua "turma" e ilustraram produtos, gibis e ganharam até música - como é o caso de Xuxo, o cavalo Apolo e Pimpo.

Xuxo e Pimpo como personagens da revista em quadrinhos da Xuxa

O cavalo Apolo também aparecia nas histórias dos gibis

Em outubro de 1999, a extinta revista Focinhos fez uma matéria sobre alguns dos bichos que Xuxa já havia tido até aquele momento, além de revelar em detalhes como era o cuidado que a Rainha tinha com seus animais de estimação naquela época - o que deve ser assim até hoje. Confira na íntegra:



Boa vida e muita mordomia é o estilo de vida dos animais adotados pela eterna rainha dos baixinhos, que já chegou a ter 58 cães de uma só vez. 

POR ALEX LERNER E ESTER ROCHA FOTOS ARQUIVO XUXA/XICÃO JONES 

Apaixonada por bichos, a mãe de Sasha parece a versão feminina do Dr. Dolittle, aquele médico vivido por Eddy Murphy que falava com os animais. Trata seus mascotes com todo o carinho e atenção que um grande amigo merece. E eles são muitos. Só para ter uma ideia do amor de Xuxa pelos animais, ela já chegou a ter 58 cães de uma só vez. Tudo começou na infância. Aos 8 anos foi o Bingo, um Fox que nem era dela, mas aquele tipo de cachorro da família que todo mundo cuida. Aos 12, ganhou do professor de matemática um vira-lata que batizou como Kiko. Mas a riqueza passava bem longe da família Meneghel e, por morar em um apartamento muito pequeno, a menina foi obrigada a mandar o amigo morar na casa de uma tia. 


Chilena: presente de fã
Passado um tempo, louca para revê-lo, pediu para buscar Kiko pelo menos para passar as festas de final de ano. Conseguiu o alvará, mas de nada adiantou. cachorro não se acostumou com a nova morada e acabou morrendo de tristeza. Desde essa época, Xuxa fez uma promessa: “Quando eu trabalhar e ganhar dinheiro, vou cuidar de muitos bichos”. Alguns anos mais tarde, já modelo e atriz, Xuxa estava em uma fazenda no interior de São Paulo. Era a época da gravação do filme Fuscão Preto. Foi conhecer os filhotes de uma ninhada de filas. Um deles tinha o pelo dourado e os olhos azuis. Acabou ganhando o cãozinho de presente e, seguindo o palpite do dono da fazenda, deu a ele o nome de Xuxo. “Ele não era meu cachorro. Era meu amigo. Viveu ao meu lado por muitos anos e, no final da vida, tinha até quarto com ar-condicionado. Já estava velhinho e quis dar todo o conforto para ele. Era diabético e, toda semana, eu pedia para a Maria fazer um bolo dietético para agrada-lo. Adorava doces.” 


Xuxo: o primeiro amor
ZÉ DO PIMPO, O CONQUISTADOR
Depois de Xuxo veio Zé do Pimpo, que era o avesso do avesso de Xuxo (o primeiro era grandalhão, enquanto o segundo não passava de um micro yorkshire metido). “Ganhei o Zê do Zé Augusto (cantor), durante um programa. Nessa época eu tinha perdido o Xuxo e prometi que não iria mais ver os cachorros como amigos. 


Zé, presente do Zé (Augusto, cantor)
Dali para frente só teria cachorros.” Foi esse o clima encontrado pelo perseverante Zé do Pimpo, mas que, aos poucos, foi conquistando um espaço tão grande quanto o de Xuxo no coração da loira. Depois da “batalha” inicial, o cachorro acabou virando o mascote inseparável da rainha. Inseparável mesmo! Dormia no quarto dela, viajava de avião e tinha até roupinha com o logotipo do patrocinador das turnês. “Algumas pessoas reclamavam que eu levava Zé até em restaurantes. Mas ele nunca me deu trabalho. Sempre foi educado. 



Até hoje, sabe de cor o nome de todos os cachorros que passaram por sua tutela. “Uma vez batizei um deles de 56. Foi meu 56º cachorro”, relembra. 


56: uma boa ideia

Atualmente os números estão bem mais modestos. Nos domínios da sua Casa Rosa paraíso ecológico localizado na região carioca de Vargem Grande vivem, atualmente, dez cachorros, o tucano Tuca, os macaquinhos Fofa, Aderbal e Jane e vários papagaios. A fauna da rainha se completa com mais outros tantos amigões que se refugiam no sítio também na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Lá vivem mais dez ou doze cães, macacos, papagaios... “Sei lá, só a Xuxa sabe direitinho o nome de todos eles”, revela Maria, fiel governanta e amiga inseparável de Xuxa.

Tuca: mordomia no viveiro da Rainha
Ela não pode ver um bichinho abandonado que coloca dentro do carro e carrega para casa. Só para ter urna ideia, o staff da Casa Rosa conta com um funcionário contratado especialmente para cuidar dos bichos. É o “seu” Ledi, que passa o dia todo tratando da comida, da limpeza, do dia-a-dia dos pets que vivem no pedaço. Além disso, duas clínicas veterinárias do Rio de Janeiro dividem a responsabilidade de tratar dos protegidos da rainha. O dia-a-dia fica por conta dos veterinários Luciano Passos e Simone Machado Passos, proprietários da Clínica Veterinária Recreio, que, há cerca de dois anos e meio, ganhou a confiança da superprotetora dos animais. Os casos mais delicados são entregues ao especialista Hidichi Goto, da clínica Manchetinha, em Copacabana. Goto trabalha no pedaço há mais de quinze anos e desfruta a total confiança de Xuxa. 


Natasha: olhos nos olhos

ONDE A VIDA É UMA FESTA 
Ração e pedacinhos de frango. Essa é a base da dieta alimentar dos pets que vivem na Casa Rosa. Tudo servido em pratos decorados com motivos infantis — Dálmatas, A Pequena Sereia, Rei Leão. Parece uma festa! Para completar o cardápio da turma, muitos biscoitos caninos, ossinhos, tira-gostos... Caminhando pelo paraíso de Xuxa, não é raro a gente cruzar com Juca, Pimpa e Puckie (o trio de yorkshires) carregando um bichinho de borracha na boca ou se refrescando em um banho de chafariz. 


Novos amigos: Juca (sem fita), Puckie (fitinha azul clara) e Pimap

“Eles saem do banho bonitinhos e cheirosos e, dali a pouco, voltam imundos, molhados e com terra por todo o corpo, entrega a mãe coruja. Na hora de dormir, o canil fica re servado apenas aos grandalhões. Hoje o lugar abriga as “caminhas” de Urso — filho de Xuxo —, a boxer Maria Augusta, o rodesian Roberto e, vez ou outra sob protestos, do labrador Simba, que, segundo as palavras da própria Xuxa, “ainda é filhote e gosta de ficar perto dos pequenos”. 


Mé... um único nome para as cabritinhas de Sasha

Os três yorkshires juntam-se ao poodle Tina, à bichon frisé Hana (presente da poderosa dona Marluce Dias no aniversário de Sasha) e dormem todos juntos no quarto de Maria, que divide a cama em total harmonia com os companheiros: “Eu adoro dormir com eles. Pedi para a Xuxa uma cama de 2 X 2 metros só pra poder ficar com eles no meu quarto. Às vezes, o Simba também resolve ficar por lá. Mas ele já está ficando grande e aí é complicado”, conta Maria. 


Zé e Tina: inseparáveis
Quem não a conhece, deve até pensar: “Hora do banho! Todo mundo para o pet shop!” Que nada!. Se depender de Xuxa e Maria, ninguém toca em seus baixinhos. “Só nós duas sabemos dar banho do jeito que a Xuxa gosta. Ela diz que ninguém deixa os ‘meninos’ cheirosos. Também, não é por menos, quando ela resolve dar o banho, gasta quase um vidro de shampoo de uma vez só”, entrega Maria. 

Bob: amigo internacional
A higiene da turma se completa com boa escovação (com carinho para não machucar a pele deles) e perfumes especiais para cães (sempre com um cheirinho novo para não cansar). Também usa as colônias de sua própria linha Xuxinha by Baruel para deixar a cachorra da com jeito de quem vai para a festa. E as roupas e acessórios? Bom, por ali ninguém gosta de andar vestido. Mas Xuxa e Maria sempre aproveitam as viagens para comprar um monte de roupinhas... Depois do primeiro desfile, eles retomam o astral naturalista e circulam pelo lar doce lar como Deus os mandou ao mundo. O toque mais charmoso fica por conta dos lacinhos, gravatas e fitinhas. Mas é um luxo só para os dias especiais. 


Urso: marinheiro de todas as viagens
E, pelo jeito, a máxima “filho de peixe peixinho é” já começou a valer no reino de Xuxa. Assim como a mãe, Sasha adora cães. Da turma que vive hoje na Casa Rosa, Simba e Tina (respectivamente, o labrador e a poodle de nossa capa) são os xodós da menina. Confiantes na paixão da nova amiguinha, eles já sabem que, para faturar um bom lanchinho, basta ficar esperto debaixo do cadeirão da princesa. Ela sempre arremessa alguns pedacinhos das iguarias e divide suas refeições com a turma do piso térreo. 


Meu querido pônei: lar argentino

Um outro yorkshire é até hoje uma figurinha ímpar do clã canino de Xuxa. Paulinho já tem mais de 10 anos. Quando nasceu, os veterinários aconselharam o sacrifício. Portador de SÍNDROME DE DOWN, não poderia levar uma vida normal, nem ter filhotes. Também foi considerado um tanto perigoso por seu temperamento explosivo. Xuxa insistiu em cuidar do pet. Sobreviveu e está forte e bem-disposto. Gerou quinze filhotes, mas não ficou maduro. Ataca quem chegar perto de sua dona. Atualmente, por conta do “geniosinho difícil”, está morando na casa de Márcia Elias, cabeleireira e amiga de Xuxa. ‘Morro de saudade, mas é perigoso deixá-lo perto da Sasha. Pode machucá-la. Peço sempre para a Márcia trazê-lo aqui, mas ela nunca o faz, pois tem medo que eu arranje um jeito de ficar com ele novamente.” 


Michael: presente do namorado doutor

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...