sexta-feira, 6 de maio de 2016

Revista da Xuxa 40, 41 e 42

Por: Leandro Franco

Dizem que a música é atemporal, mas depois de analisar edição por edição dos gibis da Xuxa, chegamos à conclusão que historinhas em quadrinhos também são. Já estamos no 4º ano (de 5) da Revista da Xuxa e é impressionante como 80% das histórias poderia entreter um leitor de hoje. Mas o que também serve pra entreter, pode servir pra mostrar que nossas preocupações também são as mesmas de mais de 20 anos atrás. Entre as histórias abordadas no post de hoje, temos uma em que Xuxa se mostra profundamente incomodada com a situação da violência – cada vez maior – e se sente impotente diante disso. É ou não é assim nos dias de hoje?
Atualidades à parte, vamos voltar no tempo e relembrar (ou conhecer) tudo que envolvia as edições 40, 41 e 42 da Revista da Xuxa. A equipe da revistinha queria, sobretudo, que seus leitores se divertissem naquele ano de 1992, igualzinho nós aqui do Xuper Blog queremos que vocês façam agora em 2016. Prontos?



Edição 40
Na capa uma sutil referência ao conto “A Tartaruga e A Lebre”. Com Praga passando a frente de Xuxa já no finalzinho de uma corrida é impossível não se lembrar da disputa com a lebre... Tudo bem que o Praga teve uma ajudinha extra, mas Xuxa parece não se importar.

Clique aqui para download da versão digitalizada da revistinha nº 40


Abrindo o gibi, Xuxa está às voltas com mais um daqueles pretendentes grudentos que tiram a paciência de qualquer um. “Me chama de lagartixa” é o que o tal cara repete a todo instante. Nunca entendemos bem essa expressão e a historinha, apesar de divertida, também não explicou muito... Sabem a origem disso? Contem pra gente!



Moderninho voltou a encarnar o Indiana Jones (lembram da edição 13?) e Xuxa dessa vez não foi a mocinha, foi a múmia.!!!

Será que foi dessa historinha que surgiu a brincadeira da múmia no Xuxa Park (Rede Globo)?



No post anterior deixamos de abordar uma história da edição 39, onde Xuxa tinha sérios problemas de equilíbrio para andar no patinete até que Moderninho resolve isso de um jeito curioso. Foi proposital não comentá-la, queríamos deixar para agora. Novamente temos Xuxa tendo problemas de equilíbrio num esporte que envolve rodinhas. Dessa vez: patins.  Já dissemos que ter sempre idéias novas é difícil, mas requentar histórias já no mês seguinte é demais, não acham?





Olho nessa história do Dengue onde ele encoraja alguém a se declarar pro amor não correspondido. Leiam e guardem na memória, falaremos dela logo, logo...


Xuxa das cavernas? Numa historinha da Vovuxa, nossa loira apareceu caracterizada como uma mulher do período jurássico, mas numa situação bem atual. Apostamos que nem a equipe de Xuxa se lembrou desses quadrinhos quando a caracterizou para o troféu Xuxa Hits de 1995.



No Correio da Xuxa, uma leitora matou todo mundo de inveja e cobiça! Ela escreveu “adoro as historinhas com o Praga, Moderninho, Paquitas e PAQUITOS”! Como assim? Essa garota tinha edição exclusiva? Versões não lançadas? Quem é essa maranhense nos lençóis da vida? Veio do futuro? Explique-se, garota! Dezenas pedindo a aparição dos moços – que nunca aconteceu – e você escreve dizendo que adora as histórias deles?


Edição 41


Clique aqui para download da versão digitalizada da revistinha nº 41


Praga sendo Praga! É assim que a edição de maio de 1992 começa. Até a pessoa mais paciente do mundo perderia as estribeiras com o comportamento da tartaruga da Turma da Xuxa.

Ainda bem que existe o Praguinha pra fazer o pai repensar seus atos...


Aliás é bem curioso esse paralelo do Praga birrento, moleque e do pai devotado. Existe dupla personalidade pra tartaruga? Nas histórias com a Xuxa ele é literalmente uma praga, nas histórias com a família um exemplo. Depois dizem que “santo de casa não faz milagre”.


Pedimos que vocês lessem e guardassem na memória a história do Dengue na edição 40, certo? Também comentamos essa artifício de requentar uma história já no mês seguinte. Nessa edição (41), Dengue tem uma nova história – Amor Impossível – e digam se não é uma espécie de reaproveitamento: pessoa/mosquito quer se declarar, mas não tem coragem por ser tímido demais, surge um terceiro na história que o encoraja a tomar uma atitude antes que seja tarde. Vamos aos quadrinhos...







Pelo menos o final foi um pouco diferente, mas nos dois casos Dengue se deu mal.



Falando em coisas já vistas, lembramos de uma pessoa misteriosa que tem aparecido muito nos gibis. Lembram do cabeleireiro, mecânico, figurante das edições passadas?


Ele agora foi mais ousada e quis passar uma cantada na Xuxa! E já sabemos que ele se chama Wander e gostava de Pedra Sobre Pedra! O que mais iremos descobrir desse rapaz?

No começo do nosso post comentamos sobre a preocupação com a propagação da violência naquele ano de 1992, que acabou refletindo até mesmo no gibi da Xuxa. Na história “Quanta violência” temos uma Xuxa triste, decepcionada, mas ela bate um papo especial com alguém que a faz entender que o baixo astral não pode ser maior que a nossa vontade de viver e fazer a nossa parte. Bela história!


A preocupação com a situação das coisas também foi refletida numa das cartas do Correio da Xuxa. Na realidade a menina fez uma mistureba: começou falando que não conseguiu ser Paquita (Argentina), que tinha muita gente gritando Xuxa no filme Lua de Cristal e terminou perguntando pra Xuxa se ela não achava que tinha que fazer alguma coisa pra melhorar o mundo.



Outra garota da Argentina quis contar que não via o programa da Xuxa aos sábados e domingos porque tinha que jogar tênis. Tá bom então... mas o “Show de Xuxa” não era mesmo exibido aos sábados e domingos, menina... Levou uma raquetada, foi?



Desde a edição 39, a Revista da Xuxa começou a trazer pequenos brindes: minienvelopes, miniadesivos e papéis de carta. Nessa edição e na próxima (41 e 42), os leitores receberam dois papéis de carta em cada. Simples e bem feinhos, os papéis não traziam nenhum desenho da Xuxa ou de algum outro personagem; foram utilizados apenas os desenhos que já ilustram a sessão Correio da Xuxa desde a edição 13. Uma pena! Um chance de se fazer um brinde relevante jogada fora.




Edição 42


Clique aqui para download da versão digitalizada da revistinha nº 42



E.T. ... telefone... Xuxa.... minha casa... gibi!
Que acharam do Praga de E.T. e Xuxa como o pequeno Elliot? Bom, não foi algo literal, trata-se apenas de uma referência ao famoso filme de 1982, E.T. O Extraterrestre.  Ficaria mais fiel se Xuxa estivesse com o moletom vermelho do garoto, não é mesmo?


Parece que era mais fácil Xuxa voar numa bicicleta com um ET na cestinha que ela achar um namorado. O Moderninho não conformado resolveu dar um jeito de achar uma companhia pra loira e pediu ajuda ao Primo Bruxildo – personagem novo! – que fez um perfume para atrair os rapazes.


E o efeito do perfume só acaba se jogar água (ou cair na água). Ooopa! Já não vimos isso antes? Vimos sim! Lá na edição 15, só que lá o perfume foi comprado numa loja. Vai ver a loja era do primo Bruxildo, a Bruxilticário ou Lacqua di Bruxiori.



Praguinha cada vez mais importante! TRÊS historinhas só pra ele. O moleque estava com mais destaque que as Paquitas! Curiosamente o Praguinha é um personagem exclusivo dos quadrinhos, nunca existiu no Xou da Xuxa.



O Praga deu um tempo nas praguices e ficou meio tristonho... o que deixou Xuxa e Dengue preocupados. Já leram pra saber o motivo dessa tristeza? O download está disponível logo abaixo da capa, não se esqueçam.


Quem também teve outro momento baixo-astral – xiii, isso está ficando meio recorrente, não acham? – foi a Xuxa. Mais uma vez ela ficou triste por não poder fazer mais, só que dessa vez não era a violência (como na edição passada) e sim a poluição. Coube ao Moderninho distrair a loira, afinal ela faz a parte dela, mas nós sabemos que só a dela não resolve...


No Correio da Xuxa, tivemos pela primeira vez um desenho da Xuxa compondo o layout desde a mudança lá em janeiro de 1990. Não sabemos se foi pra preencher espaço ou porque quiseram testar uma nova apresentação do Correio.


Numa das respostas, Xuxa comenta que a revistinha não era publicada fora do Brasil. Definitivamente o projeto da revista em espanhol estava engavetado. Ela chegou a mencionar a intenção de investir no mercado latino-americano no Xou da Xuxa em que comemorou o 1º ano do gibi e nós mostramos aqui.



Acabamos mais um post, pessoal. Semana que vem a coisa está meio complicada, parece que vamos ter que dar uma notícia super chata do tipo a Xuxa dos quadrinhos se foi... E agora? Estamos aqui solidários com o Praga nessa hora complicada...


Tem perigo e suspense nas Edições 43, 44 e 45, não deixem de ler. Até a próxima sexta, se o roteirista assim permitir... já que nem a Xuxa ele poupou.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...