sexta-feira, 9 de outubro de 2015

A Turma da Xuxinha

Por: Leandro Franco

Pelos caminhos do céu, os anjos podem brincar... de voar
Pelos caminhos do chão crianças podem sonhar e chegar mais perto de realizar!
A inocência pode ver, quase sem querer, muito além do seu olhar...

Uma criança ou uma anjinha? A Xuxa-criança ou só mais uma baixinha? Dúvidas como essa eram comuns há 18 anos, quando surgiam os primeiros traços da Xuxinha, a personagem criada para eternizar o nome de Xuxa no universo do desenhos animados.



Xuxinha tem a origem um pouco confusa pois ela nos foi apresentada "oficialmente" em duas situações distintas. Confuso também foi definir, inicialmente, qual seu ambiente e seus amiguinhos, mas hoje isso já não é mais dúvida.


Xuxinha, que foi criada pelo desenhista argentino J. Isaac Huna em parceria com os diretores da Agência Cor & Arte, não foi pensada como uma anjinha da guarda, assim como também não tinha relação com o Txutxucão, a Bila Bilu ou os ratinhos coloridos do XSPB. Ela é anterior a tudo isso. Isaac contou, em 1998, à revista Super Legal como nasceu a personagem:

Isaac posa ao lado dos diretores da Agência Cor & Arte, Henrique e Ana

Aproximadamente em março de 1996 eu me encontrava em uma encruzilhada na minha vida profissional. Fazia pouco tempo que tinha fechado minha editora e praticamente estava retomando minhas atividades de desenhista e produtor editorial. Lembro que naquela época as perspectivas profissionais não eram nada positivas, e saiu uma notícia na imprensa de que Xuxa estava analisando a possibilidade de ter seu próprio canal de TV por assinatura, só com programação infantil. Eu achei interessante, e pensei: "Um projeto desse porte pode gerar muitas oportunidades".  Foi aí que tive a ideia de enviar uma carta para Marlene Mattos, me oferecendo para colaborar com seu novo projeto, fosse como ilustrador, desenhista, roteirista.  Imagina, a Xuxa Produções recebe centenas de cartas todos os dias! A minha seria uma a mais. Decidi, então, procurar outras maneiras, sendo mais objetivo. "Por que não uma Xuxinha?", pensei. Obviamente naquela época não sabia que a Marlene Mattos estava procurando a criação da Xuxinha através de vários desenhistas, e que até aquele momento ninguém tinha conseguido chegar perto do que ela e a Xuxa imaginavam. Fiz quatro desenhos de estilos diferentes representando a Xuxinha e os enviei para a própria Marlene. Dias depois ela entrou em contato comigo. E aí teve início essa história.


Se foi em 1996 que os esboços começaram, foi em 1997 que vimos Xuxinha pela primeira vez. O Xuxa Park, programa semanal da apresentadora, estreava seu novo cenário em 04 de abril daquele ano e Xuxa, empolgada, mostrava tudo ao câmera. Quando a filmagem foca o que ela está falando podemos ver uma Xuxinha pintada nas colunas do cenários,  bastante diferente da que conhecemos hoje. 


A personagem não é mencionada e passaria como apenas mais desenho de cenário se não fosse o ano seguinte. Em 1998, no programa especial de Dia das Mães, Xuxa exibiu, orgulhosa, o desenho de apresentação da Xuxinha e foi a partir daí que começamos a nos familiarizar com a história da anjinha que virou menina.


A essa altura Isaac já tinha preparado todo o universo da Xuxinha, cerca de 23 personagens estavam criados e também não havia nenhuma relação com "anjinhos da guarda". Xuxinha estava inserida num grupo de crianças, entre elas, Guto - nosso conhecido -, que foi inspirado no filho de Ana Desmet, Augusto.


Sim, Xuxinha teria uma turma própria com uma gama de personagens que sequer chegaram ao conhecimento do público. Até mesmo Paquitinhas existiam. Isaac apresentou a "família" à Marlene e à Xuxa Produções, mas somente Guto, o cãozinho Hércules e a abelhinha Zig Zig Foram aproveitados.


Já existia uma turminha, encabeçada pelo mascote Xurumelo (já falamos disso aqui), a tarefa agora era inserir os novos personagens. Xuxinha era nova, mas também devia ser a principal, por razões óbvias. Após a Xuxa Produções comprar os direitos da turma da Xuxinha de Isaac e sua parceira Ana Desmet, iniciou-se o processo de familiarização do público com a personagem. Quem não se lembra da linha Baruel Baby Turma da Xuxinha, a bicicleta ou os bonecos de latéx? 



Xuxinha estava em tudo: de roupas infantis à mamadeiras, passando por fraldas, álbuns para fotos, cadernos, bonecas e uma vasta galeria de produtos. A linha de produtos de higiene infantil, o mais bem sucedido lançamento com a Xuxinha, teve até mesmo um lançamento com a presença da própria Xuxa em São Paulo. Mais uma vez deixava-se claro: Xuxinha não era a Xuxa criança.


"Xuxinha não é um retorno à infância da apresentadora, mas apenas a representação de uma criança saudável, sapeca, de bem com a vida e envolvida em situações que mexem com o público infantil." ( O Globo em 27.03.1998)


O programa infantil da loira também abriu as portas para a personagem. Vinhetinhas de 12 segundos fechavam os blocos do programa com a Xuxinha dando conselhos de bom comportamento. 




Falando nisso, foi no programa que Xuxa, orgulhosa, exibiu a origem da Xuxinha: um desenho animado de aproximadamente 10 minutos apresentava como Xuxa conheceu sua anjinha da guarda e como essa mesma anjinha se transformou em menina. A concepção de Xuxinha como anjinha foi da própria Xuxa, que enfrentou uma maratona de 5 horas de gravação para aparecer pouco mais de 3 minutos no desenho animado. Na história, Xuxinha se atrapalha e acaba se revelando a sua protegida, que "guarda" suas asinhas num cofre forte para que a anjinha vire menina e possa viver suas aventuras.




No final temos a primeira inserção de Xuxinha com os personagens Xurumelo, Zig-Zig, Monstrocão e um alegre Jacaré. O desenho, já a cargo dos ilustradores Reinaldo Waisman e Haroldo Guimarães, custou cerca de 8 mil dólares.



A essa altura Isaac já não mais fazia ilustrações da Xuxinha e nem opinava no desenvolvimento da personagem, entretanto ele e sua parceira Ana ainda recebem os créditos pela criação e podemos ver seus nomes em tudo que é lançado com o tema. "A partir do momento que eu vendi os direitos, ela (Xuxa Produções) poderia fazer o que desejasse com a personagem. Eu não interferi de maneira nenhuma".



O ilustrador, que hoje trabalha como produtor de TV e Cinema, conversou com o blog e relembrou alguns fatos como a exposição de 2012 onde havia uma parte dedicada à sua famosa criação:
"A exposição aconteceu em Jaraguá do Sul/SC, com a curadoria da escritora e jornalista Sonia Pillon. Foi a 1ª exposição dos meus trabalhos no Brasil. Alguns desenhos da Xuxinha não são meus, mas serviram para ilustrar a minha exposição."




Com a identidade e turma bem definidas, a anjinha de guarda da Xuxa virou menina e iria viver suas aventuras ao lado de Guto, Xurumelo, Zig Zig e o cãozinho Hercules (Monstrocão não apareceu mais).


O universo da garotinha loira foi muito mais além do que o de qualquer outro personagem infantil relacionado a Xuxa: o próprio longa metragem.


Para a estreia nos cinemas Xuxinha foi "modernizada", ganhou novas formas, ficou mais "gordinha" e acabou ganhando nova história também. Agora Xuxinha já não é mais anjinha da guarda de Xuxa e só vira menina pra poder salvar Guto, seu outro protegido, de uma doença contraída com a poluição de um rio. 



Saem definitivamente do universo Xuxinha: Xurumelo, Hércules e Zig Zig e entram Txutxucão - já fazendo a ligação com o projeto XSPB -, Jonas (um amiguinho de Guto) e seu anjinho de guarda, Gabriel, os pais de Guto (que vão adotar a menina Xuxinha) e o velho Benedito.


Se a origem "oficial" agora era essa, a turminha ainda não era. Em 2013, Xuxinha passou a ser oficialmente ligada ao universo XSPB, o que é coerente, pois é o que permanece ligando Xuxa aos pequenos. Nos lançamentos, como a revista de pintar, a menina agora se diverte com Bila Bilu, Txutxucão, os ratinhos coloridos e o polvo Teddy, além dos personagens do filme.


Se a ambientação do universo de Xuxinha foi confusa, definitiva foi sua aceitação pelos baixinhos. A personagem é forte e cumpre bem o papel de ser atemporal. Os vídeos do XSPB deixaram bem claro para os pequenos que ela não é a Xuxa do passado. O que para um "altinho" poderia ser a referência à Xuxa - as xuquinhas-, para as crianças da geração XSPB é só mais um penteado, afinal elas já conheceram a Xuxa de cabelos curtos.




Comentários
1 Comentários

Um comentário:

Unknown disse...

Muito boa e interessante essa análise. Conta em detalhes todo o processo de criação até chagar na introdução da personagem, além das várias trocas de personagens da turma.
Me lembro que na época do "Xuxa Park", a Xuxa também interagia com fantoches da Xuxinha e do Guto, além de vinhetas com os personagens masculinos da turminha quando os meninos ganhavam o programa do dia no placar geral, ou os femininos quando as meninas ganhavam.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...