sábado, 5 de setembro de 2015

Aquarius (Xuxa Park)

Por: Leandro Franco

Se Madame Caxuxá, a “astróloga dos baixinhos”, ainda fosse atuante no final da década de 90, estaria em plena euforia agitando suas pulseiras e rodopiando seu vestido cigano. Com a proximidade da virada do milênio estava por acontecer o início da tão esperada Era de Aquarius, que vinha para substituir a Era de Pisces.
Mesmo sem Madame Caxuxá, o Xuxa Park, em 1999, não fez por menos e comemorou com toda pompa e circunstância a Era de Aquarius, a Chegada do Novo Milênio e tudo mais que lhe fosse de direito.


O programa ganhou novo cenário – ao custo de 450 mil reais (!!!), na época – , cheio de referências astrológicas e místicas, e Xuxa saía de sua nave cantando um hino à harmonia e à chegada de um novo tempo. Surgia Aquarius (Xuxa Park), uma das canções mais utópicas do repertório da apresentadora.


Pra entender
A Era de Aquarius é uma era astrológica que, teoricamente, começaria na virada do século XX para o século XXI. Hoje em dia, os astrólogos são praticamente unânimes em afirmar que essa era só vai acontecer daqui a muito tempo, em datas que vão do ano 2150 a 2600.
Aquarius seria um tempo de amor, paz e respeito; a representação da fraternidade universal e que proporcionaria um desenvolvimento acelerado em todos os aspectos da nossa vida: intelectual, espiritual, social, cultural, científico e tecnológico.


 A Origem
Aquarius (Xuxa Park) é  versão de uma das músicas mais famosas do musical “Hair: The American Tribal Love-Rock Musical”. A montagem, de fama mundial, surgiu em 1967 e conta a história de um grupo de hippies “cabeludos” que tinham suas convicções políticas e sociais contra a inscrição obrigatória para a Guerra do Vietnã, tudo entremeado com drama, comédia e, claro, um caso de amor impossível.
A canção que só ficava restrita às encenações da peça ganhou o mundo quando o grupo americano The 5th Dimension a lançou como single (em medley com Let the Sunshine In – também de Hair) em 1969. O resultado? Seis semanas como #1 na Billboard Hot 100.



E esse não foi o limite do sucesso. Em 1979 o musical virou filme, que foi indicado ao Globo de Ouro de 1980. A versão utilizada no filme parece ser a que foi a base da versão de Xuxa, afinal toda a base instrumental  é muito parecida com a feita por Galt MacDermot.

A Letra
A composição original de James Rado e Gerome Ragni simplesmente narra quando vai acontecer a era de Aquarius: “quando a lua estiver na sétima casa/ E Júpiter se alinhar com Marte/ A paz guiará os planeta / E o amor governará as estrelas” (em tradução oficial do filme).
A segunda parte da letra se atém às características da era: “Harmonia e compreensão/ Solidariedade e confiança / sem falsidade ou preconceito.” Claramente percebemos que Vanessa Alves e Álvaro Socci não precisaram alterar tanto a letra para lhe tirar o aspecto astrológico e transformá-la em mais uma das canções com boas mensagens de Xuxa.


Só pela curiosidade: Xuxa não foi a primeira a gravar Aquarius em português. O produtor de teatro Altair Lima, em 1969, comprou os direitos do musical e assim o Brasil pode, daquele ano até 1972, conferir a versão brasileira de Hair. A letra de Aquarius, nessa montagem, em nada se parece com a de Xuxa, mas traz a mesma essência.



A primeira menção a Aquarius
Em 1994, no Especial de Natal “Crer pra Ver”, Xuxa faz sua primeira menção a Era de Aquarius. Durante a faixa Nova Era – mais conhecida como O Coração é o Presidente – temos os versos: “Chegou Aquarius, novo tempo, nova era / Que vem como a primavera / Florescendo a longa espera”.


A letra, bem mais consistente que a de Aquarius(Xuxa Park), traz uma importante diferença: aqui a Era de Aquarius já é presente, enquanto na canção de 1999 ela ainda vai acontecer.
A letra de Nova Era é de Álvaro Socci e Cláudio Matta.

A canção-tema do programa
Aquarius (Xuxa Park), como o próprio nome diz, foi pensada para ser o tema de entrada do programa infantil semanal de Xuxa. Na época, a atração passou a ser gravada no Projac. Estúdio novo, cenário novo, nave nova, abertura nova e... música nova!
Já na abertura, em desenho animado, vemos Xuxa chegar ao Planeta X, um lugar colorido, com criaturas diferentes, onde a era de Aquarius já seria realidade. A concepção da entrada de Xuxa no palco é essa.


Na época, algumas matérias impressas noticiaram o novo cenário como “o mais bonito da carreira de Xuxa” e mencionavam a escolha da música de Hair como música-tema. A novidade da abertura também se deu pelo fato do número de pessoas que participavam: uma infinidade de palhaços  – lembram de “Nana Caxuxa” (1991)? “...todos os palhaços do mundo”, mais ou menos isso – acompanhados das Paquitas vestidas como pequenas hippies dos anos 60. A isso tudo some a introdução mais longa da carreira musical de Xuxa e depois de mais de um minuto a nave se abre. Tudo isso aconteceu pela primeira vez em 09/10/1999. Aquarius foi tema do Xuxa Park até 11/11/2000, sendo substituída por Gargalhada.



1999/2000
Virada de ano, de século e de milênio... Uma ocasião assim não passaria em branco. Aquarius fez parte de uma leva de “músicas-pra-mudar-de-vida-porque-o-mundo-vai-acabar”. Tivemos de uma só vez: 2000, Profecias, Aquarius, sem esquecer de Oração do 3º Milênio, lançada em 1997.

E o mundo não acabou... mas a música vazou
Milênio novo, novos ares e Aquarius foi deixada de lado. Entrou pra lista de músicas não lançadas de Xuxa. Em 2007, no extinto Orkut, foi compartilhada uma pasta contendo várias músicas inéditas em CD de Xuxa. Todas com qualidade profissional, nada extraído de TV ou VHS. Aquarius estava entre elas, o suficiente pra muito fã respirar satisfeito.


Já em 2013, Aquarius ganhou um álbum pra chamar de “seu”. A canção foi uma das escolhidas para integrar a lista de faixas do CD “Seleção dos Fãs”, bônus do Box Xou da Xuxa, lançado em comemoração aos 50 anos da apresentadora.




O clipe
Aquarius ganhou um clipe nos derradeiros momentos do Xuxa no Mundo da Imaginação. Na última semana de exibição do programa (dezembro/2004), pudemos conferir um vídeo bem simples que consistia no elenco do programa e Xuxa, claro, vestidos com as famosas perucas Black Power, batas e calças boca-de-sino num fundo branco. Nem pareceu clipe de tão descompromissado, mas serviu como registro “oficial”.


Se estamos mesmo vivendo a Era de Aquarius não sabemos, mas certamente podemos afirmar que ter Xuxa cantando um clássico da Broadway era algo tão utópico quanto  o mundo imaginado pelos compositores da canção original, mas virou realidade. Sonhos sempre vêm pra quem sonhar... florescendo a longa espera.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...