domingo, 29 de janeiro de 2017

XSPB 13 de A a Z

Por: Leandro Franco

Há pouco mais de um mês, a espera de quase três anos chegou ao fim: finalmente saiu o XSPB 13. Chamado de “ABC do XSPB”, a edição chegou ao mercado depois de muito atraso, muita polêmica, muito descaso e muita insatisfação dos fãs com o tratamento que Xuxa recebeu daquela que ainda é sua gravadora.


As causas que levaram a postura da gravadora em postergar mais e mais o lançamento desse trabalho já foram objeto de um post nosso – esse aqui: XSPB13 – O 13 dá azar? – e sugerimos a leitura prévia para que você, que chegou agora, possa entender melhor a longa estrada que o alfabeto musicado de Xuxa percorreu até ver a luz do dia, ou melhor, até ver as prateleiras das lojas.

O diretor Paulo de Barros, Xuxa e Junno ladeados pelas "Alfabetes"

As consequências do atraso, no entanto, foram bem maiores que o tempo de espera pelo lançamento e, ao que parece, o ônus ficou somente para a loira. Xuxa viu sua 7ª indicação ao Grammy Latino de Melhor Álbum Infantil chegar com a mesma velocidade que desapareceu. Sim, Xuxa não pôde sequer concorrer. Depois de anunciarem o XSPB 13 como um dos candidatos, a organização do Grammy o desclassificou por não ter sido lançado no ano eletivo da premiação (01/07/2015 a 30/06/2016).

Grammy Latino: pra 2016 não deu... Quem sabe 2017, hein, dona Som Livre?

Somado a isso, tivemos um hiato gigantesco desde a última edição lançada, a número 12 em 2013. Xuxa Só Para Baixinhos é um projeto que tem a habitualidade como elemento fundamental e qualquer lapso não planejado pode comprometer sua continuidade. Ora, desde seu lançamento tivemos uma nova edição a cada ano praticamente. Note-se que nos anos que não tivemos o volume “inédito”, tivemos algum show ao vivo marcando presença na lista de lançamentos anuais de Xuxa.


Desde 2008, Xuxa não tem programa infantil na TV mas sua imagem junto às novas gerações de baixinhos se fazia presente através do XSPB e seus empreendimentos: o Parque de diversões indoor Mundo da Xuxa e a Casa X – uma casa de festas equipada com tudo que um baixinho possa imaginar para ter a festa dos sonhos. Todos dois calcados na turminha que acompanha a apresentadora a cada DVD.

O Mundo da Xuxa, inaugurado em 2003, encerrou suas atividades em 2015 e “passou a bola” para a franquia Casa X, como dizia o encerramento do comunicado oficial: A magia e a alegria sempre presentes no Parque, agora estão multiplicadas em todas as "Casas X" espalhadas por todo o Brasil.

Comunicado de encerramento das atividades do Parque Mundo da Xuxa, em 2015

A Casa X, embora não seja um desdobramento do XSPB e seus personagens, apresenta fortes referências ao tema, começando pela entrada de algumas filiais com um imenso Txutxucão. Sem um XSPB no mercado, como justificar a presença de tais personagens para o baixinho de 2 ou 3 anos que vai fazer sua festinha de aniversário na franquia? Ok, a criança pode até conhece-los de DVDs antigos, mas já é um fator a mais a se considerar.



O descontentamento de Xuxa também ficou evidente em várias vezes que ela se pronunciou sobre o projeto e seu não-lançamento. O XSPB sempre foi seu “projeto do coração” e vê-lo submetido à exigências contratuais fez com que ouvíssemos algo que nunca foi dito desde o lançamento da série.
Numa transmissão ao vivo, em 19/12/2016, através de seu perfil no Facebook, a Rainha respondeu à pergunta de um internauta sobre quando sairia o volume 14 do XSPB. A resposta foi totalmente diferente do que estávamos acostumados a ouvir.  Sempre que lançava uma edição e era perguntada sobre o futuro, Xuxa respondia que já tinha ideias para os próximos 2 ou 3 volumes. Dessa vez, foi assim:
Eu acabei de lançar o 13. Ninguém “tá” nem querendo falar sobre o 13. Você acha que vou pensar no 14? Pensa, raciocina comigo: se o 13 ficou dois anos e meio pra sair, ficou aí parado. Não tem nem como as pessoas saberem que está nas lojas. Você acha que vou lançar o 14?...


A resposta se refere principalmente à decisão da gravadora de não divulgar o produto em nenhum meio de comunicação como programas de TV, jornais, revistas ou rádios.
Diz o ditado que “a propaganda é a alma do negócio”, o XSPB pode até não ter propaganda, mas alma ele tem e muita! O que se viu nessa edição foi a alma de Xuxa e sua equipe. Quando dizemos “alma” não nos referimos à qualificação sobrenatural da palavra e sim à vontade de que fosse um trabalho bem feito, bem pensado, justificado.

Paulo e Xuxa acompanham a atuação da menina Maysa em "ABC do XSPB"

À época das gravações Xuxa estava no meio de um tratamento de sesamoidite que a obrigava a usar uma bota ortopédica que limitava seus movimentos. Sem chance de coreografias e piruetas. Pois bem, utilizou-se o plano americano para filmagem (foco acima da cintura somente) e as coreografias fizeram falta? Não! Um XSPB totalmente diferente dos demais, com bonecos do tipo muppets e animações, foi o resultado. Personagens já conhecidos encontraram novos personagens e pequenos detalhes fizeram toda a diferença.

Filmagem em plano americano, muppets e muita animação! Isso é o XSPB 13!!!


O tema
O alfabeto é o trilho desse volume. Brincar com a coleção de letras não é novidade para Xuxa. Quem não se lembra do “Abecedário da Xuxa” (Xou da Xuxa 3, 1988)? Até mesmo no XSPB, o tema já tinha aparecido – timidamente – no volume 2 (2001), na faixa “The Alphabet Song”, depois na regravação de “Abecedário da Xuxa” no volume 6 (2005) e por fim na música "ABC do Txutxucão", no volume 8 (2008). Dessa vez, nada de regravações ou versões; tudo novo! Sob a batuta de Junno Andrade, Elias Almeida, Fábio Caetano, Marcelo Barbosa e Bozzo Barretti, cada letra ganhou sua própria música.

Abecedário em quatro prévios momentos

Os bonecos
Quarenta bonecos foram usados nas gravações e a interação com os fantoches também não foi algo totalmente novo no projeto XSPB. Quando o XSPB foi lançado em DVD, no ano de 2002 (antes só existia VHS), quem fez o comercial contando a novidade foi uma “baixinha” muito parecida com uma das “estrelas” do XSPB 13...

A bonequinha de 2002 e a de 2014: muita semelhança e a mesma alegria

O ratinho azul em versão muppet também já tinha dado o ar da graça no XSPB 12, mas agora TODA a turma virou boneco: Txutxucão, Bila Bilu, Moio, os outros ratinhos...

Toda a turma XSPB ganhou sua versão muppet

Os novos bonecos são ricos em detalhes para representar todo tipo de baixinho, não importa a etnia ou se é ou não portador de necessidades especiais. Todo mundo tem um muppet para chamar de seu.

Repararam que um deles tem até um aparelho auditivo? XSPB também é inclusão!

Conhecemos ainda o sr. José Xexéu que, além de diretor do XSPB, conduz o making of e bota ordem na turma toda, menos no Xaxá.



Não sabe quem é o Xaxá? É o GuaXiXinim, ops, guaxinim que faz xixi no xaxim... Não entendeu? Vá ver o clipe da letra X.



Gato Gugu, Sr. Quirino, Dona Quitéria, Zebra Zombeteira...
O que não falta é gente nova para conhecer.

Ô, Xuxa, inclui essa zebra de vez na turma, vai?


Referências
Falando em gente nova, teve um boneco que era “o cara’, mas justamente por ser “o cara” não pudemos conhecê-lo. O boneco da letra C era para ser uma referência ao cantor Roberto Carlos. A letra da música não deixa dúvidas disso, muito menos a entonação da voz – feita pelo Junno – durante a canção. “Ele é o cara, ele é o bom” diz a letra... Não precisa muito esforço para que nos lembremos do último sucesso de Roberto Carlos: “Esse Cara Sou Eu” (do EP homônimo de 2012) ou da clássica canção da Jovem Guarda, “O Bom”, movimento do qual Roberto foi um dos expoentes.


O fato é que, conforme contou o colunista do Jornal O Globo, Ancelmo Gois, Roberto não gostou do boneco e a Som Livre decidiu refazer o clipe da letra C. Um novo boneco foi feito, dessa vez sem parecer com o jovem Roberto Carlos. Não teve o Rei, mas quem liga?



As referências não param por aí e não se restringem aos bonecos. Pelo menos dois programas infantis de Xuxa podem ser lembrados enquanto assistimos ao DVD: Xuxa no Mundo da Imaginação (2002-2004) e o TV Xuxa na fase 2007. O vídeo da Letra M lembra – e muito – uma das aberturas do XMI, enquanto as vinhetas das Letras E, K, W e Y usam o recurso de se escrever as letras com pessoas, exatamente como no TV Xuxa de 2007.




A abertura do TV Xuxa em 2007 e a introdução de algumas letras no novo DVD


Aos mais saudosos e atentos, outra referência pode ser encontrada durante a música das vogais: após apresentar as 5 letrinhas, Xuxinha diz “espera que tem mais um pouquinho de u: uuuuuuuu”. Quem se lembrou do final de “Pelados em Santos” dos Mamonas Assassinas?

Xuxinha e Guto fazendo referência aos Mamonas?



Formatos e Tiragens
Foram lançadas duas versões do XSPB 13: DVD e Kit CD+DVD.



Não tivemos a versão só em CD, tal ausência não foi novidade no projeto, os volumes 10 e 12 (lançados pela Sony Music) já não tiveram essa opção. Entretanto, a versão em CD chegou a ser elaborada por Felipe Góis, como o próprio chegou a mostrar em seu Instagram.




Provavelmente a Som Livre não achou interessante investir no formato pelo fato de, além das vendas de CDs estarem em queda ano após ano, o XSPB 13 é, talvez, o volume mais audiovisual da série. Muitas músicas crescem quando se tem a parte visual. Querem exemplo? Como não se divertir com o apelo visual da letra G ou da letra X? O gato Gugu em sua geladeira e o guaxinim Xaxá em seu jardim fazem ou não fazem a diferença?

Gugu e Xaxá: Você não gostaria tanto dos dois se não os visse...

Voltemos ao assunto das vendas de mídias físicas... O volume 13 teve a tiragem inicial de 10.000 cópias para o formato DVD e 3.000 cópias para o kit CD+DVD. A realidade é triste, principalmente se você é amante da parte tangível da música, mas não tem a ver com boicote à Xuxa, como alguns fãs chegaram a noticiar. Pelo menos não nessa parte.


Tiragens dos kits em 2013 e 2016: crise no mercado e o problema não é com a Xuxa

Óbvio que não se pode comparar a tiragem do volume 12 com a do 13, anos se passaram. O mercado se retraiu e a comparação não vale só para Xuxa. Vamos sair do Universo X um pouco.
Gosta de MPB? Marisa Monte... nome forte! Em 2014, o CD Verdade, Uma Ilusão teve a tiragem inicial de 100.000 cópias. Em 2016, Marisa lançou Coleção com tiragem de 40.000 cópias.
Prefere o pop internacional? Beyoncé... Em 2013, o álbum visual (CD+DVD) BEYONCÉ teve tiragem inicial de 100.000 cópias. Um estrondo! Em 2016, a sra. Jay-Z voltou com um outro álbum visual, Lemonade,  aclamado por toda crítica – ou seja, publicidade mais que favorável – e a tiragem foi de 40.000 cópias. A gravadora a boicotou também?


_ Jay-Z, corre aqui! Você sabia disso?

Sejamos mais específicos e usemos artistas da Som Livre como exemplo para saber se o problema é mesmo da gravadora: Tiago Iorc, o cantor do momento. Seu mais novo álbum “Troco Likes ao Vivo” também saiu em kit CD+DVD e a tiragem foi de 3000 unidades. Igualzinho ao XSPB 13, só que Tiago tem música na novela, no rádio, frequenta TODOS os programas de TV.

Nem os milhões de "likes" do rapaz garantiram uma tiragem inicial maior

Maria Gadú... a moça que estourou em 2009 e inclusive participou do XSPB 10, anda meio sumida das paradas, mas também lançou seu kit CD+DVD Guelã ao Vivo esse final de ano: 5000 cópias. Até melhor do que esperávamos, mas distante das 15000 unidades do seu primeiro kit DVD+2CDs.

Não tá fácil pra ninguém, não importa se é Shimbalaiê ou XSPB

Para engrossar as vendas e se adaptar à nova realidade, digitalmente o álbum está disponível em todas as plataformas: iTunes, Spotify, Deezer, Google Play Music, Tidal



Vendagens
O álbum está entre os mais vendidos do site da Som Livre. Uma excelente resposta para quem foi preterido por tantas vezes. Esperamos que isso estimule a gravadora a investir em alguma forma de divulgação mais efetiva nos meios de comunicação.
Até agora, a única boa divulgação em mídia impressa que o projeto teve foi a capa do suplemento “2” do Jornal capixaba ES HOJE do dia 28/12/2016 e a matéria nem era específica para o XSPB. Melhor que nada...

A única publicação a dar destaque ao XSPB até agora.


Curiosidades

> Junno divide os vocais com Xuxa nas faixas das letras C, F, H, R, U e W.


> Se ao inserir o DVD no seu player, você optar pelos menus com audiodescrição você verá menos conteúdo extra. As opções “ABC do XSPB” com Maysa Monjardim, “ABC do XSPB” com Sofia Nandi e Galeria de Fotos não aparecem.

Menu de "EXTRAS" sem audiodescrição


Menu com audiodescrição: menos opções e um "bug" na plaquinha da FXM, que aparece duas vezes

> Maysa Monjardim, filha de Jayme Monjardim e Tânia Mara, estreou como cantora no DVD e ela faz jus ao que diz a letra de “ABC do XSPB”: “não precisa ter medo de errar...” A menina se enrola toda ao cantar o alfabeto, garantindo um vídeo daqueles que você tem vontade de postar um emoji de coração no olho na tela da sua TV.


Maysa:  verso "não precisa ter medo de errar" ao pé da letra 

> Os clipes das letras D e S não mostram Xuxa. Já na letra P, a loira aparece por dois segundos no início.

> Algumas letras se tornaram personagens para contracenar com Xuxa: F, H, U e W. Já as letras C e R são bonecos cujo corpo tem o formato da letra.



O número 13
Quando escrevemos nosso post sobre o XSPB 13, ainda inconformados com a dificuldade que a gravadora impôs para lançar o projeto nós nos perguntamos: o 13 dá azar? Olha, agora que o álbum saiu, que já vimos o quanto Xuxa e equipe se dedicaram, o quanto Junno e seus parceiros se mostraram em sintonia com o universo infantil e, principalmente, o quanto o XSPB tinha todas as chances de vencer o Grammy 2016 temos a certeza que o 13 representa azar... azar de quem não assistir.  Valeu a espera!




Pra você que ainda não garantiu o seu, o do sobrinho, do priminho, do afilhado, do filho da melhor amiga, basta clicar na loja de sua preferência e encomendar:












Ah, querem saber quais letras nós indicamos? Bom...



Comentários
3 Comentários

3 comentários:

lucas Jose disse...

Lindo documentário! <3
Parabéns... Arrasam sempre!

Unknown disse...

👏👏👏Parabéns

Anônimo disse...

Qútero todos tem como

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...