quinta-feira, 29 de março de 2018

Dancing Brasil 3 - Ep.11 (28/03/2018)

Um dia depois de comemorar seu aniversário, nossa Rainha apresentou mais uma das melhores edições do Dancing Brasil. Mas antes, vamos falar das comemorações: as imagens não foram ao ar, mas todo elenco e produção do Dancing Brasil comemoraram os 55 anos da Rainha com bolo e "Parabéns da Xuxa" durante os ensaios do programa, na terça. Olha aí:

Aniversário no ensaio com direito a bolo vegano!


Já na quarta, foi a vez da plateia cantar o parabéns para a Rainha auxiliados pela banda do programa. O vídeo desse momento foi postado nas redes da loira, vocês já viram?

É big, é big, é big!
É hora, é hora, é hora
Homenagens feitas (e merecidas), era hora de dar início à 1ª Noite Latina do Dancing Brasil, que foi muito além do esperado: toda cenografia do programa foi modificada, deixando tudo muito mais vibrante e enfeitado. Em nenhum outro programa temático as mudanças foram tão intensas.

Até o mezanino do Lelê virou um anexo de la Bodeguita del Dancing Brasil

Numa noite caliente, nossa Rainha vestiu um figurino mais leve, mais verão e já conhecido do público. O vestido assinado por Martha Medeiros já havia sido usado no jantar beneficente do Instituto Ressoar, em dezembro do ano passado.

As rendas multiuso de Martha Medeiros: de jantar do Ressoar ao Dancing para bailar

E não foi só o cenário que mudou, o trio de jurados virou um quarteto: o cantor Sidney Magal integrou a bancada e também foi o convidado de honra da noite. O "4º elemento" já havia sido testado no Dancing Especial de Final de Ano, só que a impressão deixada não foi tão satisfatória. Já já a gente fala se o Magal mudou isso...

Quando o Trio Parada Dura vira o Quarteto Fantástico

O programa começou com uma ótima notícia: a atração foi a grande vencedora do prêmio internacional Shorty Awards, considerado o Oscar das Redes Sociais, na categoria "Integração com TV Ao Vivo". Mais do que merecido!

É sucesso que chama, né?
Hummm, não.... É XUXEXO!!!

Com a final se aproximando, a dinâmica das apresentações novamente trouxe novidades: alguns dos dançarinos eliminados nas semanas anteriores se juntaram às duplas para fazer a performance em trio, algo inédito nas três temporadas. Foi essa "volta dos que não ficaram" que roubou a cena nos vídeos dos ensaios: vários deles contaram sua trajetória e desafios de estar no Dancing Brasil; uma forma de registrar tudo aquilo que não tiveram oportunidade de dizer no dia das suas eliminações. Como bem disse Marina Elali: "hoje, para um dançarino no Brasil, não há nada maior que o Dancing Brasil".

Claro que na bodeguita do Dancing tinha que ter música ao vivo; a banda se incumbiu de animar as performances e ainda acompanhar o convidado Sidney Magal em seu número de encerramento. Paulo Goulart - que foi menos bonzinho que de costume - sintetizou o clima das performances: "estamos numa etapa em que o nível está altíssimo". Verdade! Tão alto que uma delas teve até participação especial do Jaime "dançando"  (sim, fomos exagerados) jive. Quem conseguiu a proeza foi Bárbara Borges, que puxou o pai do jive, para compor seu grand finale.


Jaime NÃO SÓ viu o jive, como DANÇOU o jive!

Ter o 4º elemento no time de jurados não foi novidade, mas o que ele pode causar sim! Quádruplo 10! Ao lado de Teo e Carol, Geovanna Tominaga deu um show de dança e conseguiu mais uma vez nota máxima dos 4 jurados da noite, somando 40 pontos!


A participação de Carol foi DEZ, literalmente
O trio fez história no programa: 1º quádruplo DEZ!

Falando nos jurados, o entrosamento surpreendeu. Quem achou que Sidney Magal poderia ficar meio deslocado, como aconteceu com o Buddy Valastro em dezembro passado, errou feio. O cantor estava afiado e surpreendeu com umas notas até menos generosas que a do trio oficial.

Magal, que já participou de um programa de dança em estilo reality, deixou claro: Dancing é o melhor programa de dança da TV brasileira. Esse tem conhecimento de causa...

Mas Sidney não foi apenas jurado: ele se apresentou com um medley ao vivo dos seus grandes sucessos com o time de dançarinos do Dancing Brasil.

Quero vê-lo sorrir, quero vê-lo cantar
Quero ver qual é a nota que ele vai dar!


Lembram que a gente comentou quando Xuxa encarnou a cigana Sandra Rosa Madalena em 2016 no Xuxa Meneghel? Ontem teve repeteco. Nossa Rainha não se conteve com o som do cantor e soltou um pouquinho a franga, como a gente bem gosta...

A cigana Xandra Rosa Madalena tá viva!


Mesmo em noite latina, os ritmos foram ecléticos e desafiadores. Até valsa teve. Dá só uma olhada na setlist:

Abertura: Vida [Rick Martin] (2014)

1. Rodrigo Capella & Flávia Café & Bruna BaysBaila Me [Gipsy Kings] (1991)
Ritmo: Salsa

2. Marina Elali & Jefferson Andrade & Fernando Perroti Havana [Camila Cabello] (2017)
Ritmo: Rumba

3. Geovanna Tominaga & Téo & Carol DiasDespacito [Luis Fonsi feat. Daddy Yankee] (2017)
Ritmo: Zouk

4. Raissa Santana & Paulo Vítor & Tutu MorasiValsecito [Vinícius de Moraes e Chico Buarque] (1970)
Ritmo: Valsa

5. Bárbara Borges & Marquinhos & CaioLa Bamba [Ritchie Valens] (1958)
Ritmo: Jive

6. Eduardo Pelizzari & Dani De Lova & Bella FernandesGitana [Shakira] (2009)
Ritmo: Zouk

Apresentação de Sidney Magal:  Medley: Meu Sangue Ferve Por Você (1977)
                                                                      Tenho (1978)
                                                                      Sandra Rosa Madalena, A Cigana (1978)


Mesmo com todo o clima caliente da noite, a temperatura esfriou para uma dupla na zona de risco. Toda intensidade da dança de Eduardo Pelizzari, Dani de Lova e Bella não foram suficientes para o ator conquistar uma boa nota. Dudu acabou indo para a zona de risco ao lado das duplas Paulo Vítor & Raíssa e Capella & Flávia.




Na próxima semana já é a semifinal e duas duplas devem deixar a competição!
Para quem você está torcendo?

Dancing 3: semifinal vem aí!


terça-feira, 27 de março de 2018

Xuxa 55 anos - "I Love Xuxa"

Xuxa, o que a gente mais queria era poder transformar cada desejo seu em realidade... Garantir que você e todos que lhe são importantes sejam "felizes para sempre"! Como não temos esse poder, esteja certa que todos dias pedimos isso para Aquele que pode e acreditamos que tem dado certo...

Mesmo assim não desistimos e tentamos fazer pelo menos um pequenino desejo seu virar realidade: se tornar uma espécie de Lucille Ball, a estrela de "I Love Lucy".

Apresentamos "I Love Xuxa", um seriado onde a personagem principal é mais que REAL (em todos sentidos da palavra, que fique claro) numa história escrita por quem mais a ama nessa vida: o Cara lá de cima.

Receba nosso carinho, respeito e admiração e obrigado por nos ensinar que o primeiro passo para ser feliz é saber rir de nós mesmos

"We love Xuxa" diz o último capítulo do vídeo...
 Último sim, mas numa história que não tem fim!

Renan Bressan
Leandro Franco

quinta-feira, 22 de março de 2018

Dancing Brasil 3 - Ep.10 (21/03/2018)

Décimo episódio! Já estamos na reta final da 3ª temporada do Dancing Brasil... Parece que foi ontem que tínhamos uma infinidade de casais (15!!!) se apresentando no mesmo programa, mal sobrando tempo para Xuxa interagir. Restam apenas 6 casais e em menos de um mês saberemos qual será a melhor dupla do time de participantes mais equilibrado do programa até hoje; mas até lá, temos muita coisa para comentar...

O Dancing 3 já entrou na reta final: em meados de abril saberemos quem será o grande campeão da maior - e melhor - pista de dança da TV brasileira

O número de abertura voltou! Já estávamos com saudades (ou mal acostumados). O grande barato ficou pela possibilidade de poder conhecer melhor o cenário da atração, "cantinhos" que a gente mal vê; a câmera foi passeando pela plateia, subiu as escadas e nos deu uma visão mais ampla do mezanino - com direito à participação de Leandro Lima. Só não merece nota 10 porque a Rainha, mais uma vez, não participou. E já em clima de balanço geral, a participação de Xuxa nas aberturas foi o que fez mais falta nessa temporada...

Passa na plateia, sobe a escadinha
Mostra todo mundo, menos a Rainha...

☹☹☹

Sem programa temático, o figurino da loira voltou ao "normal". O vestido escolhido para a noite é uma criação da marca Lança Perfume. A maquiagem da loira foi uma atração a parte e chamou mais atenção que o próprio vestido. Linda é pouco!

Vestido "Lança Perfume" e maquiagem de Edduh Moraes

Já na abertura, nossa Dancing Queen contou que a dinâmica da eliminação ganhou uma novidade, mas nós vamos falar disso mais para o fim. Temos que comentar algumas performances que merecem nosso triplo 10 pela ousadia e novidade:

Dudu Pelizzari e Dani De Lova apresentaram uma salsa que deixou todo mundo tão empolgado que deu até vontade de chamar mais gente para compor o juri, só para aumentar a nota do casal, não é, produção?

O Buddy não estava lá, mas se estivesse, apostamos que tinha dado dez pro Dudu

Raíssa e Paulo Victor dançaram forró e trouxeram pessoas da plateia para fazer parte da apresentação numa animada roda de dança. Foi a primeira vez que a plateia fez parte de uma performance dos participantes.

Forró for all...

Bárbara Borges e Marquinhos fizeram a parte inicial da apresentação de rumba dentro de um elevador cenográfico, não ficando visível aos olhos dos jurados, nem da plateia, a não ser pelo telão. Uma ousadia e tanto, pois a gente de casa já ficava pensando: "meu Deus, ficar dentro disso, sem os jurados verem... Vão levar puxão de orelha por não explorarem o palco". Que nada! Nessas horas que a gente vê que não entende nada, o juri adorou e a dupla levou a máxima da noite: 30 pontos! Bem merecidos, diga-se de passagem.

Já ouviram a expressão "música para elevador"?
No Dancing tem a dança para elevador!

A apresentação de zouk de Marina e Jefferson não empolgou tanto, mas fez ativar a boa memória de Jaime. O jurado lembrou que foi o ritmo que desclassificou o casal Sheila Mello e Marcelo (que coincidentemente foram eliminados num 10º episódio) na 1ª temporada.

O Ministério da Saúde adverte: dançar faz bem à memória


E quem menos fez os olhos dos jurados brilharem, por incrível que pareça, foi a dupla Geovanna e Teo. O paso doble não deu muito certo e acabou resultando numa situação incômoda para nossa japa. A moça parece não ter assimilado muito bem os comentários do trio de jurados e se justificou bastante. Tava bonito, Geovanna, fica tranquila... No fim dá tudo certo.


Com nota máxima ou não, a trilha sonora marcou pela presença de sucessos do pop, com mínimas exceções. Confira a lista completa:

Abertura: Geronimo [Sheppard] (2014)

1. Eduardo Pelizzari & Dani De LovaNew Rules [Dua Lipa] (2017)
Ritmo: Salsa

2. Joanna Maranhão & Bruno ComanSuddenly I See [KT Tunstall] (2004)
Ritmo: Quickstep

3. Marina Elali & Jefferson AndradeSorry [Justin Bieber] (2015)
Ritmo: Zouk

4. Raissa Santana & Paulo VítorCaldo de Cana [Quarteto Olinda] (2009)
Ritmo: Forró

5. Bárbara Borges & MarquinhosGlory Box [Portishead] (1994)
Ritmo: Rumba

6. Rodrigo Capella & Flávia CaféGrace Kelly [Mika] (2007)
Ritmo: Foxtrote

7. Geovanna Tominaga & TéoPsycho Killer [Talking Heads] (1977)
Ritmo: Paso Doble

Desafio do Improviso: I’m Still Standing [Elton John] (1983)

Ritmo: Jive

Pela primeira vez nessa temporada, a zona de risco foi composta por apenas dois casais. Isso porque antes da votação do público, as três duplas que tiveram as menores notas fizeram um novo embate: um desafio improvisado de jive, em que os três casais dançaram ao mesmo tempo enquanto os jurados faziam a avaliação: Geovanna e Teo, Joanna e Bruno e Marina e Jefferson.


Os jurados deveriam deixar por último o casal que receberia a "salvação" da zona de risco e quem obteve a "graça" foi Geovanna e Teo. Marina e Joanna disputaram a preferência do público e a nadadora não conseguiu a porcentagem necessária e teve que deixar a competição. A competição chegou ao ponto em que, agora, qualquer casal que saia já nos dá aquela sensação de que foi injusto, porque todos merecem estar ali.



Na semana que vem teremos a Noite Latina do Dancing Brasil com direito a um convidado bem "caliente": Sidney Magal vai integrar a bancada de jurados ao lado de Fernanda, Jaime e Paulo Goulart. Vai ver que foi por isso que soltaram o GC do Buddy Valastro... queriam ter certeza que estava funcionando para semana que vem.

Ei, produção, dá tempo de pedir Xuxa vestida de cigana Sandra Rosa Madalena na abertura? 
Ela leva jeito, ó:

Que venha a cigana Xandra Rosa Madalena !!!


quinta-feira, 15 de março de 2018

Dancing Brasil 3 - Ep. 09 - Séries de TV (14/03/2018)

O 9º episódio do Dancing Brasil 3 foi um dos mais caprichados e surpreendentes de todas as temporadas até agora. Quando falamos em "episódio" e "temporada", o que vem imediatamente a sua cabeça? As séries de TV!  E foi exatamente esse o tema do programa dessa semana.

Game of ThronesFriendsSmallville e Jeannie é um Gênio: algumas das séries que foram representadas nas performances do Dancing Brasil

Desde fevereiro, sabíamos que haveria algo assim, pois Xuxa contou, em entrevista ao site Observatório da Televisão (21/02), que encarnaria a personagem Daenerys Targaryen da série Game of Thrones (HBO) no programa. Por mais que a gente saiba da eficiência da equipe de caracterização do programa, novamente nos surpreendemos com a produção:

Daenerys Targaryen & Jon Snow ou Xaenerys Menegaryen & João das Neves ???


Como de costume, a roupa foi assinada por Marcelo Cavalcante, que postou um croqui em seu perfil oficial, e confeccionada por Michelly X. As jóias usadas são de Miranda Castro.

Figurino para nossa Khaleesi
(Khaleesi é o título que o povo dothraki dava à esposa do Khal; Daenerys é uma khaleesi na série)

A caracterização não se limitou ao figurino. Nossa Princesa Daenerys (ou seria Xaenerys?) começou o programa em um trono inspirado no Trono de Ferro da série. A propósito, lembram que falamos que conhecer a música da apresentação dá um aproveitamento bem maior do que é mostrado nas performances? O programa dessa semana foi todo assim, não só pelas músicas...

Então, se você conhece a história de Game of Thrones (ou GoT como preferem os fãs) você captou todas as referências. Já se você está por fora disso, não se preocupe, começa agora o resumão de GoT do Xuper Blog: Quem senta no trono de ferro é quem vai governar os Sete Reinos de Westeros, Dayneres entende que o trono é seu por direito, mas tem mais um monte de gente que também acha que tem o direito de sentar lá e cada um vai dar seu jeito de lutar por isso. Um dos possíveis ocupantes do trono é Jon Snow, filho do irmão mais velho de Daenerys.

Pronto, acabou o intensivão. Leandro Lima deu vida ao Jon Snow do Dancing Brasil. O nosso João das Neves é bem mais divertido que o da série e a nossa Dayneres nem precisa de trono para reinar.



Agora chega de GoT (por enquanto) e vamos aos outros personagens da noite: Fernanda Chamma entrou na onda e foi de Evil Queen, da série Once Upon a Time. Tem como ser mais perfeito? A Evil Queen é daquelas personagens que é má, mas é boa e que faz a gente torcer pela vilã, que não é vilã. Entendeu? Não? Fica a dica para sua próxima série...

Fernanda Chamma: Evil Queen ou Regina Mills?
Só sabemos que não tem como não amar, mesmo quando ela é má...

(tal e qual a personagem de Once Upon a Time)


Dentro das performances, a escolha das séries foi bem diversificada. Teve para todos os gostos e gerações, dos anos 60 ao presente.. Já na 1ª dança da noite, Hylka Maria e Fernando, representaram "Friends", com direito a recriação da abertura e até do logo do famoso Central Perk convertido em Dancing Brasil.  Nota: o Central Perk era o café onde os seis amigos se reuniam para conversar, paquerar, desabafar e nos divertir!



A maioria das músicas era dos temas de abertura das respectivas produções, mas como já falamos,  o óbvio não é característica do Dancing Brasil. Quem poderia imaginar que Grey's Anatomy seria tão bem retratada numa música, já que a série é cheia de drama e situações mais tensas da rotina de um hospital? Pois deu certo, buscaram o episódio musical da série para fazer isso. Joanna Maranhão e Bruno encarnaram o casal Meredith Grey e Derek Sheperd.  Chama o cardiologista porque assim o coração não aguenta.


Ficou se perguntando por que tal música estava ligada ao seriado "x". Lembrou da música, mas não lembra quando passou isso na sua série favorita? A gente dá uma ajudinha:

1. Hylka Maria & Fernando Perrotti I'll Be There for You [The Rembrandts] (1994)
Ritmo: Jive
Seriado: Friends (1994-2004)
Quando: Abertura da série

2. Eduardo Pelizzari & Dani De Lova – Hallelujah [Jeff Buckley] (1994)
Ritmo: Valsa
Seriado: The OC (2003-2007)
Quando: Episódio 27 da 1ª temporada

3. Raissa Santana & Paulo Vítor – Bad Girls [Donna Summer] (1979)
Ritmo: Cha Cha Cha
Seriado: Sex and City (1998-2004)
Quando: Episódio 1 da 3ª temporada

4. Joanna Maranhão & Bruno Coman – Chasing Cars [Sara Ramirez, Kevin McKidd and Chandra Wilson] (2011)
Ritmo: Rumba
Seriado: Grey’s Anathomy (2005-em exibição)
Quando: Episódio 18 da 7ª temporada

5. Geovanna Tominaga & Téo – Hawaii Five-0 Main Title Theme [Morton Stevens] (1968)
Ritmo: Quickstep
Seriado: Hawaii 5.0 (1968-1980)
Quando: Abertura da série

6. Marina Elali & Jefferson Andrade – Superman (It’s Not Easy) [Five for Fighting] (2001)
Ritmo: Foxtrote
Seriado: Smallville (2001-2011)
Quando: Episódio 16 da 1ª temporada

7. Rodrigo Capella & Flávia Café – Theme from S.W.A.T. [Barry De Vorzon] (1975)
Ritmo: Paso Doble
Seriado: S.W.A.T. (1975-1976)
Quando: Abertura da série

8. Bárbara Borges & Marquinhos – Jeannie [Hugo Montenegro] (1966)
Ritmo: Quickstep
Seriado: Jeannie é um Gênio (1965-1970)
Quando: Abertura da série a partir da 2ª temporada

Encerramento (Xuxa): Game of Thrones Main Title Theme [Ramin Djawadi] (2011)
Seriado: Game of Thrones (2011-em exibição)
Quando: Abertura da série

Voltando às caracterizações, ninguém mereceria o triplo 10 mais do que Bárbara Borges, que ficou a cara da atriz Bárbara Eden na época que interpretou Jeannie, da série "Jeannie é um Gênio".

O trabalho do maquiador Rogério Pontes foi literalmente BÁRBARO...
ou serial GENIAL?

Outra performance memorável foi a de Geovanna Tominaga e Teo. Eles recriaram a abertura da clássica série Havaii Five-0 e deixaram todos boquiabertos. Mas quem não segurou mesmo sua empolgação foi Xuxa, que logo percebeu o triplo 10 que estava por vir e não escondeu sua torcida, protagonizando o momento mais divertido da noite!



Aquele momento em que você descobre que sua série preferida foi renovada para mais uma temporada e não consegue esconder a empolgação...

Depois das apresentações, outra surpresa: a abertura de Game of Thrones não ficou de fora e nossa Rainha mais uma vez arriscou alguns passos de dança em uma das suas melhores performances até hoje.  Lembrando que ninguém sabia que ela dançaria, até Leandro anunciar durante o programa.  Teve até Dragão voando, gente!



Com as menores notas da noite, Hylka Maria, Dudu Pelizzari, e Raíssa Santana foram para a zona de risco. Sem esconder a emoção e o nervosismo, durante a conversa com Leandro, Dudu soltou um palavrão para elogiar o "baita" programa, levando nossa Rainha às gargalhadas.



Mas a farra acabou quando chegou a hora de anunciar quem deixaria o programa. Se Friends é praticamente unanimidade na preferência dos amantes de séries, o mesmo não aconteceu com Hylka e a atriz deixou a competição.



Restam 7 participantes e o programa vai caminhando para seu encerramento de temporada. A gente já está mais que acostumado em esperar quase um ano entre uma temporada e outra da nossa série favorita, mas não sabe lidar nem com um mês sem nossa Dancing Queen na TV. Só que essas lamentações nós deixaremos para a "season finale" em abril. Para a semana que vem, a loira só deixou escapar que haverá uma dinâmica decisiva para quem estiver na zona de risco. Queremos spoilers disso, produção!

Descobrir quem vai levar o troféu Dancing Brasil está tão difícil quando saber quem vai sentar no Trono de Ferro de Westeros...

quinta-feira, 8 de março de 2018

Dancing Brasil 3 - Ep. 08 - Homenagem às Mulheres (07/03/2018)

Desde que foi anunciado, no meio da semana passada, que Xuxa se apresentaria vestida de Madonna no Dancing Brasil em homenagem às mulheres, parece que todos os fãs da loira - a nossa - repetiam inconscientemente os versos iniciais do refrão de Justify My Love (música de Madonna): "wanting, needing, waiting"... É, todo mundo queria muito ver como isso ia acontecer; afinal não é todo dia que se vê uma rainha se transformar em outra.

♫ ♫ ♫  Dona, dona, dança da Madonna
Se levanta da poltrona
Vem comigo, vem dançar  
♫ ♫ ♫
...no Dancing Brasil

Mas a homenagem à Madonna tinha um motivo muito mais importante que exaltar seus feitos como Rainha da música pop. O 8º episódio do Dancing Brasil 3 girou em torno das MULHERES! Aproveitando o gancho do Dia Internacional da Mulher, foram escaladas algumas mulheres que escreveram sua história nas páginas da música mundial e cada participante pode escolher a que mulher dedicar sua performance. Mães e avós foram, sem sombra de dúvida, as mais lembradas.

Podia até ser programa de Dia das Mães, mas querem saber?
Elas merecem todas as homenagens SEMPRE

A escolha de Madonna como a principal homenageada se justifica não somente por sua carreira na música, mas pela força com que sempre defendeu o empoderamento feminino e a libertação do machismo. Aliás, essa foi a palavra da noite: empoderamento. Madonna foi eleita a Mulher do Ano, em 2016, pela Billboard e seu discurso na premiação se tornou referência sobre o assunto, tanto que Xuxa abriu o programa relembrando o momento.


Empoderamento feminino: a expressão entrou na moda agora, mas a luta é antiga


Mas nem só de discursos e homenagens se fez a noite do Dancing. Há o entretenimento e ele começou pela caracterização da nossa Dancing Queen. O figurino usado por Madonna, em 1990, na abertura da Blond Ambition Tour foi a inspiração de Marcelo Cavalcante, que mais uma vez contou com Michelly X para dar vida à obra. A peruca foi um trabalho da Nilta Estilo em Cabelos. Sabiam que havia a opção de peruca em forma de rabo de cavalo, mas acabou não sendo utilizada?

Ambição loira: Marcelo Cavalcante adaptou o figurino de 1990 para 2018


Seguindo a "estratégia" dessa temporada, o número musical com nossa Rainha não foi exibido na abertura. Na realidade, nem teve abertura... Xuxa entrou rapidamente no palco dando o seu boa noite, sem delongas ou qualquer apresentação de dança com os bailarinos. A ideia de segurar a audiência até o final é válida, mas a ausência de abertura nos dá aquela sensação de que falta algo, por estarmos acostumados a ter aquele aperitivo do que a noite nos reservava logo de cara nas outras temporadas. (Mudar é sempre bom, mas não tanto, gente... Vamos voltar com as aberturas, vamos?).

Não teve abertura, o momento tão esperado de Xuxa como Madonna ficou para o final

E quem deu as caras novamente foi a vinheta de apresentação no encerramento do 1º bloco. A gravação, que só havia passado nos episódios 1 e 4, ao que tudo indica voltou porque, com menos participantes, sobra mais tempo para ser exibida. 

Quem também reapareceu foi a banda do Dancing, mas dessa vez só com vocais femininos: Thalita Pertuzatti, Talita Real e Lívia Dabarian encarnaram as divas que embalaram a noite.

Óbvio: na noite dedicada às mulheres da música, só vocais femininos na banda do programa

Entre notas medianas e um único triplo 10, mais uma vez as performances demonstraram equilíbrio. Já os jurados pareciam procurar alguma coisa para justificar a ausência da nota máxima, mesmo quando ela parecia ser o único desfecho. A gente ainda está tentando entender porque pegaram tanto no pé de Geovanna e Téo com relação aos dois terem dançado sem se olhar tanto. O mais curioso é que a nota máxima foi de Raíssa e Paulo Vítor - merecidamente -, que também dançaram samba e se você quiser tirar a prova também não se olham tanto enquanto dançam, mas ninguém falou desse detalhe. Tirem sua conclusões...



Ainda no assunto "notas recebidas", vocês se  lembram que nos episódios anteriores o placar parcial era mostrado algumas vezes no decorrer do programa, muitas vezes estragando o impacto da nota final? Nesse episódio, isso foi abolido; voltou a dinâmica original: placar só no final, depois do último participante se apresentar.

As referências das músicas escolhidas estavam bem evidentes em algumas performances, o que torna a apresentação muito mais interessante para quem conhece a letra ou mesmo o clipe da música. Como exemplo, as apresentações da dupla Dudu & Dani, que utilizou um figurino todo azul e projeções de luas em referência à letra de "Blue Moon"; e da dupla Joanna e Bruno, que começou com o dançarino carregando uma caixa, fazendo referência à letra e ao clipe da música escolhida, "Irreplaceable".

A Beyoncé perguntou, você não acertou...
pegue sua caixinha e saia de mansinho


Não tinha reparado nisso? Então lá vai a lista das músicas para você ver se perdeu alguma referência... Lembrando que no canal oficial do Dancing Brasil no YouTube tem todas as performances para você rever a hora que quiser:

Abertura: Everybody [Madonna] (1982)

1. Bárbara Borges & Marquinhos – Bad Romance [Lady GaGa] (2009)
Ritmo: Paso Doble

2. Raissa Santana & Paulo Vítor – Se Acaso Você Chegasse [Elza Soares] (1965)
Ritmo: Samba

3. Rodrigo Capella & Flávia Café – Rolling in the Deep [Adele] (2011)
Ritmo: Quickstep

4. Eduardo Pelizzari & Dani De Lova – Blue Moon [Billie Holiday] (1952)
Ritmo: Foxtrote

5. Hylka Maria & Fernando Perrotti – I Wish I Knew How It Would Feel To Be Free [Nina Simone] (1967)
Ritmo: Cha Cha Cha

6. Marina Elali & Jefferson Andrade – I Kissed a Girl [Katy Perry] (2008)
Ritmo: Paso Doble

7. Geovanna Tominaga & Téo – Whenever Wherever [Shakira] (2001)
Ritmo: Samba

8. Isabel Fillardis & Caio Vini – The Shoop Shoop Song (It's in His Kiss) [Cher] (1990)
Ritmo: Quickstep

9. Joanna Maranhão & Bruno Coman – Irreplaceable [Beyoncé] (2006)
Ritmo: Zouk

Encerramento: Express Yourself [Madonna] (1989)


Ah, o encerramento... O que falar da Xadonna / Madonna Meneghel / Maduxa? Xuxa e Leandro brincaram o programa inteiro com o momento e deixaram todo mundo mais ansioso ainda, se é que isso era possível. A música escolhida foi Express Yourself, lançada em 1989, no disco Like A Prayer. A canção não é a música mais lembrada, nem mais executada de Madonna, mas fala da valorização da mulher como nenhuma outra. Um hino ao empoderamento feminino, para ficar dentro da expressão da moda.



Xuxa e os bailarinos recriaram a abertura da Blond Ambition Tour e a coreógrafa Vivien Fortes fez nossa loira executar os movimentos principais da performance original. Tudo isso num prazo de dois dias! Um trabalho incrível pois sabemos que Xuxa não é dançarina/bailarina e nem pretende ser. Literalmente uma homenagem REAL.

De Rainha para Rainha!


Momento Déjà-vu: Na performance de Joanna, uma surpresa: o marido da ginasta apareceu inesperadamente no final da apresentação, que terminou em clima de romance. Quem se lembra da performance de Sheila Mello, na 1º temporada, quando o nadador Xuxa também apareceu para encerrar a performance ao lado da esposa? É muito amor, não é, gente?

Casal que dança unido, permanece unido


Ainda bem que maridão de Joanna estava lá para dar uma força, pois o tempo fechou para ela, Rodrigo Capella e Isabel Fillardis. Os três participantes empataram com 21 pontos. Após 4 zonas de risco, Isabel não foi salva pelo público e acabou eliminada, demonstrando bastante desapontamento com o fim da participação.



Lindas, mães, pioneiras, batalhadoras, amadas, criticadas, premiadas, reverenciadas... Rainhas! Os adjetivos são muitos, pois elas se fazem muitas. Xuxa, Madonna... não importa, a noite foi de todas as mulheres.

Para a semana que vem, Xuxa adiantou que teremos uma noite dedicada aos seriados de TV. A loira já tinha contado, há alguns dias, que ainda ia se vestir de Daenerys Targaryen, uma das protagonistas da cultuada série Game of Thrones. Pois chegou o dia! É semana que vem, dia 14/03!

Preparem seus dragões!
The winter Dancing is coming!

quarta-feira, 7 de março de 2018

Dancing Brasil Retrô: Xuxa e Madonna (Teaser)

Hoje tem Madonna no Dancing Brasil! A Rainha do Pop é uma das mulheres homenageadas no programa, mas não é de hoje que a cantora é lembrada nas atrações da nossa Rainha. Se liga no vídeo e solte a Madonna que existe em você. "Express Yourself... Don't repress yourself"

 

sexta-feira, 2 de março de 2018

Dancing Brasil 3 - Ep. 07 (28/02/2018)

O 7º episódio do Dancing Brasil 3 marcou a metade da temporada e trouxe novidades. Se até então a inclusão do forró como ritmo "oficial" era o único diferencial comparado às temporadas anteriores, a noite de ontem apresentou a tarefa de cada participante se apresentar duas vezes - uma da forma tradicional e outra em grupo. O mais interessante foi descobrir que estava tudo lá na abertura.

Na abertura, uma coreografia "Dance Battle" já mostrava os times vermelho e branco com seus integrantes. Os fins justificam os meios começos, não é?

Nossa Rainha não participou do  número (😭), mas deu um xou a parte com o figurino. Como o programa não tinha um tema definido, o visual podia ser mais, digamos, genérico. Algo que você poderia usar também - se tiver o corpo da Rainha e um bom punhado de $$$, afinal estamos falando de realeza. Xuxa usou um vestido de Patrícia Nascimento, escolhido a dedo por seu figurinista Marcelo Cavalcante. "Como ela veio vestida de preto da última vez, achei que um branco com ouro ficaria bem", nos contou Marcelo. Sem contar no anel de 50 brilhantes da joalheria Miranda Castro. (Entenderam a parte do bom punhado de $$$?)

Quando um diamante usa 50 brilhantes...

Falar dos jurados pode soar repetitivo, pois o trio está sempre afiado - e ultimamente bem rígido - mas não tem como deixar o momento "Do Contra" de Jaime Arôxa de fora. O homem estava um mel, bonzinho, elogiando e até mesmo destoando da opinião dos colegas de bancada. Nem dá pra falar que o Jaime era o Malvado Favorito da noite...

Jaime ou Do Contra [*]: "se todos dão nota menor, eu dou maior; se derem maior, eu dou menor"
[*]Do Contra é um personagem que integra a Turma da Mônica, criação de Mauricio de Sousa. O menino recebeu esse nome por sempre expressar uma opinião contrária a de todos]

Acham que a gente está exagerando? Nem os participantes conseguiam esconder a surpresa com as considerações do jurado, famoso por sempre ter os maiores puxões de orelha e enxergar "defeitinhos" que 99,9% das pessoas não viu.

Jaime sendo bonzinho nos comentários?
É Dancing Brasil ou Apocalipse?!?

Não teve nenhum triplo 10, mas a maioria dos candidatos obteve boas notas, o que mostra mais uma vez o equilíbrio dos participantes dessa temporada. A surpresa ficou por conta de Marina Elali. A cantora que sempre se destaca, quase foi nocauteada - literalmente, já que seu forró foi ao som de K.O. de Pabllo Vittar - e ganhou sua nota mais baixa na competição. Só pode ter sido a emoção que atrapalhou a moça, pois ela não escondia a satisfação de dançar o ritmo pela primeira vez e encarou aquilo como uma homenagem ao seu avô, Zé Dantas, compositor do primeiro forró gravado NO MUNDO.



Já que falamos da "estreia" de Pabllo Vittar na setlist do programa, vamos a mais algumas: Robbie Williams, Barão Vermelho, Paralamas do Sucesso... Definitivamente, o Dancing é o programa mais eclético da TV e nós amamos isso. Olha só:

Abertura: Hey Pachuco! [Royal Crown Revue] (1991)

1. Marina Elali & Jefferson Andrade – K.O. [Pabllo Vittar] (2017)
Ritmo: Forró

2. Joana Maranhão & Bruno Coman – Great Balls of Fire [Jerry Lee Lewis] (1957)
Ritmo: Jive

3. Douglas Sampaio & Sarah Lage – Beyond the Sea [Robbie Williams] (2001)
Ritmo: Foxtrote

4. Geovanna Tominaga & Téo – Castle on the Hill [Ed Sheeran] (2017)
Ritmo: Tango

5. Hylka Maria & Fernando Perrotti – What a Wonderful World [Joey Ramone] (1996)
Ritmo: Quickstep

6. Rodrigo Capella & Flávia Café – Smooth [Santana ft. Rob Thomas] (1999)
Ritmo: Cha Cha Cha

7. Bárbara Borges & Marquinhos – You Raise Me Up [Josh Groban] (2003)
Ritmo: Valsa

8. Raissa Santana & Paulo Vítor – Valerie [Mark Ronson ft. Amy Winehouse] (2007)
Ritmo: Quickstep

9. Eduardo Pelizzari & Dani De Lova – Bleeding Love [Leona Lewis] (2007)
Ritmo: Rumba

10. Isabel Fillardis & Caio Vini – Human [Rag’n’Bone Man] (2016)
Ritmo: Paso Doble

Dança em grupo
Time vermelho: Bárbara, Capella, Geovanna, Hylka e Joanna – Pense e Dance [Barão Vermelho] (1988)

Time Branco: Douglas, Dudu, Isabel, Marina e Raíssa – SKA [Os Paralamas do Sucesso] (1984)

Voltando às notas...  O placar parcial mais uma vez não funcionou e, dessa vez, até "estragou" um pouco a surpresa do placar final. Além de não ficar pronto a tempo da nossa Rainha anunciar as notas parciais, o que faz a atração perder tempo, dessa vez os participantes que já estavam na zona de risco na primeira "mostra" foram os mesmos do final, deixando o desfecho da disputa bem previsível.

Nem se Douglas e Marina ganhassem os tão disputados 3 pontos extras, conseguiriam sair da zona de risco

A sintonia entre Xuxa e Lelê rendeu mais uma vez ótimos momentos de descontração. Destaque para nossa Rainha imitando o sotaque carioca de Douglas Sampaio, contagiando até mesmo os jurados.


No encerramento dos blocos, fomos surpreendidos com empresas muito conhecidas dos fãs: Espaço Laser e Casa X apareceram em merchandising projetados no chão do palco como era feito nas temporadas anteriores com os patrocinadores.

Na parte da Espaço Laser, a loira até mostrou as pernas depiladas...


Com o fim das apresentações das duplas era hora da novidade: as danças em grupo. Os participantes foram divididos em dois grupos - 5 duplas em cada - e a proposta era apresentar uma coreografia em que todos dançassem juntos, podendo misturar vários ritmos em uma só dança. Foi difícil escolher quem se saiu melhor e o suspense tomou conta do programa. Como há muito tempo não fazia, Xuxa agitou a plateia pedindo a opinião sobre qual o melhor grupo, o que deixou o clima ainda mais empolgante.

_ Quem vai ganhaaaaaar? Menino ou Menina?
Não, pera....

Diante dos votos de Jaime e Fernanda, sobrou para Paulo Goulart desempatar a votação. O homem se empolgou tanto que até quebrou a plaquinha.

Paulo se empolga tanto que até quebra a plaquinha...
Aqueles erros que são os acertos!

O time vermelho venceu, o que acabou com as chances dos participantes que estavam na zona de risco desde o início se livrarem da incomoda situação. Disputaram a preferência do público: Marina Elali, Isabel Fillardis, Joanna Maranhão e Douglas Sampaio. Embora Joanna tenha conseguido os 3 pontos extras da dança em grupo, a nadadora, mesmo assim, ficou na berlinda. As mulheres se deram bem e Douglas não conseguiu aprovação popular suficiente para permanecer na competição. O rapaz enfrentou sua quarta zona de risco.



Falando em mulheres, ao final da atração, nossa Dancing Queen contou que o próximo programa será uma espécie de homenagem às mulheres, já que sua exibição acontecerá na véspera do Dia Internacional da MulherA gente precisa dizer que mulher deveria ser homenageada no próximo dia 07/03?

Você sabe, não sabe?


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...