sábado, 31 de agosto de 2019

Dancing Brasil 5 - Ep. 09 || Três é Demais || (28/08/2019)


O episódio do Dancing Brasil dessa semana pode ser resumido no ditado “um é pouco, dois é bom, três é demais!” Sim, foi a noite do TRÊS e foi incrível! Três jurados, três programas para a temporada acabar e três dançando... Sim, na “Noite dos Trios”; as estrelas tiveram que dançar com dois profissionais ao mesmo tempo para tentar garantir sua presença na semifinal.




🔥Terceiro Elemento: fogo
A abertura foi ao som de “Fireball”, hit do cantor Pitbull, e os bailarinos do programa fizeram jus à música e puseram fogo no palco com uma coreografia bem animada, frenética mesmo e que terminou com a apresentação dos trios escolhidos para a noite.

"Um é pouco, dois é bom, três é demais"
No 9º episódio as coreografias foram apresentadas em trio

Os Terceiros Elementos – como Xuxa chamou o profissional “extra” – foram apresentados ao final. Coube aos bailarinos que já haviam saído da competição a nova função: Nicki Molina (par de Zéca Lima); Bella Fernandes (par de MC Koringa); Téo (par de Maria Cecília); Rafa Scauri (par de Natália Guimarães) e Flávia Café (par de Thierry Figueira).

Cada dupla ganhou o "Terceiro Elemento": bailarinos que já haviam deixado a competição voltaram para dar uma força



💃 Très Chic
Xuxa não dançou, entrou no palco após o final da apresentação já anunciando as novidades da noite e até no visual escolhido pela nossa Dancing Queen a gente achou um três, ou melhor, très... Très Chic!!! Embora a roupa lembrasse um pouco as roupas que a loira usava em especiais de natal por conta  da cor, foi exatamente esse detalhe que deu o “tchan”. Nessa temporada, Xuxa vem usando cores mais sóbrias ou preto. Ficou diferente, elegante... ficou Xuxa!

"Vermelho, vermelhaço, vermelhusco, vermelhante, vermelhão..." Foto: Blad Meneghel

🎁 Três surpresas
A primeira surpresa a gente já contou: as danças em trio. Mas tem mais... Xuxa anunciou que os casais que fossem para a zona de risco teriam uma chance extra de conseguir escapar daquela situação, a surpresa n.2: o Desafio do Tango. Quem fizesse o melhor tango ganharia imunidade e sairia da zona de risco.

Já a surpresa n.3 foi um tanto aflitiva para os partners, afinal previsível o Dancing não é. Apenas a estrela da dupla (ah, nessa parte não existe mais o trio, ok?) saberia qual música seria dançada. Parece algo até bobo, mas vamos lá... Uma das características do programa não é fazer a dupla extrair um ritmo de uma música que nunca seria pensada para aquele momento? Tivemos exemplos clássicos: um tango tirado de Tindolelê (Xuxa), uma rumba de Set Fire to the Rain (Adele), um samba de I Want You Back (Jacksons 5).

A diferença é que em todas essas apresentações a música já era conhecida dos profissionais e eles tinham tempo para encaixar os movimentos nas nuances das músicas. Agora imaginem fazer um tango sem saber o que ia tocar, por mais que existam passos “clássicos”, ainda poderia ficar algo meio nada a ver.

A estrela ouve a música a ser dançada no fone, enquanto o profissional fica só na expectativa


3️⃣👍Tri-legal
Jive de Três 
A responsabilidade veio pesada para Flávia Café. A morena foi o “terceiro elemento” da dupla Ricardo Vianna & Dani De Lova. Além de ter que se adaptar ao estilo do casal que já construiu uma cumplicidade nesses 9 programas – e isso aconteceu com todos –, ela ainda encarou o temido jive/Jaime para abrir a noite. Mas se a responsa era grande, o trio foi maior. Conseguiram NOTA DEZ do Jaime, que disse ter visto um "jive de três" pela primeira vez. Só por isso já mereciam mais uns 10...

Ricardo, Dani e Flávia: o primeiro "jive de três" reconhecido pelo Jaime Foto: Blad Meneghel


Madeirada! 
Ao som de Timber (Kesha & Pitbull), Bia Feres & Paulo Victor trouxeram Rafa Scauri de volta à competição para lhes apoiar no cha cha cha. O trio encarnou recriou um daqueles bares em que os bartenders dançam no balcão. Vibrante e teve até participação da plateia! Mesmo assim os jurados não se convenceram e deram a menor nota da noite. Em contrapartida, o pessoal de casa deu a melhor nota: 9

Rafa Scauri, Bia Feres e Paulo Victor: cha cha cha na balada Foto: Blad Meneghel


Dois lados 
Se na dramatização a bailarina Nicki Molina representou tudo aquilo que desestruturava a vida de Victor Sarro, na coreografia a moça veio para somar ao belíssimo trabalho de Bruna Bays. A partner de Victor mais uma vez mostrou uma delicadeza impressionante em transpor para a dança toda a dualidade do momento que Victor viveu antes de encontrar sua esposa. Melhor nota dos jurados: único TRIPLO DEZ da noite!

Victor & Bruna contaram com a participação de Nicki Molina na coreografia: melhor nota da noite, TRIPLO DEZ


Nas nuvens 
Dany Hypólito & Marquinhos receberam Téo, que já devia estar com saudade da parte da competição, já que o moço foi o primeiro a deixar a competição quando Maria Cecília foi eliminada. E ele veio sedento, afinal o ritmo foi jive (e a gente sabe o tanto que Téo manda bem no ritmo). Mas o protagonismo foi mesmo de Dany, não só porque dançou muito bem, mas, principalmente pela forma profissionalíssima com que lidou com um erro num movimento que a levou com o rosto de encontro ao chão. A moça respirou fundo e nos manteve nas nuvens com a coreografia inspirada nos aviadores dos anos 50.

Altos e baixos: Dany foi de um profissionalismo impressionante ao continuar a dança mesmo após ter sofrido uma queda. Foto: Blad Meneghel

Adrenalina Pura
D’Black & Carol Dias tinham a salsa como tarefa da noite e contaram com a ajuda de Bella Fernandes. Se o VT dos ensaios mostrou alguns momentos de divergências, no palco só se viu a adrenalina subindo e o espetáculo acontecendo.  Salsa de fazer inveja a Jennifer Lopez e Ricky Martin, viu? Segundo Fernanda Chamma, “o melhor trabalho da noite, a técnica da salsa pura!

D'Black, Carol e Bella fazendo a adrenalina do Dancing Brasil crescer: Fernanda Chamma deu até nota 20 😂


Três na zona de risco, mas...
No placar final, Ricardo & Dani; Bia & Paulo Victor e Dany & Marquinhos foram para a zona de risco e isso significou tarefa extra: era chegada a hora do Desafio do Tango.  A melhor dupla ganhava a imunidade e a votação aconteceria somente entre os dois restantes. Enquanto isso D’Black & Carol e Victor & Bruna já podiam respirar aliviados, a vaga na semifinal estava garantida para os dois.

Qual casal ganharia a imunidade graças ao Desafio do Tango?


Dua Lipa, Adele e Cirque du Soleil... Pois é, daí saiu o tango de cada um. Bia & Paulo fizeram valer as “novas regras” trazendo os movimentos sensuais para o hit pop de Dua Lipa. Dany & Marquinhos tiveram mais sorte porque Adele já é mais dramática em suas composições e ajuda a compor o clima do ritmo e Ricardo & Dani ficaram com o tema do Cirque du Soleil e também fizeram bonito. Mas o destaque foi de Dany & Marquinhos, escolhidos pelos jurados como os vencedores.

Tirar um tango de músicas de Dua Lipa, Adele e Cirque du Soleil... Nossos casais conseguem! Proximo desafio, por favor!


Entre Ricardo & Dani e Bia & Paulo Victor, a votação foi apertada. Ricardo & Dani foram eliminados com uma diferença de menos de 7%.




Músicas
Curtiu a playlist da noite, mas não sabe o nome de quem canta ou da própria música? A gente ajuda:
Abertura: Fireball [Pitbull feat. John Ryan] (2014)

1. Ricardo Vianna & Dani De Lova + Flávia CaféThe Girl’s Gone Wild [Travis Tritt] (2004)
Ritmo: Jive
Nota: 28 + 8,6 = 36,6

2. Bia Feres & Paulo Victor + Rafa Scauri Timber [Pitbull feat. Kesha] (2013)
Ritmo: Cha Cha Cha
Nota: 26 + 9 = 35

3. Victor Sarro & Bruna Bays + Nicki Molina Someone You Loved [Lewis Capaldi] (2018)
Ritmo: Rumba
Nota: 30 + 8,7 = 38,7

4. Dany Hypólito & Marquinhos + Téo Flip Flop and Fly [Ellis Hall] (2000)
Ritmo: Jive
Nota: 28 + 8,6 = 36,6

5. Vinícius D’Black & Carol Dias + Bella FernandesAdrenalina [Wisin feat.Jennifer Lopez and Ricky Martin] (2014)
Ritmo: Salsa
Nota: 29 + 8,7 = 37,7

Desafio do Tango
1. Bia Feres & Paulo Victor New Rules [Dua Lipa] (2013)
2. Dany Hypólito & Marquinhos Rumour Has It [Adele] (2011)
3. Ricardo Vianna & Dani De Lova Querer [Cirque Du Soleil] (1994)

Encerramento: Roundtable Rival [Lindsey Stirling] (2014)


Semifinal 🔚

Semana que vem é o penúltimo programa. Ai, a saudade já está apertando antes da hora, só de pensar que vamos ficar mais um tempo sem a loira na TV... Que venham logo o The Four 2 ou o Dancing Brasil 6, viu, dona Record?


Qual casal vai vencer o Dancing Brasil, não sabemos... Mas o casal que sempre merece nosso triplo DEZ é esse aqui
Foto: Blad Meneghel



sábado, 24 de agosto de 2019

Dancing Brasil 5 - Ep. 08 || Noite dos Musicais || (21/08/2019)


Para tudo! A palavra de ordem do Dancing Brasil dessa semana foi “SURPRESA”. O oitavo episódio usou e abusou desse elemento e transformou a “Noite dos Musicais” no melhor programa temático dessa temporada (até agora)!!!




🎭Na Broadway...
Numa noite de musicais, o clássico drama musical “All That Jazz” não poderia faltar, não é mesmo? E o programa começou com a mesma música que dá início ao filme: “On Broadway”. Com a presença da banda do Dancing Brasil, a canção foi interpretada ao vivo por... Juan Alba (surpresa 1... vai contando).

Juan Alba, que a maioria conhece só como ator, mostrou que manda bem também na música
Foto: Blad Meneghel


O ator e cantor foi o convidado especial e interagiu com os bailarinos do programa enquanto cantava até que nossa Rainha surgiu para dançar também (surpresa #2).

As definições da "Dancing Queen" foram atualizadas com sucesso

Linda, a Dancing Queen usou somente um body e uma peruca a la Cher como figurino e mostrou que estava afiadinha na coreografia. Parece que o que a gente ficou esperando na noite do tema livre (semana passada) veio agora e veio cheio de sensualidade. Pedir para fazerem mais aberturas assim tipo.... toda semana, é abuso?

Nossa Cher! Ou melhor, Xer 😍😍😍




🕺💃Desafio dançante
Mal acabou a coreografia, Xuxa manteve o pique e já foi anunciando que ia ter coreografia com todos os participantes ao mesmo tempo valendo ponto (surpresa 3). A surpresa foi nossa, pois eles já tinham sido avisados UM dia antes  da tarefa extra e tiveram que se virar para não fazer feio.

Mas como nossa Dancing Queen não brinca em serviço, resolveu botar fogo na sapatilha e anunciou que a tal dança não ia ser feita com seu profissional de todo dia. Já que a coreografia tinha um momento em que os participantes formavam um círculo e os técnicos outro por fora, todos dariam três voltas (participantes num sentido e técnicos no sentido oposto) e ao parar a pessoa que estivesse a frente seria seu par (surpresa 4 – para eles e para a gente).

O momento da troca dos pares no desafio surpresa


O desafio foi inspirado no musical West Side Story, na famosa cena “The Dance at the Gym” em que o apresentador do baile até tenta que os casais sejam trocados, mas como é uma briga de gangues, as duplas não aceitam e acabam dançando com seu par original. Mas no Dancing não tem briga e dançar com o colega é parte do show... Compare:




D’Black foi o escolhido pelos jurados com o que melhor executou a coreografia. D’Black ensaiou com sua partner Carol, mas na hora H dançou com Bruna Bays (partner de Victor Sarro).

D'Black ensaiou com Carol, mas teve que dançar com Bruna pelas regras do desafio
Parabéns duplo para comemorar os 2 pontos extras



🎫Apresentações

Topetudo! 
Victor Sarro & Bruna Bays ainda estão na vibe do triplo DEZ de semana passada e abriram as apresentações com um jive que teve o aval do Jayme, mas mesmo assim ele não deu dez, vai entender...  Bruna fez Victor descer do salto 😁😁😁 e subir o topete dos anos 60 retratado no musical Hairspray. E ele fez - e ficou - bonito. Nota do público: 8,6 – terceira melhor da noite!

Victor & Bruna: impossível não vibrar com o alto astral desses dois, seja no salto, no aéreo ou no chão!


Paz, amor e dança!
Se começou com Hairspray, Bia Feres & Paulo Victor ficaram “só” no Hair. “Só” coisa nenhuma! Paulo Victor transpôs o universo do musical para um paso doble de forma muito inteligente. Como a história fala do Guerra do Vietnã e o movimento hippie, ele e Bia protagonizaram o embate clássico guerra x paz de forma totalmente inédita, já que no filme não existe tal cena. Melhor nota geral da noite!


Bia & Paulo Victor: paso doble no universo de Hair de forma totalmente inédita e criativa.
Melhor nota da noite merecidamente

Apenas uma vez?
O musical que inspirou a apresentação de Ricardo Vianna & Dani De Lova pode não ser conhecido do grande público, mas certamente depois da rumba desses dois, vai ter muita gente querendo dar uma olhadinha no filme holandês. Ricardo vem apresentando uma das melhores evoluções no programa e mesmo enfrentando algumas zonas de risco obtém boas notas dos jurados. Bem que o título do filme poderia ter inspirado o número de vezes que o casal iria para a zona de risco, né?

Dani & Ricardo Vianna dançaram um dos números de Once... mas deu vontade de ver once, twice, three times
Foto: Blad Meneghel


A Miúxa Sereia
Cátia Paganote & Fernando Perrotti trouxeram o único musical em animação da noite para a pista de dança. Se Sebástian e os animais marinhos deram seu show “under the sea”, o casal preferiu a superfície para transformar em samba o clássico da Disney, "A Pequena Sereia". Só que parece que Úrsula, a bruxa do mar e vilã da história, deu uma passada na bancada dos jurados e eles foram bem exigentes e não ficaram satisfeitos com o gingado da nossa Paquita Ariel.

Cátia & Fernando: dessa vez a Úrsula se deu bem e a "miúxa" Sereia não teve boas notas
Foto: Blad Meneghel


Ópera do Bailarino
D’Black & Carol Dias trouxeram o único musical nacional da noite para a pista de dança. Coube a Carol recriar uma das clássicas cenas em forma de rumba. Sensualidade a toda prova! Carol conseguiu tirar das mulheres o protagonismo da cena e deixar que D’Black brilhasse. Na cena original as personagens Teresinha e Lúcia disputam a atenção do Malandro, mas ele fica em segundo plano. Para a apresentação, Carol “disputou” a atenção do malandro com Talita Real, a cantora da banda do Dancing.

D'Black brilhou na versão dançante da cena em que as mulheres eram o foco. Mérito de Carol que adaptou a cena sem perder o contexto da Ópera do Malandro. Sensualidade em cada frame


Crie fama e... dance uma salsa
O musical “Fame” foi a inspiração para a salsa de Dany Hypólito & Marquinhos. E falando em fama, qual é a fama desses dois? De arrasar nas coreografias, mas parece que os jurados não levaram isso em conta e não foram tão bonzinhos nas notas como de costume. Já a fama junto ao público continua ótima, o casal conseguiu a melhor nota da noite: 8,8


Parece que o letreiro de "Fame" não quis ficar aceso na visão dos jurados, mas para quem estava em casa, Dany & Marquinhos fizeram jus à fama de favoritos. Os jurados falaram que faltou a "anarquia" de Fame. A gente não entende da parte técnica, mas nem demos falta dela, né?



😐Zona de Risco
No placar final, mais surpresas: Dany & Marquinhos ficaram em penúltimo lugar e estrearam na zona de risco (surpresa 5) mesmo com um histórico de melhores notas nos episódios anteriores. Ricardo & Dani que tiveram uma nota melhor que D’Black, mas foram assim mesmo para a disputa da preferência do público (surpresa 6), afinal o cantor tinha 2 pontos bônus do desafio inicial. E na lanterna ficaram Cátia & Fernando (surpresa 7). E pensar que foram eles os primeiros a ter triplo 10 nesta temporada (ep.05).



Cátia & Fernando não conseguiram a aprovação suficiente e deixaram a competição. Parece que a pequena Sereia não deu sorte e levou o sonho de vencer a disputa por água abaixo.




🎙️Mais surpresa
Um pouco antes de anunciar o casal que iria se despedir da competição, Xuxa chamou a atriz e cantora Alessandra Maestrini para uma participação especialíssima (surpresa 8) encerrando o programa e cantando ao vivo um dos temas do musical “Victor ou Victoria” (1982) enquanto os bailarinos apresentavam a coreografia final.

Alessandra Maestrini encerrando o programa num dos números do musical Victor/Victoria (1982)


Lembrando que na semana passada, foi também ao som de uma canção interpretada por Alessandra que o programa se encerrou (mas ela não estava presente). Que tal chamar a moça para ser uma das participantes da 6ª edição, hein, hein? Se ela não der certo dançando, pelo menos vai nos dar uma lição de auto estima. Olha só que incrível sua participação no Xou da Xuxa de 1990!



🎼Músicas dos Musicais
Gostou de alguma música e ficou na dúvida do nome ou do intérprete? Como a gente sabe que o gênero musical não é tão popular por aqui, demos uma ajudinha para você saber mais tudo que rolou nessa noite:

Abertura: On Broadway [George Benson] (1978)
Musical: All That Jazz (1979)

Desafio Dançante: Dance At the Gym (1961)
Musical: West Side Story (1961)

1. Victor Sarro & Bruna Bays The Nicest Kids in Town [Corny and Council Members] (2002)
Ritmo: Jive
Musical: Hairspray
Nota: 27 + 8,5 = 35,5

2. Bia Feres & Paulo VictorLet the Sunshine In [Cast f Hair] (1968)
Ritmo: Paso Doble
Musical: Hair
Nota: 27 + 8,6 = 35,6

3. Ricardo Vianna & Dani De LovaFalling Slowly [Glen Hansard and Markéta Irglová] (2006)
Ritmo: Rumba
Musical: Once
Nota: 26 + 8,3 = 34,3

4. Cátia Paganote & Fernando PerrottiUnder the Sea [Samuel E. Wright] (1989)
Ritmo: Samba
Musical: A Pequena Sereia
Nota: 21 + 7,9 = 28,9

5. Vinícius D’Black & Carol DiasO Meu Amor [Chico Buarque] (1978)
Ritmo: Rumba
Musical: Ópera do Malandro
Nota: 25 + 8,4 = 33,4 +2 = 35,4

6. Dany Hypólito & Marquinhos Fame [Irene Cara] (1980)
Ritmo: Salsa
Musical: Fame
Nota: 23 + 8,8 = 31,8

Encerramento: Le Jazz Hot! [Henry Mancini] (1982)


🏆Reta Final
Episódio 8 com pelo menos 8 surpresas, vocês viram, não é mesmo? Porque aqui é assim, a gente faz o por de bras e mostra o punch! Hahahaha. Não sabemos bem o que isso quer dizer, mas nos achamos a Fernanda Chamma agora... A diferença é que ela sabe, enquanto a gente finge... 😁😁😁

Outra coisa que a gente não sabe é o que a reta final do Dancing nos prepara. O programa nunca esteve tão equilibrado e as duplas nunca oscilaram tanto em suas colocações.


Só faltam três programas, quem chega na final?


sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Dancing Brasil 5 - Ep. 07 || Tema Livre || (14/08/2019)


O sétimo episódio do Dancing Brasil 5 foi diferente do que imaginávamos, mas isso não quer dizer menos interessante. Pelo contrário! A noite foi de TEMA LIVRE, ou seja cada dupla podia escolher o ritmo e a música que quisesse para garantir sua permanência no programa.

Mas, espera! No programa passado Xuxa disse que isso era inédito... eu tenho quase certeza que isso já aconteceu noutra temporada”... Você está pensando isso agora, certo? Então... o tema livre já aconteceu, mas não tão "livre" assim. Na quarta temporada tivemos um episódio (nº 8) chamado “Freestyle”, em que cada dupla podia fazer o que bem entendesse dentro do ritmo. Sim, freestyle é também um ritmo. Já no episódio dessa semana, a dupla poderia executar o freestyle ou não, como foi o caso de Dany Hypólito & Marquinhos ou Alinne Prado & Jefferson Andrade que optaram por outros ritmos.



💃Abertura
A abertura foi daquelas que todo mundo gosta, com todo mundo junto – participantes, bailarinos, plateia, Xuxa e Junno – se divertindo no cenário do programa. A surpresa ficou por Xuxa dançando – rapidamente – no mezanino onde Junno fica  e Junno lá no meio da plateia com direito a passinhos coreografados.

Como na semana passada,a música foi de Beyoncé. Dessa vez, “Move Your Body”, e não teve como ficar parado mesmo! A apresentação foi contagiante, daquelas que dá vontade de dançar junto. Grande acerto!

Xuxa no mezanino, Junno na plateia e dança em todo lugar


E o funk? Teve ou não teve?
O funk se tornou a ausência da noite por dois motivos: um porque a gente se empolgou com a conversa entre Xuxa e Junno na semana passada, onde ela perguntou toda marota se o maridão achava que ia ter funk e ele respondeu com os versos de “Lua de Cristal”: “tudo pode ser, se quiser será / sonhos sempre vem pra quem sonhar”. Ok, Junno, a gente bem queria a loira dançando no batidão, mas não rolou. Xuxa e Junno, “cês” tão devendo essa pra gente, tá?



O motivo nº 2 ficou por conta do momento mais triste do Dancing nesta temporada e talvez de todas. O MC Koringa se lesionou durante o ensaio no dia do programa e não pode se apresentar. Ele faria uma homenagem a MC Sapão e aos passinhos de funk junto com Bella. O que já estava ruim, piorou: nós já vimos muitos participantes se ausentarem por razões semelhantes e voltarem na semana seguinte. A questão é que isso, pelas regras do programa, só é permitido até o quinto episódio. A partir do sexto, a regra é: “não dançou, está eliminado sumariamente”. Isso acontece porque o número de participante é cada vez menor e ausências não programadas poderiam comprometer o cronograma da atração que é definido de antemão.

A inesperada despedida de MC Koringa em razão de uma contusão. A partir do sexto programa, quem não dançar é automaticamente eliminado, infelizmente.
Foto: Blad Meneghel


🃏MC Koringa
Koringa & Bella eram um dos casais mais dedicados desta temporada. De cinco zonas de risco, somente participaram de uma e saíram vitoriosos. A dupla dançou cha cha cha, foxtrote, jive, quickstep, rumba e valsa (seis dos dez ritmos oficiais do programa). Seu melhor momento foi justamente no último programa que participaram com MC Koringa dando lugar ao Fábio, o paizão que dançou para homenagear suas filhas. Um dos momentos mais cativantes daquela noite. Koringa dividiu sua história conosco e pudemos ver um outro lado do cantor. Pantera Cor-de-Rosa, Rei Leão, jogador de basquete foram algumas das facetas desse coringa.




MC (Fábio) Koringa & Bella Fernandes, foi um prazer vê-los dançar a cada noite. A competição chegou ao fim de forma inesperada, mas a história de vocês no programa ficou marcada. Obrigado!

👑 Glamourosa, rainha do Dancing
O visual da noite foi uma criação de Marcelo Cavalcante, executada por Michelly X. O vestido preto de corte moderno certamente entrou  - ao lado do figurino da noite dos jogos pan-americanos – para a galeria dos mais bonitos dessa temporada. Não somos entendidos de moda e tendências, mas olha, toda vez que apostam nessas fendas laterias, o tiro e certeiro, viu? Uma loira com essas pernas e esse porte... não tem como errar.

Sim, pode falar, a gente concorda: estão maravilhosos esses dois!
Foto: Blad Meneghel


Tudo que eu fizer, eu vou tentar melhor do que já fiz
Não teve Lua de Cristal nas músicas da noite, mas os versos se adaptam perfeitamente ao que vimos na pista de dança. Pode ser que pelo tema ser livre, cada participante ficou mais confiante e à vontade para executar sua apresentação. O fato é que todo mundo estava melhor do que nos programas anteriores e aprova disso foram as notas dos jurados: nenhuma nota 7, vários 8 e 9 e dois triplos DEZ.

D’Black ou D’Brown?
D’Black & Carol trouxeram o Soul Train para o palco do Dancing. Para quem não conhece, Soul Train foi um programa de TV americano nos anos 70 que levava cantores de hip hop, soul e R&B. Ao som de um medley de James Brown, o casal transportou todo mundo para esse universo através de uma apresentação que misturou locking e hip-hop e garantiu a terceira melhor nota do público.

Soul "Dancing" Train: D'Black  & Carol Dias trouxeram James Brown para a pista


Mad Max ou Mad Feres?
Com um visual meio Mad Max, Bia Feres & Paulo Victor vieram de freestyle. Paulo Victor, ousando como sempre, tirou Bia, mais uma vez, da zona de conforto. Olha, para falar a verdade, essa moça nunca teve zona de conforto, pois a cada programa ele exige mais e mais e ela responde a altura. O sorriso de piscina virou fúria do asfalto.


Bia Feres & Paulo Victor: coreografia em que o sorriso de piscina deu lugar à fúria do asfalto
Foto: Blad Meneghel


Sem máscaras!
Dany Hypólito & Marquinhos até encarnaram personagens para dançar o charleston, mas mesmo com a caracterização não tinha como esquecer quem eram as estrelas. O casal ousou em buscar o ritmo que só foi apresentado uma única vez no Dancing - na final da primeira temporada, em 2017 - e talvez por isso fizeram uma coreografia com cara de final! O resultado não tinha como ser diferente TRIPLO DEZ e 9,2 como nota do público. Parabéns Dany! Parabéns MASKinhos!

O charleston triplo DEZ de Dany Hypólito & Marquinhos
Coreografia com cara de final!


As Brunelas
Sem dúvida nenhuma, o melhor momento da noite foi a coragem de Victor Sarro & Bruna Bays. Ela por arriscar tudo num ritmo inédito no programa e ter a certeza de que seu parceiro daria conta do recado e ele, óbvio, pelo desempenho e a naturalidade com que encarou o salto e a peruca sem medo de parecer caricato. A apresentação de Stiletto foi inspirada no filme “As Branquelas” e Victor e Bruna passaram uma cumplicidade tão grande que a gente até se pergunta: por que não chamam esses dois pra fazer um musical do filme? Triplo DEZ porque não tinha como dar triplo ONZE.


Diretamente de "As Branquelas" para o palco do Dancing Brasil: Bruna Bays botou Victor Sarro em cima do salto e juntos botaram as melhores notas no bolso. Triplo DEZ porque não tem triplo ONZE


🤞Em noite de tema livre, o melhor é ficar livre da zona de risco
A zona de risco foi uma das mais difíceis até hoje. Os três casais com a menor nota - Cátia Paganote & Fernando; Ricardo Vianna & Dani De Lova e Alinne Prado & Jefferson Andrade – foram casais que também tiveram ótimas apresentações. Foi uma noite de reviravoltas, assim como Victor Sarro quase saiu no programa passado e neste programa foi a nota mais alta, tão insperado foi ver Cátia e Fernando com a menor nota, depois de tantas apresentações impecáveis.  Ricardo & Dani repetiram a zona de risco, mas também não podemos deixar de registrar o quanto foram melhores que a última apresentação. E o que dizer de Alinne que trouxe para o palco a “Cor da Cidade” num samba de estilo internacional?

Alinne & Jefferson não conseguiram a porcentagem necessária e deixaram o programa, mas as palavras de Alinne antes do anúncio mostraram o quanto ela encarou o programa como uma experiência de transformação e não um mero reality show. Cativou e vai fazer falta também!



🎧Música livre
Em noite de tema livre, a playlist não poderia ser mais eclética: do samba-reggae de Daniela Mercury ao soul de James Brown, do pop de Usher ao rock de Welshly Arms. Confere só como tudo isso junto só podia dar boa coisa:
Abertura: Move Your Body [Beyoncé] (2011)

1. Cátia Paganote & Fernando PerrottiMore (RedOne Jimmy Joker Remix) [Usher] (2010)
Ritmo: Freestyle
Nota: 24 + 7,9 = 31,9

2. Dany Hypólito & Marquinhos Hey! Pachuco! [Royal Crown Revue] (1994)
Ritmo: Charleston
Nota: 30 + 9,2 = 39,2

3. Ricardo Vianna & Dani De LovaDancing On My Own [Calum Scott] (2016)
Ritmo: Freestyle
Nota: 27 + 8,4 = 35,4

4. Alinne Prado & Jefferson AndradeO Canto da Cidade [Daniela Mercury] (1992)
Ritmo: Samba Internacional
Nota: 24 + 8,4 = 32,4

5. Victor Sarro & Bruna Bays Crazy in Love [Beyoncé] (2003)
Ritmo: Stiletto
Nota: 30 + 9,2 = 39,2

6. Bia Feres & Paulo VictorLegendary [Welshly Arms] (2016)
Ritmo: Freestyle
Nota: 29 + 9 = 38

7. Vinícius D’Black & Carol Dias – Medley: Get Up (I Feel Like Being Like a) Sex Machine / Get Up Offa That Thing [James Brown] (1971/1976)
Ritmo: Locking e Hip-Hop
Nota: 29 + 8,5 = 37,5

Encerramento: Mon Couer S’ouvre à Ta Voix [Alessandra Maestrini] (2012)


🎶 Noite dos Musicais
Nessa temporada não tem mistério, todo final de programa nossa Dancing Queen já conta qual é a próxima parada do expresso Dancing Brasil. Semana que vem é hora de reviver a magia dos musicais, seja Broadway ou cinema. Já tivemos uma noite assim sob o comando de Xuxa Kidman, incorporando a bela Satine de Moulin Rouge, lembram? Quem será a homenageada da vez?

Xuxa interpreta Satine na cena em que ela é apresentada ao público do Moulin Rouge


sábado, 10 de agosto de 2019

Dancing Brasil 5 - Ep. 06 || Dia dos Pais || (07/08/2019)


Não importa quem, PAI é aquele que participa, se preocupa, cuida, ama. PAI é aquele que se emociona na dança com você”... Com essas palavras Xuxa abriu a noite de homenagem aos pais no Dancing Brasil 5. Cada participante teve a chance de homenagear seu pai através de sua dança.



Engana-se quem pensa que o tema transformou o episódio numa previsível noite de choro, abraços e declarações emocionadas. Teve tudo isso, mas o Dancing não é obvio – sempre falamos isso – e surpreendeu com momentos divertidos já começando pela abertura...

O VT de abertura já deixou aquele gostinho de "quero mais"... e teve!


Não basta ser pai... tem que ajudar a cuidar
Num dos números de dança mais divertidos de todas as temporadas, as estrelas da coreografia foram os rapazes do corpo de baile do Dancing. As meninas até fizeram uma participação especial, bem no comecinho, interpretando as mamães que ganham um “vale-night” e deixam o herdeiro para os papais cuidarem.

Dancing Brasil apresenta: "O Bebê que Tudo Vê"...


Com um carrinho de bebê equipado com uma câmera representando a visão da criança, a coreografia mostrava os papais meio apavorados por fazer o que as mães tiram de letra. A música não poderia ser melhor: Daddy Lessons, de Beyoncé. Só que aqueles pais não estavam ensinando lição nenhuma, estavam aprendendo... isso sim! Merece nosso triplo DEZ pela criatividade e execução!


... ou seria "Seis Paizões e um Bebê"?


Papai Junno
Terminada a coreografia de abertura, Xuxa entrou no palco e já foi logo protagonizando um dos momentos mais apaixonantes da noite, literalmente! Ela contou que foi a postura de Junno como paizão que a fez ficar ainda mais apaixonada... e nessa história lá se vão sete anos.

Junno, claro, se emocionou, mas devolveu de forma tão carinhosa quanto. Após saudar seus filhos, Luana e Vinícius, ele acrescentou: “e a Sassá, que é minha filhinha emprestada”. E a nossa Dancing Queen se derreteu e todo mundo que estava assistindo também, por tabela...  

Junno protagonizou um dos momentos mais carinhosos da noite. Primeiro foi Xuxa se declarando, depois ele devolvendo o carinho e, por fim, todo mundo em casa e na plateia apaixonado por esses dois!


Visual da noite
Xuxa usou um blazer e saia de Martha Medeiros, que já fez alguns vestidos para as temporadas passadas. A concepção do visual foi uma criação de Luciano Bortolotti. Elegante demais, não é?

O primeiro look Martha Medeiros para esta temporada
Fotos: Blad Meneghel


Dia dos Pais na pista de dança
A noite era dos pais, mas quem brilhou foram os filhos! Algumas apresentações tiveram a participação surpresa dos pais dos competidores, outras relembraram com alegria pais que já não estão mais por aqui e teve homenagem também para o sogro, “um segundo pai”, como definiu Natália Guimarães.

Surf é o que eu sei
Bia Feres & Paulo Victor levaram para a pista o surf e o alto astral do sr. Otávio, pai de Bia! E ele ainda surpreendeu a filha ao final da apresentação. Emocionou Bia e agradou quem estava em casa. O casal conseguiu a segunda maior nota do público.

Sr. Otávio surpreendendo a filhota Bia ao final da coreografia criada por Paulo Victor


Shine! 
Se é pra falar em brilhar, temos que falar de D’Black & Carol Dias dançando foxtrote ao som de You Are the Sunshine of my Life. Todos os jurados foram só elogios e, sem dúvida, D’Black teve seu melhor momento nesta temporada até agora.

D'Black presenteia o pai com o disco de Stevie Wonder, ele e Carol dançaram uma musica do cantor em homenagem ao Sr. Paulinho. Apresentação impecável!


E como não elogiar a beleza e elegância de Carol? Seu figurino foi uma das criações mais bonitas do programa e Carol se incumbiu de valorizar cada centímetro.

Como não elogiar a elegância e beleza de Carol? Xuxa nos representou quando disse que era impossível não tirar os olhos dela.


Prazer, Fábio... 
Quem também conseguiu boas notas dos jurados e a simpatia do pessoal de casa foi o casal Fábio & Bella Fernandes. Fábio? Sim, o MC Koringa ficou nos bastidores e no palco estava Fábio, o pai de duas meninas que certamente terão muito orgulho em rever a emoção do pai delas no palco do Dancing. Parabéns a Bella que transferiu para uma coreografia toda essa emoção de forma tão brilhante.

Fábio e Bella num dos momentos mais emocionantes da noite. MC Koringa é o artista, mas quem dançou aquela valsa foi o paizão Fábio, que muita gente ainda não conhecia.


Paquita Alinne! 
Depois de uma semana ausente para se restabelecer de uma contusão, Alinne Prado & Jefferson voltaram com vontade redobrada. Foi uma daquelas apresentações que a gente fala “ô coisinha tão bonitinha do pai” – música que eles dançaram. Mas o destaque ficou pela emoção de Alinne que fez aniversário naquele dia e ganhou até o chapéu de Paquita para relembrar um sonho de infância. Totalmente inesperado, totalmente incrível!

Aniversariante da noite, Alinne ganhou até chapéu de Paquita e todo mundo pode compartilhar o momento tão especial da jornalista! Parabéns!


Nessa longa estrada da vida... 
Dany Hypólito & Marquinhos puseram o pé na estrada da dança e relembraram as origens do pai de Dany. Marquinhos criou uma valsa mais acelerada ao som de “Estrada da Vida”, sucesso de José Rico e Milionário. Num dos versos, a música fala “na esperança de ser campeão, alcançando o primeiro lugar”... Pois é, a esperança virou realidade, pelo menos na opinião do público. O casal teve a maior nota do público: 8,9


Dany & Marquinhos nos levaram pela longa estrada da dança em mais uma daquelas apresentações que a gente se pergunta: não pode dar nota 11?


Nós vimos o jive! 
Cátia Paganote & Fernando Perrotti tiveram a maior nota dos jurados: 27. O pai de Cátia já não está mais aqui, mas isso não significou uma apresentação triste. Pelo contrário, o casal reviveu no jive a alegria que o pai de Cátia tinha em dançar com sua mãe ao som de Swing the Mood. Fecharam a noite com o número mais animado da noite, porque o Dancing tem emoção, mas não tem baixo-astral!

Cátia e Fernando fizeram a apresentação mais divertida da noite! Como disse Xuxa: "meu Pai do céu!", deu pra gente se cansar só de ver a energia desses dois. Merecia triplo DEZ, tá?


Não basta ser pai... tem que enfrentar a zona de risco!
A zona de risco não é nada paternal e por isso ninguém quer estar lá. Só que dois pais tiveram a experiência de enfrentá-la justamente no programa em que foram homenageados: Victor Sarro e Ricardo Vianna. A terceira menor nota foi de Natália Guimarães & Rafa Scauri, que foram para sua 5ª zona de risco. Mas dessa vez a sorte estava com os pais mesmo, Natália e Rafa foram eliminados com 28% dos votos, o que foi uma surpresa, pois a dupla chegou a vencer Maria Paula & Tutu na preferência do público.



Música para os pais
Será que na playlist do Dia dos Pais do Dancing tem alguma música que faz o gosto do seu pai? Bem provável que sim, afinal teve de Beth Carvalho a Michael Jackson, de Ana Villela a Stevie Wonder... Confere só:

Abertura: Daddy Lessons  [Beyoncé] (2016)

1. Bia Feres & Paulo VictorSurfin’ U.S.A. [The Beach Boys] (1963)
Ritmo: Quickstep
Nota: 25 + 8,8 = 33,8

2. Vinícius D’Black & Carol DiasYou Are the Sunshine of My Life [Stevie Wonder] (1973)
Ritmo: Foxtrote
Nota: 26 + 8,3 = 34,3

3. Natália Guimarães & Rafa ScauriRock do Rato [Franco] (1978)
Ritmo: Samba
Nota: 23 + 7,9 = 30,9

4. MC Koringa & Bella FernandesBillie Jean [Michael Jackson]  (1982)
Ritmo: Valsa
Nota: 26 + 8,1 = 34,1

5. Alinne Prado & Jefferson AndradeCoisinha do Pai [Beth Carvalho] (1979)
Ritmo: Salsa
Nota: 25 + 8,3 = 33,3

6. Victor Sarro & Bruna Bays Bella Ciao [canção popular italiana] (1960)
Ritmo: Tango
Nota: 24 + 8,5 = 32,5

7. Dany Hypólito & Marquinhos Estrada da Vida [Milionário & José Rico] (1977)
Ritmo: Valsa
Nota: 25 + 8,9 = 33,9

8. Ricardo Vianna & Dani De LovaTrem Bala [Ana Villela] (2016)
Ritmo: Foxtrote
Nota: 23 + 8,6 = 31,6

9. Cátia Paganote & Fernando PerrottiSwing the Mood [Jive Bunny & The Mastermixers] (1989)
Ritmo: Jive
Nota: 27 + 8,8 = 35,8

Encerramento: Alexander’s Ragtime Band [Irving Berlin] (1911)


Tema livre
Na próxima semana, o Dancing vai deixar todo mundo soltinho. O tema será livre e cada dupla pode dançar o que quiser. Sabem o melhor disso tudo? Vai ter Xuxa dançando! SIIIIIM e quem deu a pista foi ela mesma quando perguntou pro Junno “será que vai ter funk?”. Para quem não sabe ou não se lembra, logo que o Dancing 5 estreou a jornalista Patrícia Kogut fez uma enquete em seu perfil no Instagram: “que ritmo você acha que a Xuxa deveria dançar? Samba ou Funk?" O Funk ganhou de lavada... ou seja, chegou a hora de ver a loira requebrando ao som do batidão!


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...