sábado, 9 de janeiro de 2016

Filme: Xuxa e Os Trapalhões em O Mistério de Robin Hood

Por: Leandro Franco

Da Arca de Noé a Star Wars, passando pelo Mágico de Óz, não se pode negar o quão diversificada é a imaginação de Renato Aragão para adaptar histórias famosas ao seu tipo de humor. A última adaptação de uma história estrangeira dos Trapalhões aconteceu há 25 anos e o herói escolhido foi o “Príncipe do Ladrões”, Robin Hood. E toda história de príncipe tem que ter uma princesa (no caso uma Rainha)...


Em sua extensa filmografia, Renato contou com a participação de Xuxa como convidada especial em três dos seus filmes: O Trapalhão na Arca de Noé (1983), Os Trapalhões e o Mágico de Oróz (1984) e Os Trapalhões no Reino da Fantasia (1985) – todos filmes da época em que Xuxa estava à frente do Clube da Criança. Com o sucesso da loira no auge do Xou da Xuxa, a apresentadora deixou de ser convidada e passou a ser também produtora dos dois próximos filmes em que atuou e, claro, seu nome passou a fazer parte dos títulos: A Princesa Xuxa e Os Trapalhões (1989) e Xuxa e Os Trapalhões em O Mistério de Robin Hood (1990).


A História
Renato adaptou a famosa história do herói inglês para a atualidade. Saem a floresta, Lady Marion e o reino injustiçado pelo monarca tirano e entram o circo, a filha do mágico – Tatiana –  e uma quadrilha de contrabandistas.
O herói é a identidade secreta do vagabundo Didi que conhece a bela Tatiana (Xuxa) quando o circo do qual ela faz parte resolve se estabelecer bem em cima de seu esconderijo. 


No meio do amor  ainda não correspondido, o vagabundo conhece a menina Rosa (Duda Little), que inicialmente parecia ser um menino de rua, mas depois descobre-se que foi sequestrada por Gavião (Eduardo Eduardo Dolabella) e sua quadrilha. Gavião pode ser considerado o maior inimigo de Robin, afinal é dele que Robin “rouba” o dinheiro – de origem ilícita – para dar a quem precisa.


Se o Robin inglês tinha seus amigos da floresta, o Robin do Rio de Janeiro  contava com os atrapalhados funcionários do circo, Fredo (Dedé) e Tonho (Mussum), para dar uma quebrada no clima mais sombrio do filme. A propósito as cenas mais engraçadas ficaram por conta dessa dupla e de um certo Moleque... (sabem a história dele? A gente já contou aqui).


Lançamento e Bilheteria
Xuxa e Os Trapalhões em O Mistério de Robin Hood foi lançado em 14 de dezembro de 1990. Se Robin pudesse, achamos que ele não ia querer partilhar só o dinheiro ilícito dos poderosos, ia querer partilhar a bilheteria do cinema também. Afinal a concorrência foi pesada: Sonho de Verão (Sergio Mallandro, Paquitas e Paquitos), o blockbuster Esqueceram de Mim e a animação da Disney A Pequena Sereia disputavam com o herói o espectador mirim. Mesmo com tanta pressão o filme não fez feio e levou 1.280.000 pessoas ao cinema, sendo 360 mil foram contabilizadas na estreia. 



Divulgação
No dia da sua estreia, o longa foi divulgado no Xou da Xuxa, com a participação dos Trapalhões. No mesmo vídeo, podemos ver uma matéria de um telejornal local sobre o lançamento do filme em um cinema do Rio de Janeiro.


Em seguida, foi a vez de Xuxa participar do programa dos Trapalhões para promover o filme.



O Vídeo Show exibiu na época do lançamento uma matéria com algumas imagens de bastidores do filme. 



Função Social
Como falar de um herói que se preocupa com os necessitados e não fazer o mesmo? Para a estreia, Xuxa organizou  uma campanha onde era possível receber o ingresso em troca de um caderno, um lápis e uma borracha. A campanha teve como palavra de ordem a alfabetização e todo o material arrecadado foi repassado à escolas carentes. Xuxa falou sobre isso em entrevista ao Globo de 14/12/1990:



Em conjunto com o Ministério da Educação e com o Programa Nacional de Alfabetização e Cidadania, os produtores organizaram esta arrecadação de material escolar, que será repassado para as escolas carentes.
A apresentadora já ofereceu ao Governo o uso de seu nome e sua imagem em qualquer tipo de campanha social e continua firme em seu propósito.
- Sempre estive à disposição para participar de todo e qualquer tipo de campanha de saúde ou educação ligada às crianças. O problema é que eles nem sempre querem alguém que trabalhe de graça. Preferem escolher quem cobre bem caro, para o dinheiro circular pela mão deles. Os Ministros Carlos Chiarelli e Alceni Guerra me parecem muito sérios, porém um homem sozinho não consegue modificar toda uma estrutura. É um absurdo que a política da criança tenha que passar por esse esquema viciado - esbraveja.

VHS e DVD
O filme foi lançado em VHS meses depois de seu lançamento. O lançamento em DVD só ocorreu no ano de 2008, ano em que a Distribuidora Europa decidiu lançar todos os filmes dos Trapalhões em DVD.  Até então somente Arca de Noé, Mágico de Oróz e Princesa Xuxa haviam saído nesse formato  (consideramos só os que Xuxa participa, ok?).


A apresentação da edição em DVD foi caprichada, com direito a luva recobrindo a caixa do DVD, porém suprimiram o início do nome, restando somente “O Mistério de Robin Hood” e o nome de Xuxa passou a ser apresentado como uma mera participação especial, no rodapé da capa.


Se externamente a qualidade estava interessante, não se pode dizer o mesmo das imagens. Imagens escuras e tremidas que não fazem jus a um processo de digitalização decente. Pelo menos o menu ficou razoável. Não há conteúdo extra.


Curiosidades
* Foi o último filme de Xuxa com Os Trapalhões e o penúltimo do trio. A ausência de Zacarias foi lembrada por Xuxa em matéria do O Globo:


— Meu personagem no filme foi um grande presente que o Renato me deu. Ter a possibilidade de viver um personagem completamente diferente dos que já tinha vivido. Só senti muita falta do Zacarias, foi a primeira vez que trabalhei só com os três e não com os quatro Trapalhões.
* Pouco depois da perseguição de Robin Hood pelos bandidos de Gavião, um dos capangas vai até seu chefe entregar a ‘pista” que Robin tinha deixado cair. Reparem que o papel estava amassado e ao ser entregue a Gavião está lisinho, sem marca alguma. Papéis Robin Hood, os únicos que se desamassam sozinhos.


* Deslize maior fica por conta do estranho fato de que quando não é mostrada o rosto do vilão Gavião a voz é feita por outro ator, Márcio Seixas - famoso dublador. Se pelo menos as vozes fossem parecidas...


* Para compor Tatiana, Xuxa adotou a permanente em seus fios louros e se mostrou empolgada com o visual da personagem, como conta em entrevista ao Jornal O Globo:

Minha personagem principal, a Tatiana, não usa mais minissaias o tempo todo. Resolvi mudar um pouco desta vez. Meus cabelos estão com permanente nas pontas e uso saias longas. Meu outro personagem é surpresa e só digo que foi um presente do Renato.



E foi por conta desse visual  que Xuxa apresentou alguns programas com os cabelos anelados. 


* A direção do longa é de José Alvarenga Jr, o mesmo diretor de Princesa Xuxa e os Trapalhões. Talvez por essa razão encontremos semelhanças incríveis em cenas dos filmes, como a do confronto herói x vilão x mocinha acuada.




Alvarenga, botafoguense declarado, é famoso por sempre fazer menção ao seu time de coração nos filmes que produz. Foi assim em Princesa Xuxa e também nos créditos de Robin Hood onde Xuxa – flamenguista – aparece vestida de Moleque e com uma camisa do Botafogo, fazendo o número três com os dedos; referência ao bicampeonato do time no Campeonato Carioca de Futebol - "rumo ao tri".


* Entre as fotos divulgadas do filme há uma foto onde Xuxa e Renato estão montados em um cavalo, mas não há essa cena no filme. Quando Didi sonha com Tatiana como sua Lady, ela está sozinha em seu cavalo e ele no dele.


* Falando em fotos, a Contigo gostou tanto de ver Xuxa pensativa e vestida de Lady Marion que usou a foto em duas ocasiões distintas e totalmente sem relação nenhuma com o filme.
A primeira vez  numa matéria sobre a “solidão” de Xuxa, em 1992 – tema recorrente nas revistas da época – , e depois em 1994, desta vez como capa, para falar do falecimento de Ayrton Senna.


* O filme foi apresentado pela primeira vez na TV (Rede Globo) em 04/02/1993, pouco mais de dois anos após sua estreia.

Não podemos deixar de ressaltar o que é o diferencial do filme: Moleque! Foi a coroação do personagem, sem dúvida. Uma pena que não tenha ido muito mais além.



E o que dizer da super-hiper-ultra- transformação a jato do final do filme? Nem se juntássemos Niely Gold, Embellezze, Wella, Koleston, Edson Freitas e toda a equipe do quadro Transformação teríamos um resultado tão digno!


Definitivamente a era “Xuxa e Os Trapalhões” fez história, deixou saudade e nos mostrou o que uma linda Extraterrestre, uma professorinha do interior, uma corajosa freirinha, uma Princesa e uma artista circense moleca têm em comum...
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...