quinta-feira, 10 de março de 2016

Revista da Xuxa - Edições 16, 17 e 18

Por: Leandro Franco

Uma seção da Revista da Xuxa que parece que deu certo de verdade – tanto que ganhou mais duas páginas desde a edição n.12 – foi a de Dicas Pros Baixinhos. Os assuntos vão desde como montar seu carrinho de rolimã à faça um frufru e prenda seu cabelo, passando pela máscara do Praga e a prática de esportes. Nesse embalo, o Xuper Blog também vai dar sua “Dica Pros Baixinhos (ou Não-Tão-Baixinhos-Assim)”.



1. Role a página, procure as capas das edições 16, 17 e 18. Baixe o arquivo de cada uma, leia atentamente, depois volte ao nosso texto e acompanhe nossas percepções e curiosidades. Achou algo que não falamos? Corre contar pra gente.
2. Mostre para os amigos, compartilhe nas redes sociais e faça mais gente ter a sensação única de voltar no tempo e reviver as aventuras de Xuxa e sua turma no mundo dos quadrinhos.




Edição 16

Clique aqui para download da versão digitalizada da revistinha nº 16

A edição de abril de 1990 veio cheia de adaptações e referências de histórias já conhecidas pelos baixinhos. A primeira história, “Um Presente das Arábias”, buscou na fábula de Aladdim e sua lâmpada mágica a base de seu enredo. Xuxa e Pituxa vivem essa aventura por conta de um presente para Dengue.



Já o famoso conto do Flautista de Hamelin virou o “Flautista de O’Melete” e, claro, só podia ser o Moderninho o protagonista.




Ao Dengue coube a função de encarnar o Rei Midas moderno, aquele que transformava em ouro tudo que tocava. O curioso é que nessa história do Dengue, o “poder” vem de um gênio também, como o da história do Aladdim . Na história original, Midas recebeu o dom do deus Baco.

Depois de tanta adaptação de histórias antigas, temos uma história novinha em folha para um personagem novinho em folha também. O papagaio Painho deu as caras pela primeira vez e já ganhou uma aventura só sua. 


Pra quem não ligou o nome às penas, Painho era o papagaio da Vovuxa, no quadro do Clube da Criança (Rede Manchete) e Xou da Xuxa (Rede Globo).


Correio da Xuxa... ah, esse sempre traz pérolas. O destaque fica com a garota que parecia ter uma paixonite pelo Tupinixim e também pediu um pôster EM RELEVO (exigente, não?) da Xuxa com o Pimpo. E Xuxa, claro, respondeu que a sugestão do pôster dela com o XUXO estava anotada! Oi? Mas não era o Pimpo, Xuxa? Sem problemas, nunca aconteceu mesmo... independente do cachorro.


Uma das Dicas Para os Baixinhos era pra ensinar a menina-moça leitora de cada dia a ter lindos cabelos ondulados. Uma dica infalível se você sempre quis ficar bonita assim:


E a segunda leva de Xuxinhas da Mimo era mais uma vez anunciada no gibi, deixando as baixinhas em polvorosa. E agora tinha boneca até das Paquitas!


As fichas dos bichos seguiam encartadas no final da revista. Duas por edição e assim será até o último mês de publicação da revista.



Edição 17

Clique aqui para download da versão digitalizada da revistinha nº 17

Já ouviram falar em versão demo de uma música? As versões demo são as versões “teste” levadas para uma gravadora que vai decidir se aprova a música ou não. E versão demo de uma capa de gibi? A gente não pensava que existisse até reparar na propaganda da edição 17 que foi veiculada em todas as revistinhas em quadrinhos da Editora Globo no mês de maio de 1990:



Existem sutis diferenças entre a capa do anúncio e a capa que foi para as bancas e como uma boa parte das cartinhas do Correio da Xuxa pedia a inclusão de passatempos no gibi, resolvemos brincar com isso e criar nosso Jogo dos 7 Erros. Você é bom observador? Prove!


Estava com saudade de viagens espaciais com a Nave da Xuxa? A história que abre o gibi faz uma ligeira referência ao filme Alien, o 8º Passageiro (1979). Claro que nada é tão tenso e assustador como no filme de Ridley Scott, mas num dos diálogos Praga dá a deixa...



Além disso outros elementos como a mensagem codificada, a nave alienígena abandonada e claro o inesperado passageiro que invade a nave dos “mocinhos”, aterrorizando-os.








As referências não pararam por aí, o Praga teve a companhia de ninguém menos que o Batman (ou Bátima, como ele diz). Batman já era veterano nos gibis e TV, mas fazia pouco tempo que sua versão cinematográfica havia estreado no Brasil (foi em outubro de 1989) e foi responsável por reacender o interesse do público pelo homem-morcego claro que a equipe de criação não ia desperdiçar isso.


ETs, Heróis, faltava o que mais? Um popstar! Precisamente o Rei do Pop. As Paquitas foram as felizardas em “contracenar” com Michael Jackson. Curiosamente fizeram isso antes de Xuxa, já que ela o encontrou somente em 1992, na Espanha, e também bem antes da vinda dele ao Brasil em carreira solo, o que aconteceu em 1993.


Não sabemos porquê desperdiçaram a chance de colocar Xuxa como protagonista dessa história, afinal ela sim é fã de verdade!


No Correio da Xuxa, as atenções se dividiram entre “cadê os Paquitos nessa revista?” e “Cadê o Praga no Xou?”. Sobre os Paquitos, Xuxa continuou saindo pela tangente: “Logo estarão aparecendo” ou “devem aparecer logo”.

É, meninas... nada de Paquitos até hoje...


A situação do Praga era mais delicada; para quem não se lembra, o ator Armando Morais precisou se afastar do programa por problemas de saúde em julho de 1989 e só retornou no final de 1991.



E a implicância com os cabelos de Xuxa é karma mesmo, até no gibi questionavam porque ela não usava de outro jeito que não fosse com as xuquinhas. Deviam fazer a promoção “Crie um cabelo pra Xuxa”...


Falando em promoção, foi na edição 17 que soubemos quem venceu o concurso das roupinhas, mas o modelito vencedor só será mostrado na edição 20.



Edição 18

Clique aqui para download da versão digitalizada da revistinha nº 18
A edição de junho/1990 não podia ignorar os festejos juninos e tivemos nossa primeira historinha com tema de “Arraiá”. 



O problema é que junto com São João, São Pedro e Santo Antônio veio também a Mocreia, que de santa não tem nada. Dessa vez a invejosa senhora arrumou um gênio. Gênio?!? De novo? Já não usaram a figura do gênio na edição 16? Não podia ser uma canjica mágica ou um pau-de-sebo dos desejos?

Outro que deu as caras depois de um bom tempo sumido foi o Perninha, mas ao contrário de sua aparição na Edição n. 8, dessa vez ele mostrou a que veio. Coube a ele e ao Praga trazerem para os dias atuais a fábula da lebre e a tartaruga.



No Correio da Xuxa, a campanha “Por uma revista com Paquitos” seguia firme (e em vão).



E Xuxa aproveitou que alguém comentou sobre o filme Super Xuxa Contra Baixo Astral pra anunciar que logo iria sair outro filme seu com os Trapalhões. Trata-se de Xuxa e os Trapalhões em O Mistério de Robin Hood, que só seria lançado no final daquele ano.


Fechando toda edição, temos aquela tirinha que fica ao lado dos créditos, sempre na última página. Reparando bem, veremos que a dessa edição nada mais é que uma variação da capa n.8 no formato tirinha: bicho não-amado pelas mulheres só quer autógrafo como qualquer fã da loira.


Encerramos por aqui, mas vamos dar a Dica n.3 completando o que começamos no início desse post:

3. Acompanhem as outras postagens do blog durante a semana e na sexta-feira já reservem tempo para ler as edições 19, 20 e 21. Vem muita coisa nova por aí, começando pelo modelito vencedor da promoção! Vai ser Xou!
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

Asllan Cleber disse...

Faz um tempinho que vocês não fazem mais Resenha musical, eu Amava!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...