quinta-feira, 5 de outubro de 2017

"Boas Notícias" - 20 anos de lançamento

Por: Leandro Franco

Tá mais que certo, ninguém pode duvidar de toda sabedoria de um ditado popular” e há um ditado que diz que você atrai o que transmite.  Com Xuxa não poderia ser diferente... Há 20 anos ela lançou o disco Boas Notícias – seu 14º álbum de inéditas – e o ano de 1997 foi cheio delas para a Rainha.


Em 1997, a loira ganhou um segundo programa na TV - o Planeta Xuxa; teve o tempo do seu programa infantil aumentado; lançou seu primeiro (e elogiado) álbum temático Arraiá da Xuxa e ainda recebeu a boa notícia que ela tanto sonhava: seria mamãe muito em breve.

Quando lançou o disco Tô de Bem com a Vida no ano anterior, Xuxa disse que havia cantado tanto que estava de bem com a vida que acabou ficando mesmo. Olha aí outro ditado: “as palavras têm força”! Com tantos acontecimentos até parece que Xuxa já cantava que só queria boas notícias desde o primeiro dia do ano...

Declaração dada ao jornal O Dia em 22/12/1996


Se a ela cantava “Boas Notícias” desde o início do ano, não temos como saber, mas uma coisa é certa: algumas de suas músicas já eram trabalhadas cerca de 6 meses antes do lançamento!  Coisa rara de acontecer em relação aos lançamentos musicais da loira.






Canta mais alto, mostra tua voz
Boas Notícias é um álbum bem heterogêneo, pois continuava a tarefa de agradar aos dois públicos de Xuxa: os baixinhos e aqueles que cresceram vendo a loira na TV e à época já eram adolescentes ou até adultos.  “O CD é dedicado igualmente aos baixinhos e adolescentes. Eles são o meu público”, disse a loira à revista Manchete de 04/10/1997.


Vamos relembrar ou conhecer alguns detalhes sobre cada faixa, mas antes...

Festa dos Brinquedos
É impossível falar das faixas de Boas Notícias sem antes conhecermos o especial de TV “Festa dos Brinquedos”, programa exibido dentro da Terça Nobre (Rede Globo), no dia 07/10/1997 em comemoração à Semana da Criança.


Com argumento da própria Xuxa, o roteiro conta a aventura de três ETs crianças que, ao verem imagens da loira com seus baixinhos, decidem vir à Terra e aprender o que é o amor e a alegria e, claro, conhecer a causadora disso tudo. Todo o programa foi gravado em locações do Ceará.
No decorrer do programa são apresentados CINCO clipes do disco, o que foi fundamental para a divulgação: Xuxa Lê Lê, Boas Notícias, Amarelinha, Serenata do Grilo e Oração de um Novo Milênio.




As músicas
Produzido por Michael Sullivan e Direção Artística de Aramis Barros, que já exercia a função nos discos de Xuxa desde 1993, o disco tem 14 faixas, sendo 4 delas dedicadas exclusivamente aos baixinhos e segue a clássica fórmula: pumba-pumba (*) + mensagem de conscientização + diversão + momento pessoal = disco da Xuxa.
(*) nome que Xuxa dava às músicas para as crianças bem pequenininhas




1.    Xuxa Lê Lê

A música brinca com os ditados populares, abrindo o disco em alto astral. Tão animada que o jornalista Mauro Ferreira, em sua crítica sobre o disco, diz que o início da faixa remete ao começo de Ilariê (Xou da Xuxa 3, Som Livre – 1988). Nem tanto... Mas, se analisarmos bem, existem outros “ês” nessa história. A letra faz referências a prévios sucessos de Xuxa: “dá um grito” (Xuxa Lê Lê) // “e dando um grito” (Tindolelê – 1989); “Eu quero ver essa cidade balançar” (Xuxa Lê Lê) // “Eu quero ver essa galera balançar” (Pinel por Você - 1990).

Publicado no jornal O DIA em 05/10/1997

Antes que alguém diga que os autores estavam levando a sério o verso “nada se cria, o negócio é copiar”, Zé Henrique, também coprodutor do disco, esclarece:

As referências aos sucessos anteriores eram uma forma de dar continuidade à uma proposta que agradava muito ao público, com quem Xuxa  sempre teve uma grande preocupação em se comunicar da forma mais simples e direta possível.

Ou seja, se é pra fazer jus a um ditado popular, o correto nesse caso é: em time que está ganhando não se mexe!

O clipe mistura takes de Xuxa no show realizado no Beach Park para 15.000 pessoas e imagens da loira se divertindo nos brinquedos do parque aquático.



Faz um clone da alegria: Xuxa Lê Lê foi regravada com novos arranjos para o volume 6 da série Xuxa Só Para Baixinhos, lançado em 2005. A música também ganhou um novo clipe, o terceiro. Em 2003, o programa “Xuxa no Mundo da Imaginação” já tinha feito um segundo clipe, mas usando a gravação original.

Vou pra galera pra cantar o meu refrão: Quando a música é boa, ela faz parte até da turnê anterior ao disco. Pois é, Xuxa Lê Lê integrou a setlist da tour “Tô de Bem com a Vida” nas últimas apresentações. Além de ser apresentada na turnê Boas Notícias, fez parte do  show “Xuxa Festa” (2006) e atualmente integra a setlist do “XuChá” (2016/2017). Nesse último, Xuxa interpreta a Rainha de Copas durante o chá dos personagens do conto Alice no País das Maravilhas, o que faz dele o número que simboliza o nome da franquia de shows: Chá da Alice.

A performance de Xuxa Lê Lê durante o "XuChá - O Chá da Xuxa"


2.    Libera Geral

Uma das primeiras músicas divulgadas para o público. Já na estreia do programa Planeta Xuxa, em 04/04/1997, a música foi cantada logo após a abertura e se tornou marca registrada da atração. Foi tema do programa até 1999 e é uma das preferidas do público jovem de Xuxa.

Quem vê o sucesso da faixa não imagina o quanto ela deu trabalho para ser feita. Cláudio Matta contou como foi:

Fizemos uma música e o refrão era “libera geral”, mas só isso foi aprovado. Fizemos outra em cima disso (o refrão). Melhorou, aprovaram um pouco mais, mas ainda precisamos fazer outra. Já no estúdio essa versão foi novamente modificada. Me lembro que, ao final, foram cinco letras para chegar nessa que todos conhecem. Mudou tanto que já nem sei mais cantar as versões antigas. (risos).




Faz um clone da alegria: Assim como Xuxa Lê Lê, Libera Geral também foi regravada para o XSPB 6 (2005) com direito a clipe. Já o programa “Xuxa no Mundo da Imaginação” foi responsável pelo primeiro clipe da canção, em 2004.

Vou pra galera pra cantar o meu refrão: Libera Geral depois de aparecer na turnê "Arraiá da Xuxa", também foi apresentada na turnê “Tô de Bem com a Vida”, em 1997. Depois disso, integrou a setlist das turnês “Boas Notícias”(1997/1998), “Xuxa Festa” (2006/2007) e “XuChá – o Chá da Xuxa”(2016/2017). 



3.    Diet

Carlinhos Brown volta a compor para Xuxa depois de 3 anos (Compasso do Amor e Happy-Py, “Sexto Sentido” - 1994). A faixa garante a parcela de ritmo baiano do disco. A composição é no melhor estilo do compositor: versos que não fazem muito sentido se juntam e no fim sai algo, digamos, peculiar. Ajayô!

E se a letra já é confusa, imagine se o encarte ainda complicar mais a coisa... Se você cantava a música de acordo com a letra impressa, deve ter estranhado os versos “Saci, cai fora, Boitatá me ensinaram a te encantar”. Ora, se o Saci caiu fora, só sobrou o Boitatá, então quem mais ensinou a encantar? O correto é Saci, CAIPORA, Boitatá me ensinaram a te encantar... do jeitinho que a Xuxa canta.

A Caipora caiu fora?

(Não) vou pra galera pra cantar o meu refrão: Diet chegou a ser ensaiada para turnê do disco, mas não foi apresentada. Só tivemos conhecimento disso em 2010, quando o extinto “Clube da Xuxa” publicou o vídeo dos ensaios. Um pena.



4.    Planeta Xuxa

Provavelmente a faixa mais famosa de todo o disco. Como o próprio nome já diz, a música foi tema do programa homônimo que estreou em 1997 (quer saber mais sobre ele? Clique aqui). O compositor Cláudio Matta nos conta alguns detalhes do processo de criação:

A música foi encomendada pra ser abertura e a composição foi feita com base no nome do programa somente, não sabíamos o formato da atração. Que bom que o que foi feito agradou bastante.

E sabiam que aquele início, o “tchuru tchuru ru tchu”, poderia não ter existido da forma como conhecemos?
O riff “Tchurutchuru” era algo que eu fazia com a voz, quando mostramos a música, para sugerir o que os instrumentos de sopro - trombone, trompete, clarinete etc. - fariam. Mas o pessoal curtiu tanto o que eu fiz, que deixou, para minha surpresa, com vozes das Paquitas.


Faz um clone da alegria: foi tema da entrada de Xuxa de 1997 até 2000. Foi substituída por Giro do Planeta em 2001. Planeta Xuxa é a única faixa do “Boas Notícias” que aparece nas coletâneas Xuxa Pérolas (2000) e Xuxa 20 anos (2006), ambas da Som Livre.

Vou pra galera pra cantar o meu refrão: O Planeta Xuxa deu seu giro na turnê “Boas Notícias”(1997/1998) e ainda está em rotação no “XuChá – o Chá da Xuxa”(2016/2017)



5.    Boas Notícias

Música que dá nome ao disco, a faixa se tornou uma espécie de hino utópico e mostra que é atemporal. Cantada em 1997, 2007, 2017... não importa, é sempre atual. Sua letra carregada de positividade caiu como uma luva para a chegada de Xuxa no Xuxa Park e assim permaneceu até julho de 1998.

Ganhou um clipe logo de cara. O vídeo foi gravado numa discoteca de Fortaleza. Xuxa e as Paquitas aparecem de terno e gravata numa referência ao filme MIB -Homens de Preto, lançado em julho de 1997
“A ideia foi minha. No começo implicaram porque acharam um desperdício cobrir um monte de mulheres lindas com aquela roupa escura. Mas acabaram concordando que tinha tudo a ver” – contou Xuxa ao jornal O DIA, em 05.10.1997

Boas Notícias vindas de outro planeta: inspiração em MIB - Homens de Preto

Lembrando que ao dizer isso, Xuxa se referia ao contexto em que o clipe estava inserido: a história do Especial de TV, lembram? ETs chegam à Terra para averiguar quem é a tal “Xuxa” e aprender sobre alegria e amor...  Se apresentado fora do contexto, como aconteceu algumas vezes no Xuxa Park, realmente os trajes podem causar estranheza.

Faz um clone da alegria: o último programa “Xuxa no Mundo da Imaginação”, exibido em 31/12/2004, trouxe um novo clipe para a canção.




6.    Amarelinha (Pulando Pulando)

Nos anos 80, o grupo Trem da Alegria tinha um estilo de musicar as brincadeiras infantis: Iô-Iô (1988), Pula Corda (1989). A partir dos anos 90, esse caminho começou a ser trilhado por Xuxa: Salada Mixta (1995) e A Peteca (1996). Assim, coube a Zé Henrique e Fred Pereira escolherem a brincadeira da vez:

Não recebemos nenhum pedido (de brincadeira) específico... apenas estávamos sempre pensando em desenvolver temas que fizessem parte do universo infantil, assim como os temas lúdicos, educativos ou ecológicos.

A letra, de tão didática, fez com que o clipe pudesse abrir mão do óbvio. Gravado nas dunas de Praia de Cumbuco/CE e no Beach Park, Xuxa aparece fazendo de tudo que é comum na região: descendo dunas de esquibunda, andando de bugre, fazendo carão na piscina junto com as Paquitas e Bombom e, no tempo que sobra, pula amarelinha (nas dunas). Pois é, o que ela menos faz é a brincadeira. E ficou ruim? De jeito nenhum, o clipe consegue juntar de forma harmônica um visual mais sensual com um tema infantil.

Quem vai para um paraíso como o Ceará para pular amarelinha?

Faz um clone da alegria: Amarelinha foi regravada para o volume 7 da série XSPB, lançado em 2007. Dessa vez o clipe é tão didático quanto a letra e enquanto Xuxa canta, crianças fazem a brincadeira. Mais uma vez, o “Xuxa no Mundo da Imaginação” saiu na frente e fez um clipe antes da regravação, em 2002.

Vou pra galera pra cantar o meu refrão: Todo mundo que viu a turnê Boas Notícias pôde pular Amarelinha (como se houvesse espaço para tanto). A faixa era a 4ª a ser apresentada.




7.    Meu Xamego

A canção fala do carinho que temos por coisas que só nós entendemos o significado e foi a única do disco a ganhar um clipe no Especial de Natal de 1997. Xuxa explicou a ideia do vídeo em entrevista ao jornal "A Tribuna":

Tem uma música em que vou aparecer mostrando o meu maior chamego, que é uma camiseta branca. Todo mundo vai estar produzido e eu lá com minha camisetinha...

No clipe, o chamego de Xuxa é sua camisetinha branca

No título da música, chamego é escrito com X propositalmente, mas na letra está na forma correta. O que aparece errado é um dos versos: “uma lembrança que ficou no pensamento quase assim à toa”. Talvez essa fosse a ideia original, mas o fato é que Xuxa canta: “uma lembrança que ficou no pensamento pra se rir à toa”, o que faz mais sentido.


O erro nem é no título, que é proposital, e sim num dos versos



8.    Agora Eu Vou Andar (Andar Devagarinho)


Primeira música apresentada ao público e bem antes do lançamento. Na estreia da temporada 97 do infantil Xuxa Park, a loira cantou a música com seus baixinhos no palco do programa. Lembram de “Ginástica (Aquecendo)”, do Xegundo Xou da Xuxa? Pois então, Agora Eu Vou Andar veio para ser a nova “Ginástica”. Com a estreia do Planeta, o Park foi direcionado integralmente aos baixinhos, inclusive vários elementos do “Xou da Xuxa” foram resgatados e entre eles a “ginástica” no palco ao lado das crianças. Xuxa precisava de uma música que fizesse as crianças se mexerem e é aí que entra a faixa. Entretanto, o público alvo eram os menorezinhos, o que pode-se dizer que o estilo já é um embrião do XSPB.

A primeira vez que Xuxa cantou a canção: 6 meses antes do disco sair


9.    Preste Atenção

Composta pela cantora Renata Arruda em parceria com Mariana Richard - uma das irmãs “Metralhas” – a faixa é um dos melhores exemplos de como educar divertindo e guarda uma história curiosa:

Recebi o pedido de uma canção sobre boas maneiras para as crianças. Inicialmente o refrão trazia o verso “porque um dia você vai SER alguém”, Xuxa ouviu e disse “não canto!”. Quase desmaiei! Mudei imediatamente para “TER alguém” e ela disse “agora eu canto”. A partir desse momento eu passei a prestar muita atenção nas palavras que eu escolhia quando ia cantar para crianças. Isso eu aprendi com a Xuxa. Essa foi uma das quatro músicas que ela interpretou de minha autoria e isso me honra bastante. E todas as vezes que eu componho para criança, me lembro da Xuxa; tenho ela como uma musa em minha cabeça.  – nos contou, com exclusividade, Renata.

A partir daí, a faixa foi uma das mais cantadas por Xuxa em seus programas infantis e a coreografia e os adereços (plumas e óculos) criaram toda uma identidade para a canção.

As plumas e os óculos viraram marca registrada de "Preste Atenção"

Faz um clone da alegria: Preste Atenção ganhou clipe no “Xuxa no Mundo da Imaginação” em 2002. No XSPB 8 (2008), Xuxa voltou a abordar o tema na faixa "Palavrinhas Mágicas".
Vou pra galera pra cantar o meu refrão: Boas Notícias, boas maneiras... Claro que a música integrou a turnê do disco. A apresentação recriava no show a performance de Xuxa em seu programa. Era a 3ª música.

O clipe de 2002, no programa "Xuxa no Mundo da Imaginação"



10. Godofredo O Piolho

Godofredo reedita a parceria de Reinaldo Waisman e Marcos Levi em discos da Xuxa. A dupla compôs Pra Que Fumar?, em 1995; mas, para Waisman o revival é ainda maior: também foi ele o responsável por compor outra música sobre insetos arteiros. Lembram-se de A Pulga (Xou da Xuxa Sete, 1992)?

Depois de Joana, a Pulga (1992), Waisman e Levi nos apresentam Godofredo, o Piolho. 

Apesar do apelo infantil, nem mesmo no "Xuxa Park" a música foi muito cantada na época, sendo uma das menos trabalhadas do álbum. Nas poucas apresentações nota-se que a coreografia usa a referência de sacudir a cabeça dos roqueiros, o bate cabelo. E Godofredo é rock, rock infantil, mas rock.



11. Vamos em Frente

Canção da dupla A.Socci e C.Malta, Vamos em Frente segue o mesmo caminho de Libera Geral, dos mesmos autores. As composições são parecidas no sentido da letra:
Libera Geral:Dane-se tudo que te sufocar tudo aquilo que te impede de poder voar
Vamos em frente:Vamos fazer de tudo pra virar uma festa porque esse mundo não tá mole de aguentar

"Vamos em Frente": mesmos autores, mesma mensagem de "Libera Geral", 
mas um outro ritmo

A canção chega até a usar a frase “libera geral”, mas também faz uso de expressões sinônimas e que Xuxa sempre gostou de falar: “Solta a franga”, “chuta o pau da barraca” – essa, especialmente, Xuxa usava bastante em 1997.

(Não) vou pra galera pra cantar o meu refrão: assim como Diet, Vamos em Frente também chegou a ser ensaiada para turnê do disco, mas não foi apresentada. O Clube da Xuxa também publicou o vídeo do ensaio.




12. Serenata do Grilo

Fechando o quarteto de canções mais infantis, "Grilo" é outra música bastante apresentada nos programas infantis de Xuxa desde seu lançamento. A faixa foi uma das apostas da gravadora Som Livre, que chegou a distribuir um CD promocional com a faixa e com a música Boas Notícias, para as rádios.

O CD promocional enviado às rádios contendo Boas Notícias 
e Serenata do Grilo como os primeiros singles do álbum


O videoclipe do Especial tem uma história de bastidores bem curiosa:


Faz um clone da alegria: Serenata do Grilo ganhou um novo clipe, em 2002, no Mundo da Imaginação e foi regravada para o volume 10 da série XSPB, em 2010. Nessa regravação a música passou a integrar um medley com regravações de “O Elefante Feliz” (1999) e “Croc-Croc” (1987).

Grilo Falante Cantante: "Mundo da Imaginação" (2002) e "XSPB 10" (2010)

Vou pra galera pra cantar o meu refrão: claro que a faixa mais querida pelos baixinhos não ficaria de fora na turnê; era a 7ª música do show.



13. Oração de Um Novo Milênio

Uma das canções mais bonitas da carreira de Xuxa. Fala da necessidade de se prestar atenção às nossas atitudes que podem comprometer o futuro do planeta no novo milênio que estava para chegar. Guarda semelhança com Terra e Coração (1993) em relação à mensagem passada.

O videoclipe faz parte do encerramento do especial de TV e traz Xuxa mística, contemplativa. Na época, o clipe também chamou atenção por Xuxa usar as roupas de Lino Villaventura, estilista que despontava no mundo da moda. A roupa usada foi chamada de “Deusa do Mar”.



Faz um clone da alegria música (?): Existe uma questão não esclarecida sobre a inspiração dessa música. Sua melodia é bastante parecida com a canção The Flying Dutchman, da dupla britânica Yellowstone & Voice, lançada em 1972. Uma coisa é certa: não se trata de uma adaptação, pois a letra original fala de uma mulher misteriosa que assombra os mares e tem relação com o navio “O Holandês Voador”, protagonista de várias lendas marítimas.  No encarte não há qualquer menção à música da dupla. De qualquer forma, as melodias são semelhantes. 




Vou pra galera pra cantar o meu refrão: Oração de um Novo Milênio abria a turnê Boas Notícias. Xuxa surgia de um elevador com efeitos pirotécnicos, coberta com uma capa e cantava como se estivesse fazendo uma oração. Impossível não se recordar da abertura da turnê Sexto Sentido quando a loira cantava Terra e Coração.

Semelhanças: "Terra e Coração" na abertura da turnê "Sexto Sentido" (94/95)  e 
"Oração de um Novo Milêniona abertura da turnê "Boas Notícias" (97/98) 



14.Na Hora em que Você Quiser Chegar

Canção que reflete o momento vivido por Xuxa. O desejo de ser mãe era cada vez maior e mesmo sem estar grávida a loira fez sua primeira declaração de amor musical ao bebê que ainda iria chegar. O fato de gravar uma música sobre a maternidade mesmo antes de viver a experiência fez Xuxa se lembrar da canção no ano seguinte, quando a Rainha foi entrevistar Madonna:


Revista Caras (30/01/1998)



Os formatos
"Boas Notícias" foi lançado nos formatos CD e K7.

Assim como seu antecessor, "Arraiá da Xuxa", o Boas Notícias só saiu em CD e K7

A fita K7 tornou-se um item mais raro, pois a tiragem já era bem menor que o CD. Foi o último disco de Xuxa a sair neste formato. Para que houvesse uma melhor distribuição, a ordem das faixas foi bastante alterada:


A ordem das músicas foi alterada na fita K7
(Arte: recriação de Vinícius Rezende)

O encarte do CD traz fotos de um ensaio diferente do que foi utilizado na capa e contracapa. O curioso fica pela repetição das fotos. Apenas inverteram as posições ou fizeram uma aproximação no enquadramento, o que a uma primeira vista faz parecer que são fotos diferentes. Algo estranho já que outtakes desse mesmo ensaio foram divulgadas pouco depois. Por que não usá-las?


Reutilização de fotos na parte interna do encarte: rotação de imagens e zoom


Uma versão promocional em CD chegou a ser mostrada no Xuxa Park. Do mesmo jeito que uma versão “demo” (ainda sem os créditos na contracapa) também foi mostrada no Planeta Xuxa.  No início deste ano, um desses exemplares promocionais apareceu para venda num site de comércio virtual. A descrição indicava que se tratava de “uma das 100 cópias produzidas para presentear as pessoas envolvidas na produção do disco”. Nunca houve qualquer informação oficial que confirmasse esse número e essa destinação.

O CD promocional: O nome do disco e de Xuxa vinham impressos no próprio acrílico e a bandeja era transparente para mostrar o inlay que recriava a arte da mídia.
Na versão posta à venda, a bandeja era do tipo black piano
(Imagens: Junior Barreto)


Divulgação
Além do Especial de TV na Terça Nobre, que se tornou um dos maiores divulgadores do disco por conta dos clipes, foram veiculados comerciais de TV na Rede Globo e propagandas impressas nos gibis da Editora Globo como já acontecia desde o Xuxa 5 (1990).




Um show de lançamento – não propriamente o da turnêaconteceu no dia 28/09/1997 no Parque do Carmo, em SP. O evento foi patrocinado pela Rádio Cidade e cerca de 250 mil pessoas esperaram a manhã inteira para ver Xuxa. O público foi recorde!


Manchete do jornal "Notícias Populares" de 29/09/1997.
Os jornais "Estadão" e "Folha de São Paulo" apontam um público de 250 mil pessoas


Em 07 de dezembro de 1997, Xuxa contou em rede nacional, através do Domingão do Faustão, a melhor boa notícia: estava grávida! Claro que isso tomou conta dos jornais por muito tempo e foi num desses que tivemos uma divulgação atípica: no dia 09/12/1997, o Jornal O Globo publicou um anúncio de meia página sobre o Boas Notícias em forma de mensagem para o novo ano:


Anúncio publicado um dia após os jornais noticiarem a gravidez de Xuxa


Turnê
Outra forma de divulgação de qualquer disco é a respectiva turnê. Com o Boas Notícias, as coisas foram um pouco fora do comum. Xuxa ainda estava rodando com a turnê do disco anterior, Tô de Bem com a Vida, e optou por incluir as principais faixas do álbum na setlist anterior. Alguns outros fatores também contribuíram para que a turnê do álbum sofresse alguns desfalques: Xuxa rompeu os ligamentos do tornozelo durante a gravação de seu programa e teve que ser operada em 06/11/1997. Com isso, oito shows da nova turnê foram cancelados, como ela mesma contou:

“Infelizmente desmarcamos oito shows. Também cancelados a viagem a São Luís do Maranhão onde íamos fazer os vídeos do Especial de Natal” (A Tribuna, 21/12/1997)

Oito shows cancelados por conta da cirurgia:
"cai nessa dança com um sapato em cada pé gesso no pé"

No início de dezembro, ela descobriu que estava grávida e deveria se manter em repouso nos primeiros meses de gestação e diminuir o ritmo depois disso. Dos shows agendados, cerca de 31 foram cancelados (informações da revista Amiga de 06/06/1998).
Mas mesmo com tantas limitações a turnê aconteceu. Num cenário que reproduzia uma galáxia Xuxa levou suas boas notícias por algumas cidades até o dia 31/05/1998, data do último show realizado na cidade de Uberaba/MG.
Das 14 músicas do disco, 8 fizeram parte do setlist e Xuxa usou 4 figurinos.

Os figurinos da turnê "Boas Notícias"


Vendagem
A tiragem inicial foi de 400 mil cópias conforme divulgado em matéria do jornal O Dia. Por sua vez, a vendagem se resumiu a esse número já que o disco nunca foi relançado (o que aumentaria suas vendas) e, na época, o álbum bateu de frente com o disco da novela infantil Chiquititas, verdadeira febre entre as crianças.

As crianças brasileiras só querem saber de cantar as músicas e de imitar as Chiquititas, personagens da novela do SBT que dá até 20 pontos no hora do 'Jornal Nacional'
Mas termômetro mesmo é o primeiro disco da trilha de Chiquititas: foram 780 mil cópias em dois meses. E a previsão é de 1 milhão até dezembro. O de Angélica, lançado no mesmo período também pela Sony Music, nem passou perto: 270 mil. O Boas Notícias, de Xuxa, que saiu pela Som Livre, está na marca da 400 mil.                                                          
(Jornal do Brasil, 23/11/1997)

Mesmo assim, a boa tiragem inicial foi suficiente para fazer o título figurar na lista dos 10 mais vendidos por duas semanas.




O Ensaio
Poucas fotos foram divulgadas do ensaio que deu origem à capa e contracapa, mas a agenda Bicho Comeu 98 e a edição especial Caras Moda publicada em outubro/97 trouxeram algumas outtakes para saciar a curiosidade dos fãs.

Fotos publicadas na Caras Moda de outubro/1997


Agenda "Bicho Comeu"

Já as fotos do encarte são de outro ensaio, que também teve algumas "extras" divulgadas na extinta publicação Mais Vida da Editora Três em dezembro de 1997.


Revista  "Mais Vida", dezembro /1997


Curiosidades
Ø  Xuxa Morena: Sabem a famosa capa “Quem é essa Mulher?” que a revista Manchete publicou em 1997? Aquele ensaio é o mesmo da capa do disco, quem diria? “A apresentadora surpreendeu todos que estavam no estúdio de André Schiliró, quando chegou ao ensaio fotográfico de seu novo disco Boas Notícias, carregando uma mala com 200 perucas. “Hoje quero algo diferente! Vamos usar peruca, gente!(Manchete, 04/10/1997)





Ø  Boas Notícias em “Por Amor”: algumas músicas (Amarelinha, Preste Atenção, Serenata do Grilo) do disco tocaram nas cenas da festa de aniversário de Marcelinho, o filho da protagonista Eduarda (Gabriela Duarte) na novela Por Amor, exibida entre outubro/97 e maio/98.  Nenhuma das faixas fez parte da trilha oficial da novela. Assista aqui: cena 1 e cena 2 


Ø  Parece, mas não é: A faixa "De Grão em Grão" (que alguns fãs conhecem como "Celeiro do Mundo"), apresentada no Especial de Natal de 1997, não é uma "sobra" do Boas Notícias. A música foi gravada originalmente por Aline Barros, para o programa Criança Esperança em 1996. Quando Xuxa precisou dar um tempo nas gravações do Especial por conta de sua cirurgia no pé, ela disse: "se não der para fazer isso (retomar as gravações), vou aproveitar o tempo para gravar em estúdio as canções para o meu especial de Natal" (Entrevista ao jornal Hoje em Dia, 08/12/2017). Lembrando que o programa teve apenas duas músicas inéditas: De Grão em Grão e Luz da Paz. Sem contar que a faixa é composição de Sullivan e Massadas, parceria que foi desfeita em 1993. Não haveria motivo para Xuxa regravar a faixa tanto depois para um disco em que Sullivan atuava como produtor e onde já existiam músicas de sua parceria atual (Dudu Falcão).

Xuxa durante a gravação do clipe "De Grão em Grão",
que teve como um de suas locações o Sítio Santa Rita, em Santa Cruz/RJ


Ø  Neste novo tempo que vem vindo”: na atual forma de consumir música cada vez mais o digital ganha espaço. As mídias físicas dão lugar aos serviços de streaming e arquivos digitais. O “Boas Notícias” só chegou às plataformas digitais em agosto de 2015, cerca de 4 anos após grande parte da discografia da loira já estar disponível no formato.


Ø  Retrô, sim senhor: o formato digital agora pode até dominar o mundo da música, mas também muita gente que não abre mão dos saudosos discos de vinil. Como dissemos, o Boas Notícias não foi lançado nesse formato. Por essa razão, um grupo de fãs se uniu e mandou fazer por conta própria o vinil do álbum. O trabalho ficou digno de aplausos e quem não conhece a história pode tranquilamente acreditar que o disco foi lançado no formato. 

Mais vale um vinil na mão que um arquivo voando (na nuvem)!
(Fotos: Ulisses Quadrelli e Junior Barreto)


Me conte Boas Notícias...
São 20 anos de um disco que carrega a responsabilidade de fazer parte de duas gerações de baixinhos: geração Xou e geração Park. Ouvir cada faixa depois desse tempo todo mexe com a nostalgia, o cantinho bom da infância, mas também nos faz refletir o quanto “Boas Notícias” é mais que uma forma de recordar o que é bom, é um recado para sermos bons.

“O que é que a gente quer do mundo... 
pare e pense só por um segundo,
temos tanto pra pensar”
(Oração de um Novo Milênio)


Comentários
5 Comentários

5 comentários:

Wagner Miller disse...

Adoro o Blog! Muitas informações. É é justamente o que estou procurando. Queria saber onde encontro a versão de Lua de Cristal com a orquestra exibida no último xou da Xuxa, na parte com J. Silvestre,onde ela reencontra o pai. Já pesquisei em vários lugares mas não encontro.

Daniel Martins disse...

Godofredo o piolho foi usada também como bg de brincadeiras do Park, do meio pro final de 97!

Fabiano Banna disse...

Nossa, me vieram várias (ótimas)lembranças dessa época!
Esse disco retrata uma boa fase na história da Xuxa e na minha vida também!!!

Roble Gama disse...

Adoro essas materias grandes que vcs fazem, muitos fatos desse disco eu nao sabia, e queria dar uma sugestao de pauta, a Live que a Xuxa deu essa semana, o esclarecimento que ela deu a sociedade sobre a Lei menino Bernardo merece um destaque aqui no blog, ela deu um show de maturidade e conhecimento de causa, senti orgulho da cidadã Xuxa, respondeu a todos "ataques" sem baixar o nivel embora percebece que ela tava pelas tampas de tanta besteira que vem escutando nesses ultimos dias, fica ai minha sugestao de materia, uma atualizada no tema Lei Menino Bernardo em cima da Live dessa semana que passou.

Jonas disse...

Bíblia do pop brasileiro!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...