terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Programa Xuxa Meneghel #22 - 18/01/2016

O 22º Xuxa Meneghel marca o fim das edições totalmente produzidas pela Rede Record, que a partir da semana que vem passam a ser assinadas pela produtora Casablanca, em parceria com a emissora. Apesar de ter sido o último programa a ser exibido, curiosamente esse foi o primeiro a ser gravado – no dia 07 de outubro de 2015 – um mês antes de começarem as gravações por conta do arrendamento dos estúdios do Rec Nov. Na época da gravação, o programa foi chamado de "stand by" - programa reserva que pode ser exibido a qualquer momento quando por algum motivo não há nenhum outro para ser exibido.

A atração teve início com uma entrevista feita na casa do apresentador Marcelo Rezende – gravação recente. Pela primeira vez, Xuxa visita a casa de um artista de sua nova emissora para um bate-papo - algo comum nos tempos do TV Xuxa. A loira ficou muito a vontade durante a conversa e fez algumas confidências que repercutiram na mídia. Algumas “adaptações” foram testadas nessa externa:  os quadros "Conto de Fadas" e "Meias Verdades" (exibido uma única vez no 8º programa) tiveram uma microedição encaixada na entrevista.  Sem a reação da plateia e com uma edição clipada, os quadros perdem bastante a força, mas não deixam de ser interessantes, especialmente porque Xuxa sempre os faz assim com suas próprias declarações.


Após a entrevista, tivemos a grata surpresa de ver Xuxa novamente usando seu mezanino numa espécie de abertura ao som do funk do convidado. Foi bom revê-la dançando bastante e interagindo com a plateia – momentos que foram abandonados desde que optaram por iniciar o programa com a matéria externa. Aliás, o programa de ontem em muito se assemelha às primeiras edições do Xuxa Meneghel: Xuxa interagindo mais com a plateia (seja dançando, atravessando as fileiras ou conversando com os participantes).


MC Sapão foi o convidado musical principal pela segunda vez. Ele já tinha se apresentado no programa de 05 de outubro. O moço é simpático e sabe animar a plateia e sobretudo, a apresentadora que vai “até o chão” no passinho do funk.


Tivemos ainda a dupla Yago e Santiago que não é lá muito conhecida, o que é perdoável diante do infinito número de duplas sertanejas que povoam o país nos últimos tempos.  Os rapazes se mostraram ágeis a imitar outras duplas (bem) mais famosas. Foi inevitável não lembrar de outra dupla que faz a mesma coisa no programa: Marcos e Belluti (aqueles do “1% é vagabundo”), até porque foi usada a brincadeira da Roleta Musical novamente.


Falando em brincadeiras, esse foi o programa delas. Quem tava na plateia não pode reclamar. Teve “Pega o Dudu”  que havia sido mostrada no programa #5 (sem a presença de Xua) e uma outra de pegar bolinhas um com vaso grudado na cabeça, que lembrou bastante as brincadeiras da primeira fase do Xuxa Park (1994). Xuxa se diverte mais que a gente que tá em casa , mas dá pra relevar quando se ouve a loira brincando de se autorreferenciar: “Quem vai ganhar? Menina ou menino?” ou o clássico “Quer mandar beijo pra quem?” . Nostalgia na medida certa. #XoudaXuxa30Anos

O Toc Toc foi mediano. O quadro depende exclusivamente da reação do visitado e, claro, funciona bem mais quando temos a reação que imaginamos que uma pessoa que se diz fã encontra a Xuxa.  A XUXA, gente! A XU-XA!!! O diferencial ficou por conta do trabalho social que a moça da vez fazia com crianças, o que tornou a visita mais interessante pra ela: além de conhecer a XUXA, ainda teve uma ajuda com o projeto que desenvolve junto às crianças carentes. É justo... Xuxa também nos ensinou isso.


O Xuxa Meneghel #22 fechou o ciclo dos programas de 2015. A própria Xuxa já disse que mudanças acontecerão.  Foram cinco meses de acertos, erros, tentativas.  Para muitos os erros vieram em número bem maior, choveram críticas, insatisfação e intolerância. A audiência patinou, principalmente com o início da leva de programas gravados. Xuxa tem um longo caminho pela frente, seu público é exigente e ela sabe disso.

“Tem vezes em que a gente diz assim no Réveillon: ‘Ah, este ano promete’. O meu será um ano de grandes decisões e mudanças – e sem chances de errar! Já com 53 anos não dá mais para esperar. Tem que acontecer!” (Em entrevista à Contigo, novembro de 2015)
Que venha o Xuxa Meneghel 2016!
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

Anônimo disse...

Não alimento nenhuma expectativa boa.
Tive contato com uma pessoa que se demitiu da equipe do programa após seis meses e pude constatar:
A Xuxa é a principal responsável pelo fracasso do programa. (Como fã, é horrivel dizer isso)
Ninguém consegue evitar: a vontade dela sempre tem prioridade, e qualquer ideia inovadora e ousada da equipe é barrada porque ela simplesmente não gosta. O primeiro programa foi o que a equipe teve mais autonomia, mas, ainda assim, o diretor não tem autoridade porque pra ele, tem que ser tudo como a Xuxa quer e manda. E Xuxa quase nunca aceita nada.
Além do mais, o trabalho na Record é todo fiscalizado pelos bispos. Eles vetam desde as drags que a produção levou um dia ao
Programa até a vinheta do Conto de Fadas.
A equipe é extremamente pequena.
Os patrocinadores foram quase todos embora.
E eu, estou seriamente decepcionado com meu ídolo.

Paulo César disse...

Sou fã da Xuxa. Mas cheguei à conclusão que gosto do trabalho dela só voltado para as crianças mesmo.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...