quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Álbum: Tô de Bem Com a Vida

Por: Leandro Pedrosa

“Acho que este é o meu melhor disco. Não que eu seja cantora agora, mas tenho certeza de que, depois de tanto tentar, estou cantando melhor.”
As palavras de Xuxa, que foram reproduzidas praticamente em todos os principais jornais no mês de outubro de 1996 (e também no site oficial da loura na época), referem-se ao álbum “Tô de Bem com a Vida”, lançado pela gravadora Som Livre no dia 05 de outubro de 1996.

Pôster distribuído às lojas de discos para divulgação - outubro / 1996

“Tô de Bem com a Vida” foi o 12º álbum de inéditas de Xuxa e trouxe 14 canções dedicadas ao público que cresceu com a Rainha dos Baixinhos na TV. Se o público era bem homogêneo, o repertório era o mais diversificado possível: de quadrilha a carnaval, passando por temas folclóricos, canções “pumba-pumba” (como a loira costuma chamar aquelas dedicadas aos mais baixinhos), merengue e até canção israelita. Ritmos para deixar qualquer um de bem com a vida.




Tá na hora, tá na hora... de ficar de bem com a vida!

Em 1996, Xuxa completou dez anos como contratada da Rede Globo e 13 anos como apresentadora infantil. A data foi comemorada em grande estilo com direito a especiais na TV e lançamento de disco comemorativo. No lado pessoal, as coisas também estavam “de vento em popa”: a loira curtia o início do namoro com Luciano Szafir, que se tornou o pai de sua filha, Sasha.



O título do meu novo disco, “Tô de Bem com a Vida”, representa perfeitamente essa fase atual. Já passei por um período de baixo astral, mas acabou. É como diz a música que batiza o disco: “se ficar de bode, você se explode”. Estou, realmente, muito feliz!
Jornal O Dia, 20.10.1996


Desde 1994, Xuxa tinha adotado o estilo de dar um nome ao seu disco de inéditas. O nome era escolhido dentre as faixas do lançamento e, até então, essa faixa nunca foi o “carro-chefe” para divulgação, o que valeu para os lançamentos posteriores até 1999, “Tô de Bem com a Vida” – ou TDBCAV, para simplificar – foi a exceção dessa regra.
A força da canção era tanta que não tinha como não dar o mesmo nome ao disco. Alto astral que se espalhava por quase todas as faixas, o que gerou uma comparação honrosa para o disco:



Gosto de música que não consegue me deixar parada. Ele tem essa energia, parecida com o meu disco número 3!
Xuxa em declaração publicada no Jornal Folha de São Paulo, em 24.11.1996, referindo-se ao disco “Xou da Xuxa 3” (Som Livre, 1988), o álbum de maior sucesso de Xuxa até hoje.


Aumente o seu volume...

A introdução da faixa título já deixava claro o que Xuxa pretendia: ouça bem, porque meu recado é dos bons... Pela primeira vez, Xuxa aparecia como produtora do disco, ao lado de Michael Sullivan e da então empresária, Marlene Mattos. A Direção Artística ficou a cargo de Aramis Barros, que já desempenhava essa função desde o disco Xuxa (Som Livre, 1993).



1. “Tô de Bem com a Vida”


Como já dissemos, a canção traduz o estado de espírito de Xuxa. Álvaro Socci, Claudio Matta e Vivian Perl são os compositores dessa faixa que faz uso de todas as expressões populares possíveis para o humor da pessoa: “de vento em popa”, “feliz pra burro”, “de bode”, “ficar de preguiça” e por aí vai...
O primeiro vídeo-clipe da canção foi exibido quase simultaneamente com o lançamento do álbum. No dia 08.10.1996, foi ao ar o Especial de Dia das Crianças “O Direito de Ser Feliz” (Rede Globo) que trouxe, além da faixa em questão, os clipes de mais outras 3 faixas do disco.

Matéria do jornal O Dia, publicado dia 06.10.1996, sobre o especial de dia da criança

Curiosidade: O vídeo foi gravado no salão nobre do Clube Fluminense (RJ), com a participação de cerca de mil pessoas. Mesmo após o fim da gravação, as pessoas não queriam deixar o clube e Xuxa teve que cantar mais duas músicas. O clipe seria lançado como conteúdo extra da VHS do show “Tô de Bem com a Vida” em 1997, mas o projeto foi engavetado.


“Tô de Bem com a Vida” aparece também na coletânea Pérolas (Som Livre, 2000) e foi regravada em 2005 para o sexto volume da série XSPB. O programa Xuxa no Mundo da Imaginação produziu um segundo clipe para a faixa. Em 2012, Xuxa apresentou a música no TV Xuxa - Especial Anos 90 (Rede Globo).


2. Lá Vai a Loura ( La Bailadora)


A primeira regravação do disco é um merengue. “Lá Vai a Loura” é a versão de Cid Guerreiro, Roberta Little e Angela Mattos para canção de Alfonso Vallejo Salinas, “La Bailadora”. A canção original é bastante semelhante à versão de Xuxa; basicamente trocaram a narrativa de 3ª pessoa para 1ª e a bailadora virou a loira. “La Bailadora” foi lançada em 1994, no disco Lluvia de Amor(EMI Latin) do cantor dominicano Eddy Herrera, sendo considerada um dos maiores sucessos do cantor até hoje.


Xuxa gravou um clipe para a canção, que foi exibido no Especial de Natal de 1996.


O vídeo foi considerado o ponto alto do programa, segundo o Jornal O DIA, de 22.12.1996:

Só erraram o nome da música... Ops!

Lá Vai a Loura foi apresentada inúmeras vezes entre 1996 e 1999 no programa Xuxa Park. Anos mais tarde ganhou um segundo clipe exibido no Xuxa no Mundo da Imaginação.

Xuxa nos bastidores da gravação do clipe, em 2004

Curiosidade: Na contracapa do álbum na versão CD, o nome original da canção foi escrito errado: La Balladora (com dois “L” ao invés da letra i)


3. Xuxaxé




Parceria de Michael Sullivan e Dudu Falcão, Xuxaxé foi a grande aposta depois da faixa-título. Numa incursão declarada pela axé music, a loira tinha seus palpites: “acho que essa música vai pegar no carnaval” (Jornal O Dia, 08.10.1996). Xuxaxé fez sucesso mesmo fora da folia carnavalesca, até porque existia uma canção mais apropriada no mesmo disco.




O clipe foi exibido no Especial de Dia das Crianças e suas locações foram a Lagoa Rodrigo de Freitas e os Arcos da Lapa, no Rio de Janeiro. Também houve um segundo clipe feito no programa Xuxa no Mundo da Imaginação.




4. Carnaxuxa


Cid Guerreiro emplaca sua segunda composição no álbum. Carnaxuxa é o tema carnavalesco do álbum e se vale de um recurso que nós já vimos lá em 1990, em I Love You, Xuxu (Xuxa 5 – Som Livre): viajar pelos lugares ressaltando alguma característica típica. Se antes a viagem era internacional, agora Xuxa percorre boa parte dos estados brasileiros.
Carnaxuxa ganhou clipe no programa Xuxa no Mundo da Imaginação.

Curiosidade: Carnaxuxa também foi o tema e o nome dos bailes de Carnaval que Xuxa comandou em fevereiro de 1997 no Rio e São Paulo.

O Carnaxuxa aconteceu em 1997 e 1998


5. A Caravela de Cabral


Hora de aprender! Seguindo a fórmula de sempre ter músicas educativas, a loira dessa vez contou a aventura de Pedro Álvares Cabral e sua chegada ao Brasil. A faixa bisa a parceria de Michael Sullivan e Dudu Falcão no disco e teve uma performance especial no show “Tô de Bem com a Vida” com direito ao Fly (You Can Dance) vestido de Cabral e uma minicaravela no palco. “Caravela” ganhou seu primeiro clipe no programa “Xuxa no Mundo da Imaginação


6. Ai, Ai, Ai


Música de Zé Henrique e Cátia Pereira, Ai Ai Ai traz o lado “atriz” de Xuxa à tona e ela se diverte! Claro, quem imaginaria Xuxa com furúnculos, prisão de ventre, brotoejas ou espinhas? Na definição de Sullivan, Ai Ai Ai é “anarquista” e mostra um lado personagem de Xuxa. O resultado foi uma das gravações mais bem humoradas da loura. No clipe exibido no Especial de Dia das Crianças, Xuxa se esbaldou dando vida às figuras problemáticas da canção e não foi só lá...


No palco dos shows, mesmo sem estar caracterizada, Xuxa chamou atenção e fez o Jornal O Dia ressaltar:

Num dos melhores momentos – em que usou seus dotes de atriz nata – a loura levou a galera ao delírio com a manemolente Ai, Ai, Ai. (“De Bem a vida”, matéria publicada em 20.10.1996)





7. Brincar de Rimar


Uma das canções mais infantis do disco, acabou caindo no gosto dos mais crescidos também. Brincar de Rimar foi composta por Nil Bernardes e Terry Winter e não foi pensada para a Xuxa. A faixa é uma regravação de outra figura do imaginário infantil dos anos 80: Fofão! O personagem alienígena nascido na Fofolândia e ex-Balão Mágico foi o primeiro a gravar a canção que brinca de rimar com os nomes das pessoas. Obviamente, a versão original não trazia o nome de Xuxa, mas não há no encarte da loira nenhum crédito da adaptação. A versão original saiu no LP Fofão (RGE, 1989).


Para o clipe (também exibido no Especial de Dia das Crianças), Xuxa deu vida a uma professora primária que se divertia com as brincadeiras de seus alunos. A canção também esteve presente no set list da turnê “Tô de Bem com a Vida”.




8. Huppa Hulle (Hoopa Hoole)


Versão de Vanessa Alves e Felipe Bella para a canção de Zohar Laskov, Shir Habatlanim, a música tem uma história toda especial. Além de ser oferecida pelo compositor à própria Xuxa, durante a viagem que a loira fez a Israel no Natal de 1995, a canção se tornou uma das mais famosas de Israel depois de ficar em 8º lugar na Eurovision Song Contest.


Andréia Sorvetão divide os vocais com Xuxa e a apresentação da música na turnê segue exatamente os mesmos movimentos da dupla “The Lazy Bums”, os intérpretes originais. Maiores detalhes aqui.


9. A Peteca


Agora é a vez de Zé Henrique, Cátia Pereira e Angela Mattos emplacarem sua segunda composição no disco: A Peteca. Tema de menor importância no disco, a música sobre o brinquedo não chegou a dizer a que veio. Não fez parte da turnê e nem teve clipe gravado para os Especiais, mas ganhou seu clipe anos mais tarde no Xuxa no Mundo da Imaginação.



10. Ficção


Junto com A Peteca, Ficção forma a dupla de canções menos lembradas do disco. Composição de Álvaro Socci e Cláudio Matta, a música trata da predileção de Xuxa por filmes de terror (o que é verdade) e ainda deixa o recado para algo tão antigo quanto as lendas de ficção: “pior do que alguns filmes de cinema, é o que se vê no jornal”.



11. Quadrilha da Xuxa



Elias Muniz e Carlos Colla compuseram o tema. A Quadrilha da Xuxa abriu os caminhos para os festejos juninos. Deu certo! No ano seguinte, Xuxa gravou seu primeiro disco temático e foi justamente para as festas de São João. O tema passou a ser presença constante nos programas de São João e, claro, não faltou na série de shows “Arraiá da Xuxa” que a loira fez em 1997. Antes disso, a canção fez parte da turnê “Tô de Bem com a Vida”.
No programa de rádio da comunicadora Ana Flores, ao ser perguntada por que a inclusão de um tema de quadrilha no disco, a loira se empolgou: 




12. Vaqueiro, Vai Buscar Meu Boi


Ainda no gancho dos temas folclóricos, TDBCAV traz “Vaqueiro, Vai Buscar meu Boi”, composição de Josias Sobrinho. A canção é originária da peça teatral “Catirina”, escrita, concebida e dirigida por Fernando Bicudo, que convidou Xuxa para assistir à peça numa apresentação especial em agosto de 1996. A loira estava em São Luís (MA) para alguns compromissos profissionais e aproveitou para assistir à peça no Teatro Arthur de Azevedo. Xuxa, que foi aplaudida e homenageada no palco, saiu de lá entusiasmada e decidida a usar seu poder de comunicação em prol da divulgação do folclore regional maranhense.

O cartaz de "Catirina" e Xuxa, junto com Fernando Bicudo,
no dia do espetáculo, em São Luís (MA)

“Catirina” gira em torno do desejo de Mãe Catirina, grávida, de comer a língua do boi "Raio de Lua". O cenário é uma fazenda chamada "Arco-Íris". Seu marido, Pai Francisco, vaqueiro da fazenda, arma uma trama para roubar o animal e satisfazer o desejo da mulher. A música “Vaqueiro, Vai Buscar Meu Boi” é apresentada na hora que o fazendeiro vem falar de seu mais querido animal, sem saber que Francisco já rodeava para roubá-lo. O autor Josias Sobrinho, ao lado de Bicudo e Papete Viana, trabalhou na composição musical do espetáculo. Confira a partir de 36m20s:


O programa Xuxa no Mundo da Imaginação, em 2004, apresentou no quadro “Era Uma Vez” a história do Bumba-meu-boi e o encerramento foi ao som da música; que também ganhou um clipe no programa, mas foi exibido em outra ocasião.


13. A Chuva


A tradicional música de conscientização à preservação da natureza não poderia faltar! “A Chuva”, composição de Álvaro Socci e Cláudio Matta, cumpriu esse papel no TDBCAV. A faixa fez parte da turnê do disco, quebrando um pouco o ritmo animado do repertório do show. Na TV, ganhou um clipe exibido no Especial de Natal daquele ano.


Uma das apresentações memoráveis foi a do TV Xuxa em 2005:




14. Amiga


Álvaro Socci e Cláudio Matta emplacam sua quarta composição no disco. Na época, a canção era uma forma de celebrar a amizade que havia entre Xuxa e sua ex-empresária. Um clipe foi gravado e exibido como material inédito na série de programas “Xuxa - 12 anos com você” em 1998, durante a licença-maternidade da apresentadora.





Formatos, Lançamento e Divulgação



“Tô de Bem com a Vida” foi lançado nos formatos CD, LP e K7. Não há grandes diferenças entre as edições. Em 1996, o LP já não era mais o formato dominante e as atenções se voltaram para o CD. A própria Xuxa só mostrava a edição em CD no programa.



TDBCAV foi último disco de Xuxa a sair em vinil, tornando-se um item raro para colecionadores. O encarte traz duas fotos de Xuxa e as letras das canções.




O lançamento do álbum aconteceu simultaneamente no rádio, TV e Internet. Sim! Mais um feito de Xuxa: “Tô de Bem com a Vida” foi o primeiro disco brasileiro lançado na internet. Xuxa, orgulhosa, contou à revista Internet World essa relação com a “nova” tecnologia.

À direita, uma amostra de como era o site de Xuxa na época

A divulgação foi extensa! Na véspera do lançamento, no programa da comunicadora Ana Flores, na Rádio 98,1 FM, quase todo o disco foi tocado e Xuxa ainda falou sobre algumas faixas.




Na TV, Xuxa dedicou o Xuxa Park de Dia das Crianças, que foi ao ar exatamente no dia 12.10, ao disco, ao lançamento, cantando algumas músicas e mostrando o CD em todos os blocos.


Obviamente, a divulgação seguiu pelo resto do ano no programa. Uma camiseta parecida com a que Xuxa usa no clipe de “Tô de Bem com a Vida” foi feita para ser, inicialmente, distribuída aos 100 primeiros que chegassem na gravação do programa. Pouco depois a forma de distribuição foi alterada para quem ligasse para um número específico, que era divulgado por Xuxa durante o programa. Já imaginam a dificuldade em ser atendido nesse tal número, não?


Uma participação especial no programa Domingão do Faustão, no dia 29 de setembro,  também aconteceu; Xuxa cantou a música título, Xuxaxé e Lá Vai a Loura acompanhada de suas Paquitas.


Um comercial de mais de 2 minutos apresentava o álbum ao público com inserções de Xuxa falando das faixas. Esse vídeo era veiculado para os portadores de antena parabólica e fazia parte do Click Musical, programete da Som Livre, veiculado nos intervalos. Havia ainda o comercial das Lojas Americanas feito pela própria Xuxa.



Seguindo a estratégia de anos, o disco ainda teve a propaganda impressa veiculada nos gibis da Editora Globo:


Mesmo com toda essa divulgação, o disco não foi bem nas vendas. Segundo dados no site da ABPD, a vendagem do “Tô de Bem com a Vida” alcançou a certificação de disco de platina, o equivalente a 250.000 cópias. Não há confirmação oficial desses números.



A Turnê

Quase que simultaneamente ao lançamento do disco, Xuxa estreou a turnê de mesmo nome. O show de estreia aconteceu no dia 18 de outubro de 1996, no Imperator (RJ) e percorreu outras cidades: São Paulo, Belo Horizonte, Recife, Fortaleza, Florianópolis, Porto Alegre, Praia Grande e Niterói.


Se nos shows anteriores a entrada de Xuxa no palco tinha uma dose de misticismo e contemplação, no “Tô de Bem com a Vida”, a loira inovou! Nada de naves ou pirâmides, ela chegava pendurada nos elásticos da Intrépida Trupe no maior alto astral possível, bem condizente com todo o show.
O roteiro do show era composto de 17 músicas, sendo 1 bis (Tô de Bem com Vida). Das 14 músicas do disco, Xuxa cantava DEZ! Somente “A Peteca”, “Ficção”, “Vaqueiro, Vai Buscar Meu Boi” e “Amiga” ficaram de fora.


O show não chegou a ser lançado oficialmente, mas uma gravação profissional acabou vazando no extinto Orkut. Presume-se que o lançamento era uma possibilidade, pois esse arquivo vazado é exatamente o de uma VHS pronta para comercialização, com créditos iniciais e finais e edição. O show foi exibido em partes durante as férias do programa Xuxa Park no ano de 1999.



O ensaio fotográfico

As fotos são de André Schiliró, que, naquele ano, fez as principais capas de Xuxa para a imprensa (Nova, Desfile, Mulher de Hoje). Poucas fotos do ensaio foram divulgadas. Em maio de 2015, Xuxa divulgou através de seu perfil no Facebook uma foto do ensaio, foto que depois ela mesmo apresentou como sendo do livro de fotos a ser lançado no futuro.
Algumas outtakes do ensaio:




A Preparação Vocal

“Não que eu seja cantora agora, mas tenho certeza de que, depois de tanto tentar, estou cantando melhor.”
As palavras de Xuxa não eram mera impressão da loira. Sim, sua voz estava melhor nas canções e isso se deve ao trabalho da preparadora vocal e fonoaudióloga Ângela Maria de Castro. A parceria de Ângela e Xuxa começou no meio das gravações do álbum anterior, Luz no Meu Caminho (Som Livre, 1995) e se estendeu para o ano seguinte. Xuxa fez questão de agradecer Ângela na contracapa do disco.




Curiosidades

>>> Havia planos de se lançar o disco fora do país. Xuxa declarou ao Jornal O DIA, em 22.12.1996: “Se der vou lançar o disco “Tô de Bem com a Vida” em Porto Rico, no México e na Venezuela”. Isso nunca aconteceu e o privilégio ficou só com os brasileiros mesmo.



>>> No aniversário de 1 ano de Sasha, o disco fez sucesso com a Princesinha. Fotos de Sasha segurando o CD foram divulgadas pelas revistas que cobriram a festa. Desde baixinha, Sasha já sabia o que é bom...



>>> No programa Xuxa Meneghel #8, exibido exatamente no dia que o disco completou 19 anos (05/10/2015), Xuxa fez um merchan para o desodorante Rexona e adivinhem qual foi o gancho pro comercial? O álbum! Isso sim podemos chamar de incrível coincidência!



De vento em popa, feliz pra burro, “assim” com o mundo!

Não tinha como ser diferente, ao final de 1996, Xuxa foi questionada sobre o que o ano tinha representado pra ela:

Foi um ano tão bom que fica até difícil fazer uma avaliação. Fiz vários shows, lotei estádios para 50 mil pessoas, bati recordes de recebimentos de mensagens na internet, enfim, foi maravilhoso!
Ter lançado o disco “Tô de Bem com a Vida” me fez bem. A gente passa muita energia positiva quando diz que está bem. Acho que consegui passar essa energia para as pessoas. Nos shows eu sentia que passava uma coisa forte e positiva.
(Jornal O Dia, 22/12/1996)
Sem dúvida, Xuxa, sem dúvida...

E isso não acontece há 20 anos somente, são mais de 30... Pode apostar, pode valer!



Comentários
1 Comentários

Um comentário:

Kildare Sena disse...

Se eu não me falhe a memória, o XuCurious entrevistou o Zé Henrique e disse que compôs a música "Ai, Ai, Ai", a princípio pra ser gravada pelo Falcão

mas depois a Marlene Mattos gostou da música que comprou os direitos para a Xuxa gravar. procede isso?

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...