segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Ei, psiu, Ivete é Grande Rio, mas Xuxa é do Brasil

Por: Leandro Franco

Na noite de domingo (26/02), a Marquês de Sapucaí se transformou num dos circuitos do Carnaval de Salvador. A Escola de Samba Acadêmicos do Grande Rio trouxe para a avenida a história da musa baiana Ivete Sangalo.

O enredo “Ivete, do rio ao Rio” mostrou toda a trajetória da cantora desde sua infância em Juazeiro/BA até sua consagração como ídolo nacional da música. Todas as referências estiveram presentes: o Rio São Francisco e suas carrancas, as baianas, as músicas de sucesso, os shows e, claro, as pessoas importantes de sua vida.


A Grande Rio não enrolou e já na comissão de frente convocou sua homenageada para mostrar que a diversão começava ali mesmo. Numa rápida coreografia, os barquinhos do rio São Francisco davam lugar ao palco onde a estrela de Ivete brilha.

Ivete atuando na Comissão de Frente da escola

Ivete: a Eva de Xuxa
A estrela de Ivete já brilhava antes da carreira solo; ela foi vocalista da Banda Eva entre os anos de 1993 e 1998. Foi nesse período que Ivete conheceu Xuxa. Em 1995, Ivete se apresentou pela primeira vez num programa da loira: o Xuxa Hits. Na época, Xuxa achava que Ivete se chamava “Eva” por conta do nome da banda. O sucesso estava chegando e a música “Alô Paixão”(1994) estava entre as mais tocadas nas rádios. Paralelamente a amizade entre as duas crescia na mesma proporção.



A grande “pequena Eva”
Em 1997, a banda decidiu regravar o sucesso “Eva”, de 1983, da banda Rádio Táxi. A regravação foi tão acertada que a música acabou se tornando referência para o grupo baiano. Uma canção totalmente fora dos padrões que Ivete cantava, uma mistura da origem do mundo com o apocalipse. É bom lembrar que a música original é do italiano Umberto Tozzi e foi lançada em 1982.



Xuxa: a Eva de Ivete
Ivete não hesitou em convidar Xuxa para estar presente no desfile e como convite feito é convite aceito – pelo menos quando se trata de Xuxa e Ivete – nossa loura foi convidada a assumir o papel de Eva na avenida. A partir daí foi só expectativa, Xuxa deu diversas entrevistas contando que seria uma Eva futurista – “toda tapada” – que viria no carro da “última astronave”, em referência aos versos da canção (veja a partir do minuto 15:03 do vídeo abaixo).




A fantasia
A fantasia foi uma criação de Michelly X, estilista já conhecida da Grande Rio. Em 2013, por exemplo, ela foi responsável por 15 fantasias, entre elas as de Bruna Marquezine, Susana Vieira e Christiane Torloni. No universo de Xuxa, Michelle começou fazendo as roupas das modelos para o Monange Dream Fashion Tour (2011) e atingiu seu maior objetivo em 2016, quando fez alguns figurinos de Xuxa para o Xuchá.

“Eu tinha um grupo de dança, e a gente imitava as paquitas. Comecei a costurar as roupas para o grupo, e todo mundo elogiava dizendo que eram perfeitas. A própria Xuxa, aliás, já elogiou em uma apresentação que fizemos em seu programa. Comecei a costurar e não parei mais. Acho que agora, depois de tantas estrelas, só falta costurar para ela”  (Declaração de Michelly X ao site Ego, em janeiro de 2013)

Michelly X: do sonho de paquita à estilista da Rainha

Com tanto carinho e admiração pela loira não se podia esperar uma fantasia menos que especial.
Já na chegada à concentração da Escola, Xuxa deu um aperitivo do que estava por vir: as botas prateadas anunciavam que a partir dali a expressão popular “vestida de Eva” ganharia um novo significado.

Xuxa: comoção mesmo antes do desfile

A curiosidade sobre o visual de Xuxa só aumentava a medida que a imprensa liberava fotos e vídeos dos bastidores, até que a própria “Eva” resolveu postar uma foto com o seu “Adão”.

"Me abraça pelo espaço de um instante..."

Somente quando Xuxa foi apara o carro alegórico é que todos puderam ver que além do corselete metalizado, havia também um adorno para os ombros. Xuxa virou uma autêntica Eva com pinta de gladiadora/amazona futurista.

Xuxa, uma Rainha "sobre o Rio, Beirute ou Madagascar..."

E não é que Xuxa tinha exagerado nas suas declarações? A fantasia não era tão tampada assim; era suficiente para mostrar que aos 53 anos, Xuxa deixa muita moça comendo poeira.

A Eva de Michelly X em croqui do fashion designer Leonardo Borges 


O Carro
Chamado de “Astronave Rumo ao Infinito”, o carro foi a quarta alegoria na passarela. Como o próprio nome já diz, ele representou a parte do enredo que diz: “com a Eva encantei toda cidade, no trio arrastei as multidões / canto a minha verdade, africanidade, mistura de emoções”.


Na frente da astronave o timbaleiro high-tech; nas laterais as referências à africanidade e na parte traseira os foguetes que impulsionaram a nave da pequena Eva "além do infinito"

A nave levou os ritmos do axé a todo canto do Brasil numa propulsão incrível. Nas palavras de Ivete: “a nave da pequena Eva cruzou os céus do Brasil levando o ritmo do axe music além do infinito, consolidando-se como um gênero musical poderoso. Na virada do milênio mais uma vez o destino me desafiava, da astronave reluzente pulei para pilotar minha carreira solo!”



"O nosso amor na última astronave..."
Xuxa, mais uma vez, no imaginário do povo comanda uma nave “rumo ao infinito”.  Somos suspeitos, nós sabemos, mas não há como negar que foi uma sacada e tanto de Ivete e da Grande Rio.

EVA!!!

A transmissão
Como de costume, a transmissão do Desfile das Escolas de Samba do Grupo Especial do Rio é feita pela Rede Globo. Este ano a emissora escalou Fátima Bernardes e Alex Escobar para conduzirem a transmissão, enquanto os comentários “técnicos” ficaram a cargo do carnavalesco Milton Cunha e do compositor Pretinho da Serrinha.

Escobar é estreante na função dentro do grupo especial, mas tanto ele quanto Fátima e os dois comentaristas já têm tantas horas de carnaval quanto Ivete tem de axé, entretanto isso não foi suficiente para impedir um dos momentos mais constrangedores da transmissão.

O G1 entrevistou, mas a Globo pouco mostrou

Óbvio que a participação de Xuxa era um dos momentos mais esperados do desfile, até pelo fato da homenageada da noite  já ter cruzado toda  a  avenida na comissão de frente  e  ter  sido filmada  já  a postos no último carro;  isso depois que  Fátima contou a todos que Ivete  voltaria no final  do desfile, ou seja, o elemento “surpresa” para Ivete era zero àquela altura.




Outro fator: a importância do carro em que Xuxa estava: o carro da Banda Eva, o grupo que projetou a baiana ao sucesso e do qual sua história nunca poderá se dissociar.  Ainda há um fator, que podemos chamar literalmente de fator X: Xuxa não é mais contratada da Rede Globo há 2 anos e a Globo não é de dar muita exposição para quem não é do seu casting. Compreensível, até aqui.

Quando a câmera focalizou Xuxa, Fátima Bernardes até se engasgou para falar um tímido “Xiu-xa” (isso mesmo: “XIU-XA”) e acabou! Nem o nome da fantasia tiveram coragem de falar, isso porque ela era a EVA, gente... a EVA!

Xuxa na transmissão da Globo: 9 segundos mostrados num desfile de 1h30min

"Ah, isso aconteceu porque ela é de outra emissora agora..” - dirão alguns. Nada disso! Paloma Bernardi – atriz contratada da Record – apareceu tempo suficiente para falarem o nome dela, dizer que era madrinha da bateria e o Milton Cunha ainda explicar que a fantasia dela era composta por “um macaquinho segunda-pele bordado com faisões negros; uma fantasia enooorme para madrinha de bateria”. Entenderam a diferença?

Xuxa visita a Paloma Bernardi antes do desfile - colegas com tratamento diferente

E o que dizer de Luciana Gimenez, apresentadora da Rede TV, que também apareceu, sambou e foi citada na maior tranquilidade como se fosse prata da casa. Sem contar, todas as menções a outros destaques da escola, mas desconhecidos do grande público.
A impressão que se tem é que existe um bloqueio - ou coisa assim - que transforma Xuxa naquela que não deve ser mencionada dentro da emissora.


Tem explicação uma coisa dessas? Querer ignorar Xuxa num momento como aquele é como querer tapar o sol com a peneira... literalmente! Não é, Fátima?


"Manda quem pode, obedece quem tem filho pra criar"... E são três, gente!


ATUALIZAÇÃO 28/02
Hoje, a coluna da jornalista Mônica Bergamo na Folha de São Paulo publicou uma pequena entrevista com Xuxa, feita pouco antes do desfile. Xuxa se mostra tranquila quanto à possibilidade da Rede Globo a ignorar durante a transmissão:




Você viu? Xuxa na União do Parque Curicica
Não foi só a Grande Rio que trouxe Xuxa novamente para a avenida em 2017. A Escola de Samba União do Parque Curicica, que desfila pelo Grupo de Acesso A, também mostrou que a loira continua sendo também Rainha na Sapucaí.

Na noite de 24/02, a escola apresentou o enredo “O Importante É Ser Feliz e Mais Nada!” onde as recordações – o nosso baú de memórias – determinam aquilo que vamos ser no futuro.

Dizem que quem vive de passado é museu. Mas é inegável que o que somos agora é fruto da construção do agora de ontem. Fazemos nosso tempo na medida em que aprendemos com nosso passado e assim construímos o futuro. E aí, entendemos quem realmente somos. No balanço das horas tudo pode mudar.


Como falar de memórias felizes da infância sem mencionar Xuxa? Não tem como... A sinopse do enredo deixa isso claro:

E falando em recordações, me diga sem pestanejar. Qual foi a menina que nunca sonhou em ser assistente de uma rainha? Era o sonho de onze em cada dez. E como já disseram um dia. O sonho sempre vem pra quem sonhar. Basta acreditar. E seguindo assim, conto nos dedinhos a hora da nave espacial aterrissar para me dar bom dia.  
(Trecho da sinopse de Raphael Homem, Leandro Mourão e Vitor Mourão)

Dezenas de Pituxonas e Catuxonas na ala da Curicica

Uma bela homenagem! Na avenida teve até a nave da Xuxa e uma ala inteira de Paquitas!
Sabem o mais interessante? A comentarista da Globo para os desfiles do Grupo de Acesso, Mariana Gross, até comentou do seu sonho de ser Paquita enquanto a ala era (bem) focalizada. Já a nave não teve a mesma sorte, foi totalmente ignorada pelos comentaristas e também pela equipe de filmagem, mas vamos dar um desconto: ela estava posicionada na parte traseira de um dos maiores carros.

A nave - protegida pelas chacretes - acabou esquecida na transmissão


Além do infinito eu vou voar...
Mais um carnaval para a memória dos fãs da Rainha. Ao ser perguntada pelo Jornal O GLOBO sobre como era voltar à Sapucaí, Xuxa foi objetiva: “só quero levar energia boa para Ivete”. Definitivamente não foi só para ela, Xuxa, não foi...




“Ei, psiu, Ivete é Grande Rio, mas a Xuxa é do Brasil”



Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...