quarta-feira, 3 de maio de 2017

As Participações Musicais de Xuxa - Parte I (Anos 90)

Por: Leandro Franco
Esse ano a canção “Querer É Poder” – dueto de José Augusto e Xuxa – completa 25 anos do seu lançamento. Quem não se lembra do refrão “Sonho meu, sonho meu...”? A faixa marca o início de uma série de participações de Xuxa como convidada nos discos de outros artistas ou álbuns beneficentes, já que antes disso suas participações se resumiam aos discos do grupo infantil Trem da Alegria. 

Vamos relembrar (ou conhecer) as canções que saíram nesses 25 anos depois de “Querer é Poder”? Todas essas músicas foram lançadas oficialmente e juntas já poderiam formar um novo álbum para a discografia da Rainha, sem esforço nenhum. Como temos muito para mostrar, vamos dividir esse assunto em dois posts. Esse primeiro abordará as faixas lançadas nos anos 90 e o próximo post as do 2000 em diante. 

Pegue seu fone, aumente o volume e abra sua caixinha da nostalgia...




1. Querer é Poder
Autores: José Augusto e Carlos Colla
Álbum: José Augusto (BMG, 1992), de José Augusto



A faixa – muitas vezes chamada de “Sonho Meu” – é provavelmente a participação mais lembrada de Xuxa depois das gravações com o Trem da Alegria. Tão lembrada que muita gente pensa que a música é da Xuxa e que José Augusto é o convidado. Nada disso...
Composição do próprio José Augusto em parceria com Carlos Colla (compositor de “Dança do Côco”), “Querer é Poder” traduz de forma perfeita tudo aquilo que Xuxa sempre defendeu em seus programas: sonhos, imaginação e a máxima “querer, poder e conseguir”; talvez por isso a música tenha mais a cara de Xuxa que de José Augusto.

"Apasionado"(1998), um dos discos de José Augusto que
traz a versão acústica de "Querer É Poder"

Foram lançadas duas versões: a original – que aparece no 17º álbum do cantor –, e a acústica lançada seis anos depois no disco “Minha Vida” (Globo Polydor). Para a versão acústica os arranjos foram alterados (agora orquestrados), José Augusto gravou novos vocais e convidou também o Coral das Meninas Cantoras de Petrópolis; já os vocais de Xuxa permaneceram os mesmos da versão original.



Curiosidades:
* Embora já tivesse sido apresentada no Xou da Xuxa em 1992, a música se tornou popular depois que foi escolhida como o tema de abertura da novela “Sonho Meu” (Rede Globo, 1993-1994). No último capítulo da trama, Xuxa e José Augusto fazem uma participação especial cantando o tema direto da Ópera de Arame em Curitiba, ao lado dos personagens principais.


Xuxa e José Augusto cantam no último capítulo da novela "Sonho Meu" da Rede Globo

* Um clipe da música aparece no especial de natal “Presentes Mágicos”, também em 1993. Infelizmente, o clipe não faz jus à bela música e não foi tão memorável quanto a canção.

* A música – em sua versão acústica – foi lançada no mercado latino em 1998 através do disco “Apasionado” (Mercury Records), mas curiosamente não em espanhol. A única faixa em português do álbum é justamente “Querer é Poder”.

A única música em português no disco em espanhol do cantor.
A faixa foi dedicada a Xuxa no encarte

* A faixa também aparece no último álbum de José Augusto – Duetos – lançado em outubro de 2016. A gravação é a mesma do primeiro lançamento.



2. Rap do Aniversário
Autores: Fafy Siqueira e Sarah Benchimol
Álbum: Você é D+ (Polygram, 1995), de Sandy & Junior



Pela segunda vez Xuxa aparece num disco da dupla Sandy & Junior, mas pela primeira como convidada. Anteriormente Xuxa foi a inspiração da faixa “X da Questão” lançada no disco “Pra Dançar com Você” (Polygram, 1994).

Depois da homenagem em 1994 ("X da Questão"),
o convite para cantar junto em 1995 ("Rap do Aniversário")

Rap do Aniversário de Fafy Siqueira e Sarah Benchimol (compositoras de "Dança do Paloê" e "Marquei um X") representa a tentativa dos filhos de Xororó em ter seu próprio “Parabéns pra Você”, lgo que praticamente todo cantor direcionado ao público infantil fez em algum momento, mas já sabemos quem foi a única que conseguiu êxito nisso...

"Rap do Aniversário": Fafy Siqueira e Sarah Benchimol voltam a compor para Xuxa


Curiosidades:
* A faixa aparece como destaque na capa do álbum, mas não obteve a repercussão esperada, deixando o feito para “Vai Ter que Rebolar” e “Power Rangers”.

A faixa com Xuxa era uma das apostas do álbum junto com "Power Rangers"

* A faixa foi incluída na coletânea “os Grandes Sucessos de Sandy & Junior”, lançada no ano seguinte (1996)



3. Xalada de Beijos
Autores: Prêntice e Ronaldo Monteiro de Souza
Álbum: Parque do Gugu (Halloween Discos, 1996), de Gugu Liberato



Consegue imaginar que essa música é dos mesmos autores de “O Circo” (1987), “Dança da Xuxa” (1988), “Conte Comigo” (1989), “Boto Rosa” (1990) e “Voz dos Animais” (1992)? Dá para ficar meio na dúvida se essa seria uma faixa descartada de algum álbum do Xou da Xuxa que repassaram para Gugu lançar em seu disco.

Prato do dia: "Xalada de Beijos" com o Gugu...
_ Huuum, mas vou preferir uma 'Salada Mixta", tá?

A composição é bem menos inspirada que as precedentes e com os vocais de Gugu incluídos, a impressão continuou não sendo das melhores. Assim como Rap do Aniversário, Xalada de Beijos nunca foi cantada por Xuxa em seus programas.


Prêntice e Ronaldo Souza: composição menos inspirada ficou para o Gugu



4. Astronauta de Papel
Autores: Michael Sullivan e Dudu Falcão
Álbum: Terra Encantada (EMI, 1997), do Grupo Terra Encantada



Em 1997, um ousado projeto se propunha a construir no Rio de Janeiro uma espécie de Disneylândia, toda baseada na cultura brasileira e suas raízes: o Parque Terra Encantada. Para que esse universo de encantamento desse certo precisavam dos ingredientes básicos: personagens e música. Michael Sullivan e Dudu Falcão, experientes na seara das músicas infantis, compuseram todos os temas dos personagens e das atrações do parque. Um grupo musical foi criado e passou a frequentar os programas de TV para divulgar o empreendimento, inaugurado em janeiro de 1998. O parque existiu por 12 anos, mas o grupo durou apenas 2, tempo suficiente para lançar um obscuro CD com as participações de Xuxa e Fafá de Belém.

Terra Encantada: o CD era vendido na lojinha do Parque,
dificultando a divulgação nacional


Curiosidades
* O grupo composto por um garoto e duas garotas que, acreditem, não são identificados no encarte do CD. Sabe-se que o menino era o ator Sérgio Hondjakoff, mas as meninas que não seguiram carreira artística (pelo menos é o que parece) permanecem sem identificação.

* Existe uma versão só com os vocais de Xuxa, que chegou a ser cantada no programa Xuxa no Mundo da Imaginação (2004) e no TV Xuxa (2005).

* A letra da música difere totalmente do estilo das outras canções do disco (que abordam lendas brasileiras, animais e miscigenação das raças), o que também levanta a hipótese de que possa ser uma faixa do repertório de Xuxa que acabou descartada e acabou incluída no CD do parque.


A música é tão boa que a gente até perdoa o erro no encarte: "Xuxa Meneguel"



5. Vai, Brasil
Autores: Zé Henrique, Sarah Benchimol e Marcelão
Álbum: OxGênios (Indie Records, 1998), de OxGênios



Presença constante no programa Xuxa Park durante os anos 1997 e 1998, o grupo infantil OxGênios lançou seu único disco no ano de 1998 e não poderia deixar de aproveitar dois importantes trunfos: a “madrinha” Xuxa e a Copa do Mundo; e é a música “Vai, Brasil” a responsável por isso.

OxGênios: com a bênção da madrinha Xuxa lançaram seu único CD em 1998

A composição é mais uma daquelas com data de validade, pois além de ser específica para uma competição ainda tinha que contar com a vitória do Brasil no Mundial para estender sua vida-útil. Não aconteceu e não foi só a música que caiu no esquecimento... O grupo acabou e cada integrante tomou um rumo. Somente Lívia, uma das integrantes, continuou fazendo alguns trabalhos com Xuxa. Pudemos vê-la no esquete de estreia do programa Xuxa Meneghel e também na versão de Xuxa para o clipe “50 reais” exibido em novembro de 2016.

"Vai, Brasil": desperdiçaram a participação de Xuxa numa música com data de validade



6. Entidade Universal (EU)
Autores: Carlinhos Brown e Carcará
Álbum: Brasil São Outros 500 (Som Livre, 1998), Vários Artistas



Como parte dos projetos da 6ª Campanha Natal Sem Fome, idealizada pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, foi elaborado o álbum Brasil São outros 500. O filho de Betinho, Daniel Souza, conseguiu juntar 40 artistas, 145 músicos, diversos profissionais da música e o aval de todas as gravadoras num CD duplo. Xuxa foi uma dessas convidadas e cantou junto com Carlinhos Brown a música-tema da Campanha.

Brasil são Outros 500: 40 artistas, 145 músicos e 2 CDs - números da solidariedade

Uma das composições mais inspiradas de Brown, Entidade Universal (EU), abre e fecha o repertório do disco. A versão do final traz todos os artistas e cada um canta um verso da música que anteriormente foi toda cantada por Xuxa e Brown.


Xuxa a poucos dias do nascimento de Sasha: engajamento social com o Brown


Curiosidades:
* Xuxa gravou a música apenas 12 dias antes do nascimento de Sasha. A loira ficou no estúdio por cerca de 4h e 30 min até que sua gravação fosse finalizada.




* O CD trouxe o clipe da música tema com todos os artistas e várias filmagens de bastidores no formato CD-ROM, uma inovação para a época. O encarte é recheado de fotos dos artistas e conta com duas páginas triplas onde todos artistas aparecem juntos.

O CD traz um dos mais belos encartes com mais de 20 páginas
de fotos de bastidores e gravações


7. Pezinho
Autores: Domínio Popular – Adaptação Kleiton Ramil e Kledir Ramil
Álbum: Clássicos do Sul (Universal Music, 1999), Kleiton & Kledir



Em maio de 1999, a dupla Kleiton & Kledir resolveu homenagear sua terra e fez um disco todo com repertório de canções tradicionais do Rio Grande do Sul. Claro que a gaúcha mais ilustre não poderia ficar de fora e a dupla trouxe Xuxa para cantar a música folclórica “Pezinho”.

Clássicos do Sul: de gaúcho pra gaúcha

A canção caiu como uma luva para Xuxa: além de ser de temática infantil, D. Alda cantava essa música para Xuxa quando ela tinha um aninho. A dupla chegou a apresentar a canção no Planeta Xuxa por duas vezes, Xuxa, animada, cantou e fez a tradicional coreografia com os irmãos gaúchos.


Matéria publicada na revista TiTiTi em 28/05/1999


8. Os Bichos de Deus
Autores: Marco Camargo e R. Borin
Álbum: A Arca dos Bichos (Universal Music, 1999), Vários Artistas



No final de 1999, o produtor e compositor Marco Camargo conseguiu reunir os grandes nomes da música popular (Ivete Sangalo, Sandy, Zeca Baleiro, Ed Motta, Chico César, Carla Visi) num CD dedicado às crianças: A Arca dos Bichos. E quando se fala em crianças há um nome que não pode faltar: Xuxa! A loira participa do disco cantando a música-tema de todos os bichos, Os Bichos de Deus, composição do próprio Marco.

Xuxa comanda a arca dos bichos em projeto de Marco Camargo

A música chegou a ser apresentada no Xuxa Park, assim como quase todas as outras do álbum. Cada semana um artista se apresentava com a música-tema de seu bicho.

O idealizador e a "capitã" Xuxa

A capa é um show a parte. Cada cantor aparece caracterizado como o bicho da música que ele canta. Xuxa aparece como a capitã da Arca.



Curiosidades: 
* Embora o CD estivesse pronto desde 1999, o lançamento “oficial” só aconteceu em abril de 2000. Além da divulgação no programa de Xuxa, algumas promoções foram realizadas como a da publicação “Minha Revista”(Editora Escala) que sorteou entre seus leitores 15 exemplares do disco.

* Um CD Single Promocional chegou a ser distribuído para as rádios e continha 2 versões (editada e normal) da faixa "A Arca" que é creditada a todos os artistas, inclusive Xuxa; entretanto não se ouve a voz da loira em momento algum da faixa.

Single "A Arca": Xuxa aparece creditada, mas não há seu vocal na faixa


* Um outro CD Single Promocional vinha com a faixa "Os Bichos de Deus" e "A Arca". O diferença para a versão do álbum é que no single a canção está editada (com duração reduzida para 3'44") e não há os vocais de Xuxa na introdução.

"Os Bichos de Deus" versão single: sem a introdução de Xuxa






BONUS:
Existem dois registros que foram lançados oficialmente, mas que não podemos considerar como músicas de Xuxa, embora ela tenha um pequena participação nos vocais. São eles: Luz do Mundo e Nossa Senhora.

A Luz do Mundo
Autores: Chico Buarque, Djavan, Caetano Veloso e Arnaldo Antunes
Álbum: Se Essa Rua Fosse Minha (Independente, 1991), Vários



Em 1991, o sociólogo Betinho idealizou um projeto de proteção aos menores abandonados e uma das formas de arrecadar recursos para a campanha foi o lançamento de um disco com duas músicas: “A Luz do Mundo” e “Salve a Terra”. O dinheiro arrecadado com as vendas do LP seria revertido na contratação de professores e materiais para as ONGs que cuidavam dos meninos de rua.

LP single com a música tema do Projeto: tanto artista que cada um só disse uma frase

Vários grandes nomes da MPB foram convidados: Maria Bethânia, Roberto Carlos, Caetano Veloso, Djavan, Gilberto Gil, Elba Ramalho, Fagner, Sandra de Sá e, claro, Xuxa. Se Xuxa não tinha a metade da força vocal desse time, ela tinha o dobro de vontade em fazer algo pelas crianças. “Não quero somente ser uma apresentadora pra criança, eu quero poder ajudar” – disse Xuxa no dia da gravação do clipe.
A Rainha apenas fala o verso “brincando de existir”, sendo seguida por Maria Bethânia que dá continuidade na estrofe. A participação de Xuxa no clipe se resume a 4 segundos.



Nossa Senhora
Autores: Roberto Carlos e Erasmo Carlos
Álbum: Nossa Senhora (Universal Music, 1999), Vários



Seguindo a mesma linha do Projeto “A Luz do Mundo”, em 1999, o filho de Roberto Carlos idealizou um projeto que arrecadasse fundos para obras sociais, educativas e de combate ao câncer. Grandes nomes da música brasileira foram chamados e em conjunto gravaram a música-tema, sucesso na voz de Roberto Carlos, “Nossa Senhora” (lançada originalmente em 1993).

"Nossa Senhora": mais um álbum beneficente com muita gente


Um clipe foi gravado nos estúdios da Nativa FM, em São Paulo, mas Xuxa não participou das gravações e na hora de seu verso é mostrada uma imagem de Nossa Senhora Aparecida. Xuxa não foi a única ausência do clipe, Hebe Camargo e o próprio Roberto não puderam comparecer. Xuxa canta apenas o verso “mesmo ferido de espinhos” e é seguida por Zezé di Camargo que finaliza a estrofe.





Ih, acabou?
Claro que não, nós só fechamos a primeira parte do nosso post. Ainda temos muita coisa pra mostrar, não deixe de conferir a segunda parte com as canções em que Xuxa participou e foram lançadas fora de seus discos a partir dos anos 2000. É na semana que vem!

XUXA: uma participação sempre especial

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...