quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Revista da Xuxa: Edições 1, 2 e 3

Por: Leandro Franco


A partir de hoje, vocês poderão acompanhar aqui no Xuper Blog resenhas das edições da Revista da Xuxa e fazer o download de cada uma delas. Vamos abordar da forma mais completa que conseguirmos as curiosidades, as referências das histórias e as características dos personagens ao longo desses posts especiais.  Tentaremos manter o número de 3 edições por post e disponibilizaremos um arquivo pdf de cada número nas respectivas postagens. Embarquem conosco nessa viagem ao passado, relembrem ou conheçam cada aventura da Xuxa dos quadrinhos e sua turma.



A número 1
“XEGUEI” ... assim mesmo, com X, Xuxa  chegou pra fazer “história” nas Histórias em quadrinhos.
Depois de uma bem arquitetada estratégia de lançamento da sua revistinha em quadrinhos (que a gente mostrou aqui) chegou a hora de dar o primeiro passo, o oficial, rumo ao universo dos gibis. A Revista da Xuxa n.1 chegou ao mercado em dezembro de 1988 com a missão de disputar de igual pra igual a atenção dos leitores mirins, que já estavam acostumados com a Turma da Mônica, Os Trapalhões, personagens da Disney...

Clique aqui para download da versão digitalizada da revistinha nº 1

Com uma tiragem de 700 mil exemplares, a n.1 tinha um propósito: deixar bem claro: “existe Xuxa nas bancas, pessoal. Sabe a Xuxa de todo dia de manhã? Tem revistinha dela na banca”.
Por essa razão a capa foi  simples e objetiva: foco no rosto de Xuxa, fundo branco, nenhum outro personagem e o “XEGUEI” em letras tão grandes quanto o próprio nome da apresentadora.



Ao longo de 5 histórias, podemos conhecer como será o universo Xuxa nos quadrinhos: muitas viagens espaciais, muita dificuldade em encontrar o paquera ideal e claro, muitos amigos dividindo essas aventuras. A primeira história nos apresenta os quatro baixinhos mais próximos de Xuxa: Angel, Leninha, Mumu e Paulista. Todos quatro personagens surgiram a partir da inspiração em pessoas reais: Angel e Leninha são irmãs. Angel é a irmã boazinha, enquanto Leninha é a irmã nervosinha, mal humorada mesmo. Não precisamos dizer mais nada, certo? Angel Mattos e Marlene Mattos. 


As referências vão desde o temperamento de cada uma até os cabelos anelados. Leninha é dona do bulldog Bruce e Angel da cachorrinha Xinha. Mais referências... Quem não se lembra de Xuxa contando no Xou da Xuxa sobre Xinha que chorava cada vez que a nave ia embora ao final de cada programa?


Já sobre Bruce não temos conhecimento de algum bulldog de Xuxa com esse nome, o cachorro leva características de Leninha: os óculos e o humor nada agradável.



Paulista é como se o supervisor da Revista da Xuxa e então ilustrador/desenhista da Xuxa Produções, Reinaldo Waisman, se transformasse em baixinho de novo. Possui um lápis mágico que permite que seus desenhos ganhem vida. Os cabelos loiros encaracolados e os olhos mais arregalados são características aproveitadas no personagem.



Mumu foi inspirado no sonoplasta da Rede Globo,  o My Boy, especialmente no programa Xou da Xuxa.


Todo mundo se lembra de Xuxa chamando Mumu durante a brincadeira da Dança das Cadeiras, onde o rapaz tinha que ligar e desligar a música pras crianças sentarem nos cogumelos-cadeira.


Esses baixinhos já tinham dado as caras na número Zero. Quem aparece pela primeira vez é a fiel escudeira de Xuxa, a querida Maria. A senhora que cuida da casa e de Xuxa desde muito tempo também ganhou sua versão em quadrinhos. Nessa primeira aparição ainda há uma “confusão” no seu visual: ela aprece loira, em outras histórias aparecerá morena, depois loira de novo, mas na ficha da personagem, ela aparece morena. Vamos deixar perfil dela mais pra frente, ok?


Essa confusão de cores vai afetar muitos personagens ao longo da existência do gibi. O Dengue, por exemplo, aparece com a cabeça amarela em umas histórias e verde em outras.



Outra que dá o ar da graça (será mesmo?) pela primeira vez é a arqui-inimiga de Xuxa nos quadrinhos: Mocreia Fantástica. Num traço totalmente diferente e que não será mais visto nas edições posteriores, a invejosa moça já chega causando confusão. Sarcástica como só ela, a aspirante a apresentadora vai dar trabalho à nossa loira. E é nesse primeiro embate que descobrimos que Xuxa tem xuquinhas com super poderes!


Curiosidade: o moço que faz o coração de Xuxa balançar na primeira história não lembra bem o Junno? Coisas do destino? Madame Caxuxá saberia responder...



Um dos anunciantes da edição foi a Mimo, que apresentou a primeira coleção das Xuxinhas. Muita saudade, não é?


Edição  2


Clique aqui para download da versão digitalizada da revistinha nº 2

Começando o ano de 1989, a edição de janeiro nos apresenta Tupinixim, o amigo índio de Xuxa. Não sabemos se Xuxa realmente tinha um amigo índio de verdade nessa época, mas sabemos da sua preocupação com a natureza e com o povo indígena, assim como sabemos do sucesso da música “Brincar de Índio” (1988). Tupinixim nos é apresentado em seu traço definitivo, já que na edição ZERO ele aparece totalmente diferente. Comparem:

À esquerda, a primeira aparição de Tupinixim, na edição zero, com traços bem diferentes.
À direita, Tupinixim na história "O Monstro do Mau Humor", publicada na 2ª edição.

Aparecem ainda, também pela primeira vez, o “faz-tudo” Samuca, o pajé Paxuxo, o baixinho fortinho e “protetor” de Xuxa, Jesus, o cavalo Apolo e o Tucano Tuca. Desses, o menos expressivo é o Tucano Tuca, que não vai acrescentar em nada nas histórias. Talvez tenham deixado o personagem de lado. Falaremos desses outros personagens  mais pra frente, ok?

A partir dessa edição começam a ser publicadas fichas com o perfil dos personagens. A “estreia” fica por conta das Paquitas em seu primeiro time: Paquita, Xiquita, Pituxa e Catuxa. Notem o uniforme ao estilo do primeiro ano de Xou da Xuxa: cores invertidas para chapéu e blusa.



Curiosidade: mal estreou a revista e diferente do que acontecia em seu Xou, já temos Xuxa “repetindo” seu figurino nas histórias, o que reforça a ideia de que já havia uma espécie de catálogo com os figurinos a serem usados. Não era simplesmente pegar as roupas da TV e passá-las para o gibi. Havia uma lista de opções e era bem limitada.

À esquerda, um quadrinho da edição 1. Já o quadrinho da direita foi publicado na 2ª revistinha: figurino repetido!
A primeira história desse número faz uma propaganda e tanto do disco Xou da Xuxa 3, lançado no ano anterior. Várias músicas são cantadas para “enfrentar” o vilão da aventura. Tá certo... quem canta, seus males espanta.

Página da histórinha "O Monstro do Mau Humor"


Edição 3
A terceira edição saiu no mês de fevereiro, por isso sua capa traz uma Xuxa carnavalesca.

Clique aqui para download da versão digitalizada da revistinha nº 3

Aliás, o tema Carnaval também é o da primeira história, que faz  uma referência ao carnavalesco Clóvis Bornay (falecido em 2005), famoso por criar fantasias de luxo para a folia.
Na seção Correio da Xuxa, uma baixinha sugere que seja feita uma boneca de papel da Xuxa e que haja a possibilidade de se trocar a roupa dela. È... a menina teve uma boa ideia, afinal foi exatamente isso que trouxe o número 1 da Revista de Montar da Xuxa, lançada no segundo semestre de 1989.


Na última historinha da edição, um candidato ao coração da loira se declara “gosto de você pacas!”. Coincidência de novo?


Não é assim que Junno já se declarou à Xuxa em entrevistas como a do Carnaval de 2013 para a TV Caras?


O anunciante da vez foi a Faster, responsável pela fabricação do Tênis da Xuxa.


E foi nesta edição que os leitores receberam o primeiro brinde oferecido pela revista: um pôster com o perfil dos personagens no verso e um super desenho da Xuxa e os personagens mais importantes na frente. Presentão!




Nosso próximo papo será sobre as edições 4, 5 e 6. Até lá!
Comentários
3 Comentários

3 comentários:

Christiane Sousa Sousa disse...

Amei esses gibis leandro franco isso so faz lembrar a minha infância quantas saudades e estou feliz por ter baixado esses gibis e ja lir e relir guando e que vai ser lançado os outros o 4,o,5,e,o,6?????

Matheus Santos disse...

Adorei e vou adorar acompanhar cada detalhe desse gibi que marcou a minha vida.
Que venham as resenhas das próximas edições.

Lilia disse...

A Revista de Montar com a boneca de papel da Xuxa, Dengue, e Praga está à venda no Mercado Livre. Preço lá em cima, mas parece ser muito rara. Queria muito a edição que trouxa a nave para montar.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...